terça-feira, maio 28, 2024

Crítica | Licença Para Enlouquecer – Comédia Reúne Dani Winits, Mônica Carvalho e Michele Muniz em Cenário Paradisíaco

Não faz nem muito tempo estávamos ainda confinados dentro de casa, com medo de sair, sem saber quando todo o pesadelo teria fim e se um dia voltaríamos à vida que tínhamos antes. O período que o mundo viveu na pandemia do coronavírus – que em alguns lugares durou mais do que em outros – marcou a todos nós, e ainda é um assunto muito delicado, especialmente aqui no Brasil, onde tivemos que enfrentar outras questões para além do vírus. Mas hoje, quase dois anos do fim desse pesadelo, conseguimos olhar para trás mais aliviados e até mesmo com certo humor, com mais generosidade sobre o nosso próprio comportamento. Esse é o ponto de partida de ‘Licença Para Enlouquecer’, nova comédia brasileira que chega aos cinemas esta semana.

Sara (Mônica Carvalho) é uma produtora de cinema prestes a deslanchar sua carreira internacional quando, de repente, é surpreendida pela imposição da quarentena em consequência da propagação do coronavírus no mundo. Trancada dentro de casa, ela se vê empurrada a acolher suas melhores amigas, Leia (Michelle Muniz, maravilhosa no filme) e Lia (Danielle Winits), em sua própria casa, pois uma acaba de se separar do marido, e a outra acaba de ser despejada do apartamento. Confinada em um espaço pequeno com suas duas melhores amigas, rapidamente a intimidade e a falta de privacidade acabam afetando a amizade entre elas, porém, quando Bia (Thaíssa Carvalho) as convida para trabalhar num job em Maragogi, e passar uma espécie de período dê férias, as três não pensarão duas vezes em mergulhar de cabeça nessa oportunidade única de refrescar um pouco a mente no meio do caos que o mundo está vivendo.

Dirigido pelo imparável cineasta Hsu Chien (‘Me Tira da Mira’), ‘Licença Para Enlouquecer’ é uma comédia que abraça sua principal locação – Maragogi, no Alagoas – como um personagem central para o desenvolvimento da história. Conjuntamente com a expertise da diretora de fotografia Silvia Gangemi, Hsu faz belíssimos planos que favorecem as belezas naturais tanto do cenário paradisíaco quanto de seu elenco estelar, que conta também com participações de Henri Castelli, Luiza Tomé, André Mattos e Nelson Freitas.

O roteiro escrito a seis mãos por Mônica Carvalho, Michelle Muniz e Marcelo Corrêa divide a história em dois momentos, e, consequentemente, em dois gêneros: primeiramente, toda a parte de drama cômico no início da pandemia (sensivelmente retratado com um humor respeitoso diante do inesperado da situação), e, em seguida na parte da comédia mais solar, passada em Maragogi, e que ocupa a maior parte das uma hora e quarenta de duração do filme.

Licença Para Enlouquecer’ é uma comédia leve e colorida, mas com momentos de muita delicadeza que pegam a gente de surpresa e emocionam de verdade. É um filme em dois: quem quiser, verá um respeitoso drama que retrata com honestidade os primeiros meses pandêmicos (que comprovam que Dani Winits é linda até de máscara!); aos que preferirem, encontrarão aqui uma comédia de costumes com personagens em busca de libertação das amarras sociais, num cenário que fará com que você tenha vontade de viajar para lá. Um filme para rir e refletir – e colocar Maragogi na lista de lugares a visitar.

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS

Não faz nem muito tempo estávamos ainda confinados dentro de casa, com medo de sair, sem saber quando todo o pesadelo teria fim e se um dia voltaríamos à vida que tínhamos antes. O período que o mundo viveu na pandemia do coronavírus -...Crítica | Licença Para Enlouquecer – Comédia Reúne Dani Winits, Mônica Carvalho e Michele Muniz em Cenário Paradisíaco