Crítica | Meu Ex é um Espião - Comédia de ação é uma 'Sessão da Tarde' girl power

Crítica | Meu Ex é um Espião - Comédia de ação é uma 'Sessão da Tarde' girl power

Nota:

É empolgante ver o cinema finalmente dando o espaço merecido para que as mulheres possam brilhar em superproduções, alavancado pelo sucesso financeiro de ‘Mulher-Maravilha’. Até o lançamento do filme da super-heroína da DC, os estúdios hollywoodianos torciam o nariz para filmes protagonizados e dirigidos por mulheres, principalmente quando se tratava de ação, gênero que sempre foi erroneamente conectado diretamente com testosterona e homens bombados pulando de pontes.

Essa mudança na indústria cinematográfica abriu portas para projetos como ‘Meu Ex é um Espião’, comédia de ação dirigida por Susanna Fogel ('Parceiras Eternas') e estrelada por Mila Kunis ('Perfeita é a Mãe') e Kate McKinnon (‘Caça-Fantasmas’).

A trama acompanha Audrey (Mila Kunis) e Morgan (Kate McKinnon), duas melhores amigas de trinta anos que vivem em Los Angeles e se veem no meio de uma conspiração internacional quando o ex-namorado de Audrey aparece em seu apartamento com uma equipe de assassinos. Surpreendendo a si próprias, a dupla entra em ação e percorre toda a Europa fugindo de assassinos e um agente britânico suspeito, mas charmoso, enquanto traçam um plano para salvar o mundo.



Usando bom humor e cenas de ação explosivas, ‘Meu Ex é um Espião’ é uma ótima Sessão da Tarde totalmente Girl Power. Com uma direção segura de Fogel, que tem uma ótima mão para dirigir cenas de perseguição e explosão, o filme funciona mais como ação do que como comédia.

Quem brilha aqui é a co-protagonista Kate McKinnon, que sempre rouba a cena em seus filmes mas nunca conseguiu um papel principal a nível de seu talento. Se o roteiro desse mais foco em sua personagem, o filme provavelmente seria muito mais divertido.

Porém, o roteiro escrito por Fogel acompanha a personagem de Mila Kunis – uma garota bastante apática, provavelmente pela atuação sem sal da atriz que parece estar no modo automático. Apesar de Kunis não entregar uma atuação decente, a química dela com McKinnon gera bons momentos de diversão.

Meu Ex é um Espião’ peca por se levar a sério demais e se prolongar em seu segundo ato, cansando o espectador com reviravoltas exageradas e pra lá de surreais, que poderiam ter sido editadas de maneira mais ágil para manter o ritmo do primeiro ato.

Apesar do problema de ritmo, ‘Meu Ex é um Espião’ cumpre o papel de entreter e divertir, e mostrar que o cinema pode trazer protagonistas femininas fortes. É uma pena que a comédia de ação caia na mesmice e fique na categoria “Sessão da Tarde” moderna, mas vale a pena o ingresso se você for ao cinema procurando apenas uma boa diversão.





Inscreva-se em nosso canal e receba conteúdo exclusivo » http://goo.gl/mPcJ5c