Como vocês podem reparar, fizemos várias indicações de filmes de terror ou relacionados ao Halloween, já que a data é comemorada hoje. Mas há sempre aquela galera que não curte o feriado ou não é muito favorável aos filmes de terror. Pensando nelas, a dica deste fim de semana é maratonar os oito filmes do universo Rocky Balboa que entraram na Netflix nesta semana.

Clássicos das sessões da madrugada da TV aberta, os filmes estrelados por Sylvester Stallone são um verdadeiro fenômeno no Brasil. Um dos motivos para isso é que os filmes sempre te colocam para torcer pelo personagem mais fraco ou com mais chances de ser derrotado. E isso é um caso clássico de sucesso no Brasil, que ama apoiar um caso de superação ou de vitória improvável do mais fraco.

 



Rocky: Um Lutador (1976)

Aproveite para assistir:



O filme que fez Sylvester Stallone emplacar em Hollywood foi lançado na década de 1970 com um roteiro escrito pelo próprio Sly, que passou três dias inteiros escrevendo um dos roteiros mais simples e aclamados da história. A trama conta a história de um lutador azarão que treina de forma humilde na Filadélfia até ser chamado para enfrentar o maior boxeador de todos, o invencível Apollo “Doutrinador” Creed (Carl Weathers). Com muita dedicação, Rocky Balboa intensifica os treinamentos para tentar fazer frente ao Campeão. A trilha sonora do treinamento entrou para a história do cinema, assim como o personagem.

 

Rocky II: A Revanche (1979)

Assumindo a direção do filme, Sylvester Stallone retorna ao papel de Rocky Balboa para esta sequência, que não arrecadou tanto quanto o anterior. Após o embate histórico entre Rocky e Apollo, os fãs de boxe fazem pressão por uma revanche. No entanto, por conta das lesões da última luta, o Garanhão Italiano resolveu se afastar e focar na vida com sua esposa, Adrian (Talia Shire). Só que a situação financeira complica, Rocky não consegue parar em um emprego decente e para piorar, Adrian fica grávida. Trabalhando como auxiliar de Mickey (Burgess Meredith), Rocky recebe a proposta da revanche e resolve aceitar. Quem vencerá esse embate?



 

Rocky III: O Desafio Supremo (1982)

Seguindo com a carreira de lutador, Rocky começa a enfrentar pressões que ele não havia sentido até a então: a da mídia e a dos patrocinadores. Alçado ao nível de ídolo dos EUA, o lutador segue estagnado em suas vitórias, até ser desafiado pelo gigantesco James “Clubber”Lang (Mr. T). Com diversas humilhações sofridas em público pelo aspirante a adversário, Rocky decide aceitar o desafio, que trará consequências irreversíveis para o Garanhão Italiano. É neste filme que entra a música Eye Of The Tiger, da banda Survivor, que acabou virando um clássico do cinema.

 



Rocky IV (1985)

Consolidado como um dos maiores lutadores da história, Rocky vive seus dias tranquilamente. Porém, após seu amigo Apollo Creed aceitar sair da aposentadoria para enfrentar o misterioso lutador soviético Ivan Drago (Dolph Lundgren) em uma luta de exibição que termina com a morte de Apollo, Balboa decide desafiar o soviético para uma luta na Rússia. Com muitos clássicos musicais dos anos 1980, como Burning Heart, No Easy Way Out e Heart’s On Fire, o filme parece um grande videoclipe, o que traz um dinamismo interessante para a história, que acaba resolvendo o conflito da Guerra Fria do jeito mais maduro possível: com uma bela trocação de socos. É o meu favorito da franquia.

 

Rocky V (1990)



Sly deixa a cadeira da direção para o retorno de John G. Avildsen, que foi o diretor do primeiro filme. Infelizmente, o resultado foi bem diferente do longa de 1976. Isso porque a história mostra Rocky falindo por conta de um contador corrupto. Para piorar, ele descobre que pode morrer se voltar aos ringues, então precisa encontrar um jeito de ganhar a vida. Junto aos problemas que Rocky Jr. enfrenta na escola, Balboa precisa lidar com outra pessoa problemática em sua vida: um jovem lutador que o procura para ser seu treinador. Após muito relutar, ele aceita. Mas o garoto logo é seduzido por um empresário rival, o que resulta em um embate entre treinador e aprendiz. Sendo muito sincero, esse filme é ruim que dói, mas dá para assistir no embalo do IV e na expectativa pelo VI.

 

Rocky Balboa (2006)



Aposentado há 16 anos, Rocky Balboa ainda é uma referência no meio esportivo, mas vive com o luto pela morte da esposa, Adrian, e precisa lidar com o filho, Rocky Jr., que se afastou do pai por sentir vergonha dele. Após um programa esportivo debater sobre a perda da popularidade do boxe nos anos 2000, eles simulam um embate entre Mason Dixon (Antonio Tarver), o atual campeão, que é criticado por ser muito “frio”, e Balboa, e o resultado é vitória de Rocky. Isso mexe com o ego de Dixon, que desafia Rocky a largar a aposentadoria para resolver essa questão no ringue. O filme marcou o retorno de Stallone à direção e emplacou um dos discursos motivacionais mais conhecidos da história do cinema.

 

Creed: Nascido Para Lutar (2015)

Dirigido e produzido por Ryan Coogler, este spin-off é focado em Adonis Creed (Michael B. Jordan), filho de Apollo “Doutrinador” Creed. Um jovem revoltado que se arrisca em lutas escondendo sua origem. Tentando a sorte em ringues ilegais ou academias de luxo, ele fica frustrado por não conseguir seu objetivo. Focado em virar um lutador de verdade, ele vai atrás de Rocky Balboa para que ele seja seu treinador. Com uma direção absurdamente fantástica, usando planos sequências e cortes rápidos, é provavelmente o filme melhor dirigido de toda a saga. Ele consegue ser emocionante e repleto de ação, sem perder a filosofia do Rocky clássico. Rendeu uma indicação ao Oscar de melhor ator coadjuvante a Sylvester Stallone.

 


Creed II (2018)

Com roteiro de Sly e direção de Steven Caple Jr., Creed II traz para as telas um embate geracional que mexeu com os nervos de todos os fãs da franquia. Crescendo em sua carreira de boxeador, Adonis é desafiado por Viktor Drago (Florian “Big Nasty” Munteanu), filho do homem que matou Apollo Creed, Ivan Drago (Dolph Lundgren). Movido pelo ódio, Adonis aceita o desafiado mais cruel de sua curta carreira. Apesar de não ser tão dinâmico quanto o anterior, o filme ganha muitos pontos ao mostrar a desgraça que virou a vida de Drago após a derrota para Rocky nos anos 1980. Junto a isso, o longa traz um drama pessoal muito interessante que expande a mitologia do próprio Adonis Creed.

Todos os filmes citados no post estão disponíveis na Netflix.

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE