O novo filme da Netflix estrelado por Wagner Moura, intitulado ‘Sergio‘, chega à plataforma de streaming na próxima sexta-feira (17).

Com sua estreia mundial no Festival de Sundance 2020, a produção conta a história do famoso diplomata brasileiro Sérgio Vieira de Mello, uma figura chave durante a Guerra do Iraque e que veio a falecer em virtude de um bombardeio à sua unidade da ONU localizada em Bagdá.

A trama ainda traz sua companheira Carolina em destaque, uma profissional de alto escalão da ONU, que também exerceu um papel fundamental ao lado de Sérgio durante suas missões diplomáticas.

Aqui, a personagem é representada pela atriz cubana Ana de Armas, que tem conquistado Hollywood com fortes atuações em filmes como ‘Entre Facas e Segredos‘ e ‘Blade Runner 2049‘.

E segundo o diretor Greg Barker, a escolha da atriz latina para o papel foi ideal. Em uma entrevista EXCLUSIVA à nossa jornalista Rafa Gomes, ele revela como foi a experiência de trabalhar com a recém indicada ao Globo de Ouro e o que torna sua performance o ponto alto do longa:

“Foi fantástico trabalhar com ela! Ana é, obviamente, incrivelmente talentosa e isso fala por si só. O que torna sua presença tão boa nesse filme e em seus outros projetos é o fato de ela ser muito pé no chão como pessoa e também por conta da sua própria origem. Ela é muito humilde e veio de uma origem muito humilde de Cuba e ela é capaz de se conectar com as pessoas de qualquer contexto e natureza. Na essência de sua personagem, Carolina é uma profissional de alto escalão que resolve problemas relacionados aos povos afetados, enquanto Sérgio resolve problemas com figuras políticas e partidárias. Ela tem essa preocupação de resolver aqueles problemas que estão diante de nós. Essa figura é assim de forma intuitiva. E, obviamente a ampla variação emocional e as fortes habilidades técnicas da Ana na atuação são inacreditáveis e é claro que foi sensacional trabalhar com ela. Mas ela encorpa a personagem, é habilmente treinada e sabe desenvolver características e fazer coisas sutis que se tornam poderosas nas telonas e muito além disso, ela é uma pessoa que enxerga o mundo de forma muito empática e comovente, algo que acaba extravasando em sua atuação.

Assista ao trailer e confira a sinopse:

Aproveite para assistir:

Crítica | Sérgio: Wagner Moura em atuação sensível em cinebiografia da Netflix

“Carismático e complexo, Sergio Vieira de Mello (Wagner Moura) dedicou a maior parte de sua carreira como diplomata da ONU trabalhando nas regiões mais instáveis do mundo, negociando habilmente com presidentes, revolucionários e criminosos de guerra para proteger a vida de pessoas comuns. Mas, assim como ele se prepara para uma vida simples com a mulher que ama (Ana de Armas), Sergio assume uma última missão – em Bagdá, recém-mergulhada no caos após a invasão americana. A missão era para ser breve, até que a explosão de uma bomba faz com que as paredes da sede da ONU caiam literalmente sobre ele, desencadeando uma emocionante luta entre vida e morte. Inspirado em uma história real, SERGIO é um drama com foco em um homem levado aos seus limites físico e mental enquanto é forçado a confrontar suas próprias escolhas sobre ambição, família e sua capacidade de amar”.

 

Wagner Moura e Ana de Armas estrelam a cinebiografia. Além de estrelar, Moura também assume o papel de produtor da cinebiografia.

A produção é dirigida por Greg Barker.

Comentários