Franquia ‘Jurassic Park’ | Do Pior ao Melhor – Dia do Paleontólogo

Franquia ‘Jurassic Park’ | Do Pior ao Melhor – Dia do Paleontólogo



Poucos sabem, mas o dia 7 de março marca a comemoração do Dia do Paleontólogo. Uma profissão muito importante que estuda era geológicas antigas e criaturas que existiram há muito tempo. Quase toda criança já sonhou um dia em ser Paleontólogo, muito por conta dos personagens incríveis apresentados no cinema, como o Dr. Allan Grant, de Jurassic Park. Como forma de homenagem, o CinePOP decidiu ranquear os filmes da franquia Jurassic Park do “pior” para o melhor. Confiram!

5 | Jurassic Park III (2001)


O terceiro capítulo da saga original é o mais contestado. Apesar da nítida evolução tecnológica na reprodução dos dinossauros e com o visual repaginado dos Velociraptors, que foram adequados para as descobertas da época, o roteiro é bem raso e as adições ao elenco não foram tão cativantes. Ao final do filme, fica um questionamento. O que é pior: ser perseguido pelo terrível Espinossauro ou ficar preso numa ilha com um casal divorciado?

Toda a filosofia do Homem X Natureza foi posta de lado em prol do suspense comercial. Mas ainda assim é um passatempo divertido.

4 | O Mundo Perdido: Jurassic Park (1997)

A sequência do filme original sofreu com as críticas, mas, para mim, segue como um dos filmes mais fascinantes com dinossauros.

Ian Malcolm (Jeff Goldblum) assume o papel de protagonista ao saber que sua namorada, Sarah Harding (Julianne Moore), foi enviada para fotografar uma segunda ilha, onde dinossauros vivem sem cercas.

Aproveite para assistir:


Com cenas simulando um safári e vários dinossauros novos, Steven Spielberg dedica todo o terceiro ato à realização do sonho de qualquer criança: soltar um Tiranossauro na cidade e deixá-lo “interagir” com os objetos modernos. É uma aventura anacrônica de mão cheia e com vários momentos de suspense bem construído.

3 | Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros (2015)


22 anos após a abertura do parque original (e do lançamento do primeiro Jurassic Park), acompanhamos a reabertura dos portões do agora Jurassic World, um parque de última geração com atrações vivas.

É o sonho de John Hammond posto em prática e a primeira vez que vemos o complexo realmente funcionar. Mas como vimos ao longo da franquia, a vida encontra um meio e os animais pré-históricos se libertam e tocam o terror na Ilha Nublar.

Tudo é novo, menos a destruição. Chris Pratt e Bryce Dallas Howard assumem como os novos protagonistas e entramos na era dos dinossauros híbridos. Outro novo ponto são os raptores treinados, peças chave no futuro dos filmes.

2 | Jurassic World: Reino Ameaçado (2018)

A continuação do sucesso bilionário de 2015 abriu mão do encantamento para adentrar o terror e suspense. Com a trama chave dos cinco filmes, o diretor aposta novamente em dinossauros híbridos no papel de vilões (ou seriam anti-heróis?).

Com uma veia mais forte de ficção científica, “O Reino Ameaçado” volta a se questionar sobre a bioética. Eles também fazem uma releitura bem interessante sobre a extinção dos dinossauros e termina com um final beeeeem interessante, deixando o famoso gancho para o filme 3.

1 | Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros (1993)

Um clássico imortal do cinema de entretenimento, Jurassic Park chocou o mundo ao trazer os dinossauros mais reais que o cinema já havia visto.

Presença certa na cabeça de qualquer um que já foi criança um dia, o filme é uma obra-prima da imaginação e conquista pelos personagens carismáticos e história bem contada. Apesar de se chamar Jurassic Park, o longa conta com apenas 15 minutos de dinossauros no filme.

Se você não viu, corre pra ver! Se você já viu, reveja! É um filmaço!

Parabéns aos Paleontólogos que acompanham o CinePOP! O trabalho de vocês inspira muita gente!



COMENTÁRIOS