Melhores Filmes com Bruxas

Melhores Filmes com Bruxas




As bruxas sempre povoaram o imaginário popular e raramente estarão fora da nossa seleção de filmes. Caso não esteja no topo do nosso ranking, é provável que tenha feito parte da nossa infância, adolescência e vida adulta.

Seja com as animações clássicas dos estúdios Walt Disney, seja com terrores psicológicos que nos deixam à beira de um ataque de nervos, longas-metragens com essas criaturas místicas têm uma capacidade quase única de se encaixar em qualquer gênero. Não é à toa que temos comédias românticas como ‘Da Magia À Sedução’, sátiras hilárias como A Feiticeira e documentários falsos que causaram bastante pânico à época de seu lançamento (vide A Bruxa de Blair’).

Por isso, resolvemos trazer treze dos melhores filmes com bruxas que são conhecidos por grande parte do público cinéfilo. Confira nossas escolhas abaixo e conte para nós qual é o seu favorito:

  1. As Bruxas de Eastwick (1987)

Aproveite para assistir:


Susan Sarandon, Michelle Pfeiffer e Cher são a principal força de um divertido e sagaz conto bruxesco que, apesar de já ter sido contado inúmeras vezes por romancistas e cineastas, não deixa de nos envolver do começo ao fim.

Em As Bruxas de Eastwick, o trio protagonista enfrenta o literalmente diabólico antagonista encarnado por Jack Nicholson, seduzindo-o através dos feitiços mais inesperados para se vingarem de uma vida de submissão.

  1. A Espada Era a Lei (1963)

Assim como inúmeras releituras das aventuras do Rei Arthur e do Mago Merlin, A Espada Era a Lei procura nos divertir à medida que constrói uma interessante história de origem que nos emociona mais pelos seus coadjuvantes que pelo herói protagonista.

Além do cômico e atrapalhado Merlin, Madame Mim também ganha palanque ao insurgir como uma hilária e ácida vilã. Versada nas artes das trevas, ela faz de tudo para destruir seu concorrente – até mesmo se transformar em um dragão. Parece que Malévola não é a única com esse poder, não é mesmo?

  1. As Crônicas de Nárnia: O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa (2005)

O épico de C.S. Lewis ganhou em 2005 sua primeira entrada nos cinemas com As Crônicas de Nárnia: O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa’, logo atraindo a atenção dos fãs do romance original e também os cinéfilos de plantão. E não foi por menos: além de uma competente narrativa ambientada num mundo mágico e repleto de criaturas míticas, o longa também nos apresentou a uma versão ainda mais macabra de sua vilã principal.

Encarnada por Tilda Swinton, Jadis, também conhecida como Feiticeira Branca, é uma das personagens mais memoráveis dos filmes de fantasia, seja por sua desmedida ambição, seja por seus incríveis e perigosos poderes de gelo.

  1. Caminhos da Floresta (2014)

Baseado no musical homônimo da Broadway, Caminhos da Floresta nos apresenta a uma nova versão dos clássicos contos de fada ao unir em um mesmo lugar os mais variados e conhecidos personagens. E é claro que o diretor Rob Marshall não se esqueceria de colocar a icônica Bruxa Má – aqui interpretada por Meryl Streep.

Levando em conta que Streep é uma das maiores atrizes de sua geração, o papel foi abraçado com vontade e determinação, criando uma antagonista sarcástica, complexa e que eventualmente rendeu à atriz mais uma indicação ao Oscar.

  1. Abracadabra (1993)

Kenny Ortega é mais conhecido por seu trabalho na franquia High School Musical, mas já havia trabalhado com os estúdios Disney vários anos antes ao trazer de volta à vida as hilárias Irmãs Sanderson com ‘Abracadabra’.

Mesmo não tendo feito o sucesso prometido à época do lançamento, o longa protagonizado por Bette Midler, Sarah Jessica Parker e Kathy Najimi tornou-se um dos favoritos dos aficionados por histórias sobrenaturais, principalmente por modernizar os arrepiantes contos da cidade de Salem de forma aprazível e aventuresca.

  1. Jovens Bruxas (1996)

A década de 1990 foi marcada pela expansão imensurável das rom-coms, além de ter colocado em voga várias atrizes bastante conhecidas na atualidade. E foi pensando nisso que Andrew Fleming resolveu dirigir o thriller sobrenatural Jovens Bruxas.

A história gira em torno de um grupo de quatro garotas unidas por tragédias que fazem um pacto de sangue e começam a desenvolver poderes incríveis, desde mudar o tom de cabelo até transformar-se em outra pessoa. Entretanto, as coisas saem do controle quando uma delas fica cega com essas habilidades, dando início a eventos horripilantes.

  1. Stardust – O Mistério da Estrela (2007)

Stardusté e sempre vai ser uma das melhores adaptações cinematográficas da extensa criatividade literária de Neil Gaiman. Comandado por Matthew Vaughn, o longa é ambientado no fictício reino de Stormhold e conta as aventuras do jovem Tristan (Charlie Cox) em busca de uma estrela-cadente (que, na verdade, é uma mulher) chamada Yvainne (Claire Danes).

Como se não bastasse a incrível química dos protagonista, Pfeiffer retorna ao gênero sobrenatural para encarnar a cruel e inescrupulosa Lamia, cujo principal objetivo é também encontrar a estrela para consumir seu coração e permanecer bela para sempre.

  1. A Bruxa de Blair (1999)

A Bruxa de Blair’ é um dos filmes mais importantes do cinema – e um que ousou novamente renovar as saturadas histórias de bruxas. Além de ter popularizado o nascente found footage e caído em controvérsias que hoje encaramos com certo teor cômico, o longa dirigido por Daniel Myrick e Eduardo Sánchez chocou o público por sua veracidade cênica e arrecadou quase 250 milhões de dólares nas bilheterias.

Ainda que, por convenção, a obra tenha envelhecido “mal” e não cause o mesmo espanto que causou na época, o que realmente nos envolve é o fato da antagonista-título aterrorizar os jovens cinegrafistas e nunca aparecer em cena, mas sim deixando para trás seus medonhos e caóticos rastros.

  1. Franquia Harry Potter (2001-2011)

Bom, é quase óbvio imaginar que a aplaudível franquia Harry Potter estaria aqui nesta lista – ainda mais porque o panteão arquitetado por J.K. Rowling é lar de centenas de milhares de bruxos.

Ambientado principalmente na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, os aclamados longas-metragens contam a história de Harry, Rony e Hermione, um trio de feiticeiros que se unem para combater o Lorde das Trevas Voldemort e seus aliados – e, à medida que crescem, vão descobrindo que os segredos acerca dessa interminável batalha são bem mais obscuros do que aparentam.

  1. Convenção das Bruxas (1990)

Convenção das Bruxas aterrorizou e até hoje aterroriza qualquer criança que ouse assistir ao filme, principalmente pelo proposital e grotesco design das vilãs. Entretanto, nossa paixão pelo longa vai além disso: a narrativa de Nicolas Roeg baseada no livro homônimo serve tanto como nostalgia para os adultos quanto como um manual com lições de moral para os mais jovens.

A história gira em torno de um menino e sua avó que devem enganar e destruir uma legião de bruxas que se mascaram de humanas para matar crianças – ou transformá-las em ratos. E, ainda que torçamos para que tudo dê certo, é quase impossível tirar os olhos de Anjelica Huston como a Srta. Eva Ernst.

  1. Suspiria (1977)

O oculto e transgressor Suspiria é um dos trabalhos mais adorados do diretor Dario Argento, e também um de seus mais atípicos e controversos. Desde a hipnótica sequência de abertura até a atmosfera fantasmagórica, a audiência se vê num beco sem saída cuja única alternativa é se deixar levar pela inebriante construção do longa-metragem.

Estrelada por Jessica Harper, a obra conta a história de Suzy, uma jovem americana que se muda para Fribourg para participar de uma prestigiada academia de dança. Porém, após perturbadores eventos deixarem-na em estado de choque, ela descobre que o lugar outrora era lar de uma poderosa bruxa.

  1. A Bruxa (2015)

O terror de arte comandado por Robert Eggers pode até traçar certos paralelos com A Bruxa de Blair’, mas ganha uma identidade única ao se basear em contos populares da Nova Inglaterra do século XVI.

Resgatando a atmosfera angustiante dos thrillers psicológicos ao mesmo tempo que arquiteta um tenso tour-de-force sobrenatural, A Bruxa gira em torno de uma família exilada de seu vilarejo que presencia fenômenos inexplicáveis e condenáveis, levando-os a cometer as maiores atrocidades em prol de sua fé.

  1. O Mágico de Oz (1939)

“Não há lugar como o nosso lar”.

É essa a premissa que move o vencedor do Oscar O Mágico de Oz. Baseado no livro homônimo de L. Frank Baum, a história de Dorothy dispensa apresentações, construindo um gigantesco legado de análise político-social que inspirou remakes, continuações, prequelas, musicais da Broadway e diversas outras releituras.

Porém, além de seu cunho artístico e revolucionário, a obra deu vida a icônicos personagens muito mais complexos do que imaginamos – inclusive a assustadora e vingativa Bruxa Má do Oeste.

Interpretada por Margaret Hamilton, a vilã de pele esverdeada aparentava não ter fraquezas e fez da vida de Dorothy o puro caos, mandando macacos voadores capturarem-na, enfeitiçando-a com papoulas entorpecentes e ameaçando matá-la até ser destruída por um simples balde d’água.



COMENTÁRIOS