quinta-feira, abril 18, 2024

Nostalgia! Conheça os Atores e Atrizes com MAIS INDICAÇÕES AO OSCAR na Década de 90!

Continuando nossa série de matérias sobre os atores com recorde no Oscar, agora chegamos aos anos 90. Na primeira matéria da série, demos uma olhada nos astros e estrelas com o maior número de indicações ao Oscar na querida década de 80. Sim, alguns deles ainda se mantém no topo da cadeia alimentar de Hollywood. Todos temos nossos atores preferidos, independente de premiações. Mas para quem gosta de cinema, é interessante notar quais atores são os mais conceituados na maior indústria da sétima arte no mundo: Hollywood.

Nessa seleta lista, podemos conhecer quais atores possuem mais reconhecimento de seus colegas e outros profissionais do meio. Ser lembrado para uma indicação no Oscar é a maior honraria que um ator pode almejar. Ainda mais quando não faz parte desta casta, como foi o caso com a nossa FernandonaFernanda Montenegro em 1999. Agora, imagina ser figurinha carimbada no Oscar, marcando presença ano após ano, década após década, com inúmeras indicações. Pensando nisso, damos continuidade agora com as estrelas e astros que colecionam o maior número de indicações, agora na década de 90. E não esqueça de conferir os da década de 80 no link. Veja abaixo.

Leia também: Nostalgia! Os Astros e Estrelas com Mais Indicações ao Oscar em filmes dos anos 80!

Meryl Streep – 4 Indicações

Postcards from the Edge (1990)

Meryl Streep é a atriz com mais indicações ao Oscar de todos os tempos. São mais de 20 nomeações de atuação. Então, é apenas natural que ela também esteja entre as mais indicadas das décadas em que esteve em atividade. Foi assim com os anos 80, em que teve o recorde com 6 indicações. E agora aparece também nos anos 90 – porém, com duas indicações a menos. A primeira nomeação de Streep naquela década foi como atriz protagonista por ‘Lembranças de Hollywood’, filme de 1990, que adapta as memórias de Carrie Fisher, a eterna Princesa Leia de ‘Star Wars’, e sua vivência com a mãe Debbie Reynolds. No filme, Streep vive a persona de Fisher.

Depois disso, Streep foi lembrada novamente pelo que é considerado um dos filmes mais românticos da década de 90, ‘As Pontes de Madison’ (1995), de Clint Eastwood. Depois veio o pouco conhecido ‘Um Amor Verdadeiro’ (1998), no qual vive a mãe de Renée Zellweger em um drama sobre câncer e família. Meryl Streep fecharia a década de 90 com a quarta indicação ao Oscar por um de seus filmes mais inusitados. Ela atua ao lado de Angela Bassett e da cantora Gloria Estefan em um drama musical dirigido por… Wes Craven! Isso mesmo, o diretor de ‘Pânico’ e ‘A Hora do Pesadelo’. Streep vive uma professora de música ensinando violino para crianças carentes.

Emma Thompson – 4 Indicações

Emma Thompson conta que ficou doente durante o Oscar

E se na década de 80, Meryl Streep reinou absoluta com 6 indicações, sem que qualquer outro intérprete chegasse perto, nos anos 90 pelo menos outros três artistas ficaram lado a lado com a musa em número de indicações. Quem chega primeira é a inglesa Emma Thompson, uma das grandes atrizes mundiais ainda em atividade. A primeira indicação ao Oscar da carreira de Thompson, seguida de vitória, sairia nesta mesma década, pelo drama de época de James Ivory, ‘Retorno a Howards End’ (1992).

Depois disso, Emma Thompson entraria para a seleta lista dos atores que foram indicados duas vezes no mesmo ano, por filmes diferentes. Na história do Oscar isso sempre ocorreu com o ator sendo lembrado como protagonista e como coadjuvante. Como protagonista, Thompson se reunia ao diretor James Ivory e ao ator Anthony Hopkins para mais um filme de época marcante: ‘Vestígios do Dia’ (1993). E como coadjuvante, viveu a advogada de Daniel Day-Lewis no drama político ‘Em Nome do Pai’ (1993). Thompson estava com tudo. Finalizando as indicações da atriz na década de 90, mais um filme de época, esse com roteiro adaptado pela própria. Trata-se de ‘Razão e Sensibilidade’ (1995), romance clássico baseado na obra de Jane Austen.

Não deixe de assistir:

Susan Sarandon – 4 Indicações

 

As mulheres estavam com tudo nos anos 90. Dos quatro recordistas de indicações, três foram atrizes talentosíssimas. A terceira que se junta ao trio é Susan Sarandon, a ruiva que chamou muita atenção nos anos 80 e 90 em cenas mais quentes no cinema. Sarandon chegou na década de 90 chutando a porta com ‘Thelma & Louise’ (1991), ícone feminista bem à frente de seu tempo, sobre duas mulheres dispostas a mudar suas vidas oprimidas pelos homens. Logo no ano seguinte seria lembrada de novo como a mãe de um menino com uma doença rara, no drama ‘O Óleo de Lorenzo’ (1992), no qual fez par com Nick Nolte.

Novamente como protagonista, a Academia lembrou de Susan Sarandon no thriller ‘O Cliente’ (1994), baseado no romance de John Grisham, no qual vive uma advogada idealista ajudando um menino a depor em um julgamento contra a máfia. E por fim, terminando as indicações de Susan Sarandon nos anos 90, a atriz finalmente seria premiada, com a vitória de melhor protagonista por ‘Os Últimos Passos de um Homem’ (1995), filmaço que joga uma luz na questão da pena de morte nos EUA, no qual a atriz vive uma freira responsável por consolar um sujeito no corredor da morte – papel de Sean Penn.

Anthony Hopkins – 4 Indicações

O único homem com o recorde de maior número de indicações nos anos 90, não poderia estar mais bem defendido do que o lendário Sir Anthony Hopkins – um dos poucos atores com duas estatuetas do Oscar de melhor protagonista. Hopkins estava na estrada há muito tempo, mas só foi reconhecido pela Academia ao viver seu personagem mais icônico, o sagaz psiquiatra Dr. Hannibal Lecter em ‘O Silêncio dos Inocentes’ (1991). Hopkins saiu daquela noite com a estatueta de melhor protagonista debaixo do braço.

Dois anos depois, o ator seria lembrado de novo para uma nomeação pela Academia pelo citado ‘Vestígios do Dia’ (1993), drama de época que o reuniu ao diretor James Ivory e à atriz Emma Thompson. Aliás, bem que Hopkins e Thompson poderiam fazer mais um filme juntos. Mais dois anos e mais uma indicação como protagonista. Desta vez, Hopkins precisou caprichar no sotaque americano para incorporar o mais polêmico presidente dos EUA, Richard Nixon, em ‘Nixon’ (1995), de Oliver Stone. Fechando os anos 90 para Anthony Hopkins com chave de ouro, veio sua primeira nomeação como coadjuvante pelo épico ‘Amistad’ (1997), de Steven Spielberg, que fala sobre a questão dos navios negreiros e dos escravos.

Al Pacino – 3 Indicações

Seguimos com a lista em um patamar abaixo agora. Passamos de atores com 4 indicações na década de 90 (que foi o máximo na época atingido), para uma nomeação a menos: três. O que ainda assim é impressionante. Afinal, aqui falamos de ninguém menos do que o monstro sagrado Al Pacino. Apesar de ser um dos maiores atores de Hollywood ainda em atividade, Pacino é também um dos maiores injustiçados pela Academia. Para começar que o lendário intérprete só tem uma estatueta do Oscar decorando sua casa. E ela saiu justamente nos anos 90. Mas não seria sua primeira nomeação em tal década.

Quando entrou nos anos 90, Al Pacino já tinha 5 indicações ao Oscar sem vitória. Sua primeira lembrança da Academia na década de 90 foi pela adaptação dos quadrinhos clássicos ‘Dick Tracy’ (1990), que foi a resposta da Disney para o sucesso ‘Batman’ (1989), da Warner. ‘Dick Tracy’ não fez o mesmo sucesso, mas Pacino recebeu indicação pelo papel do antagonista Big Boy Caprice como coadjuvante.

Dois anos depois, Pacino sentava ao lado de Emma Thompson como um dos poucos atores a ser lembrado para duas indicações no mesmo ano. A primeira seria como coadjuvante pela “peça filmada” ‘O Sucesso a Qualquer Preço’ (1992), e finalmente a tão merecida vitória pelo drama ‘Perfume de Mulher’ (1992), no qual viveu um militar cego linha dura.

Tom Hanks – 3 Indicações

Fechando a lista temos o bom-moço de Hollywood Tom Hanks. Quando chegou aos anos 90, Hanks já tinha uma nomeação ao Oscar como protagonista pelo clássico ‘Quero Ser Grande’ (1988). Você Sabia dessa? Mas a carreira do ator mudaria completamente com seu grande papel dramático em ‘Filadélfia’ (1993), no qual vive um advogado gay que se descobre morrendo de AIDS. Era o primeiro passo de Hanks a papeis mais sérios. E o ator entraria para a história como um dos dois únicos a vencer o Oscar de protagonista por dois anos consecutivos. No ano seguinte, Hanks emplacaria de novo no Oscar por ‘Forrest Gump’ (1994), seu filme mais popular.

Tom Hanks foi o grande nome dos anos 90 justamente por essas duas vitórias consecutivas no Oscar, o que o tornou também o ator mais bem pago de Hollywood na época. Mas não pararia por aí, pois fechando a década, Hanks ainda emplacaria uma nova indicação ao Oscar como protagonista por ‘O Resgate do Soldado Ryan’ (1998), de Steven Spielberg, superprodução que elevou a um novo nível o gênero “filme de guerra”.

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS