O Fim do Ciclo de X-Men na Fox: Saldo positivo ou negativo?

O Fim do Ciclo de X-Men na Fox: Saldo positivo ou negativo?



A compra da Fox pela Disney ainda não foi oficializada, porém já é algo certo de acontecer. Com isso, a franquia dos X-Men volta ao seu lar: A Marvel Studios. Desde 2000, foram 11 filmes lançados. Alguns amados, outros odiados. Há dois filmes produzidos pela Fox que chegarão aos cinemas, Fênix Negra e Os Novos Mutantes, porém já é possível fazer um balanço. Os X-Men foram bem representados pelo estúdio?

Há vários pontos a serem citados, que tal conferi-los?

– Deu o pontapé inicial ao sucesso de filmes de super-herói no século  👍

Talvez você tenha assistido recentemente X-Men 1 e X-Men 2 e não tenha achado grande coisa. Porém, o fato é que a franquia dos mutantes tem um papel fundamental no sucesso dos filmes de super-herói no século 21, muito por conta das produções citadas; Em 2000, X-Men chegou aos cinemas e revolucionou o sub-gênero. O índice de aprovação foi alto e mostrou que é possível fazer boas adaptações de quadrinhos.

Até então, não eram muito as referências de bons filmes de herói, tendo como representantes basicamente apenas os queridos Superman 1 e 2, com Christopher Reeve, e Batman, produzido por Tim Burton.

X-Men veio acompanhado de Homem-Aranha, do Sam Raimi, no início dos anos 2000 e, juntos, foram os responsáveis pelo primeiro boom de produções heróicas na virada do milênio.

– Imortalizou Hugh Jackman como Wolverine 👍

Aproveite para assistir:


O Wolverine é um show à parte nos filmes dos X-Men. Isso acontece muito por conta de Hugh Jackman. O ator incorporou muito bem o personagem e conquistou o coração dos fãs. Tamanho sucesso fez com que ele ganhasse produções solo para as telonas. Vai ser difícil imaginar assistir as histórias dos mutantes no cinema sem a presença de Jackman.

– Filmes bons 👍

É comum ver os filmes da Marvel Studios sendo idolatrados – com toda razão, diga-se de passagem – mas isso não quer dizer que a Fox tenha feito um mau trabalho com os X-Men. Sim, a franquia tem bons filmes, inclusive alguns melhores do que considerável parte das produções do MCU. É possível citar, por exemplo: X-Men 2, Logan, Deadpool e X-Men: Primeira Classe.

– Filmes ruins 👎

Por outro lado, também é fácil encontrar exemplos de filmes ruins dos mutantes. Entre eles, X-Men: Apocalipse e o tão odiado X-Men Origens: Wolverine.

– Não conseguiu alcançar uma fidelidade visual satisfatória 👎

Um grande sonho dos fãs era ver a equipe dos X-Men trajado de seus tradicionais uniformes, porém isso foi muito pouco visto. Nem mesmo o clássico traje de Wolverine foi utilizada nos filmes, embora os diretores tenham brincado com os fãs ao mostrarem o personagem segurando a roupa em um filme solo do personagem. Com tantos filmes sobre os mutantes, ficou faltando esse elemento e deixou um vazio no coração daqueles que sempre quiseram ver o uniforme clássico.

 

– Timeline confusa 👎

Ao pensar no universo dos X-Men na Fox, o primeiro ponto a vir à cabeça de muitos é a confusa linha do tempo dos filmes. Nunca de fato houve um reboot assumido e sim sendo feito por recursos – não tão bem executados – do roteiro. Isso virou até motivo de piada. Foi feito um malabarismo cinematográfico para justificar a união das diferentes gerações com X-Men: Dias de um Futuro Esquecido. Apesar de ser um filme querido por uma boa parcela dos fãs, a questão da linha do tempo em si permaneceu difícil de compreender.

 

– Atingiram um nível de excelência ao fugir dos padrões de filmes da Marvel 👍

Muito se fala sobre a famosa fórmula Marvel de fazer filmes. Aos olhos de muitos, toda obra cinematográfica envolvendo super-heróis tinha a mesma estrutura narrativa e de tom. E então veio a Fox com o pé na porta, lançou Deadpool (2016) e Logan (2017) e então jogou tudo isso pro alto. Ambos os filmes são aclamados por crítica e público, pois além de serem excelente por si só, fogem do clichê, adotam um tipo de roteiro diferente e mostram que, sim, é possível fazer ótimos filmes de heróis sem necessariamente seguir o padrão.

– Professor Xavier e Magneto muito bem representados 👍

Professor Xavier e Magneto são dois pilares das histórias dos X-Men. É essencial que os personagem sejam bem representados para que as histórias funcionem. E foi o que aconteceu. Duas vezes. Seja com os excelentes Patrick Stewart e Ian McKellen ou com os sensacionais James McAvoy e Michael Fassbender, os dois líderes tiveram um grande peso e foram muito bem trabalhados. As duas duplas são imunes a qualquer tipo de crítica que os filmes dos X-Men possam sofrer.

– Mística 👎

A segunda Mística, de Jennifer Lawrence, foi uma grande pedra no sapato. Provavelmente devido ao enorme sucesso da atriz, a personagem foi mais valorizada do que deveria e acabou ganhando um protagonismo que não era cabível, indo totalmente contra à essência do material original dos quadrinhos. Isso sem falar na regressão de qualidade da maquiagem a cada filme.

– Mercúrio 👍

Ao chegar na sala de cinema para assistir aos X-Men, uma das expectativas é clara: ver “a cena do Mercúrio”. Em cada filme, um divertido momento protagonizado pelo mutante velocista, que torna a cena um show à parte e chega até a virar meme. O espetáculo visual é muito agradável de acompanhar e faz com que o personagem do universo da Fox seja muito mais popular e querido que a adaptação do mesmo Mercúrio da Marvel Studios.

Conclusão

Mesmo com diversos problemas, o saldo é positivo. Os X-Men tiveram bons momentos durante seu ciclo na Fox e, apesar de muitos escorregões, conseguiu agradar ao público em várias ocasiões. A sua importância na revolução do gênero de produções cinematográficas de super-heróis, seja por X-Men 1 ou em Logan/Deadpool é inquestionável e agregou muito à história das adaptações em quadrinhos para as telonas.

Há muito o que corrigir e a torcida é que a Marvel Studios seja cirúrgica nos pontos citados agora que a equipe fará parte do MCU.

Ainda assim, alguns elementos dos X-Men vão deixar saudades.



COMENTÁRIOS