Opinião | A ganância da Disney complica o futuro do Homem-Aranha

Opinião | A ganância da Disney complica o futuro do Homem-Aranha



Conforme foi amplamente noticiado no último mês, o Homem-Aranha não faz mais parte do Universo Cinematográfico Marvel. O anúncio pegou os fãs de surpresa, até porque Homem-Aranha: Longe de Casa dava a entender que o Cabeça de Teia ocuparia um lugar fundamental no núcleo dos Vingadores na Fase Quatro. Com o fim do acordo que permitia sua interação com os heróis mais poderosos da Terra, Peter Parker volta a integrar seu universo, agora compartilhado com o Venom (Tom Hardy) e Morbius (Jared Leto).

Aranha segue com o futuro indefinido

Pelo lado da Marvel, há boatos de que a próxima grande saga teve de ser alterada. Segundo os rumores, a Fase Quatro adaptaria o arco Invasão Secreta, com ampla influência dos Skrulls e com a introdução de Norman Osborn. Sem poder usar os personagens do Aranha, a Marvel agora deve adaptar o arco Guerra Secreta, desenvolvendo dois dos maiores vilões da Casa das Ideias: Galactus, o Devorador de Mundos, e o Doutor Destino.

O motivo do fim do contrato é que a Sony, logicamente, queria manter o acordo original, enquanto a Disney queria lucrar mais. O contrato original firmado entre as empresas dava apenas 5% do valor da bilheteria dos filmes solo do Aranha para a Disney, enquanto a Sony embolsava os outros 95%, já que o personagem é propriedade sua. Falando assim, até parece injusto, mas a perspectiva muda se colocarmos no papel que a Disney tem os direitos sobre TODOS os produtos licenciados do Homem-Aranha. Ou seja, mesmo sem fazer filmes, o bolso do Mickey fica beeem cheio com o herói aracnídeo.

Homem Aranha em sua primeira aparição no MCU

Pois bem, quando Longe de Casa bateu a quantia do bilhão e se tornou o filme mais lucrativo da história da Sony, a Disney propôs renegociar o contrato, dividindo os lucros pela metade. A Sony não aceitou, obviamente, e ficou um climão. De forma completamente desleal, os executivos da Disney divulgaram o fim do acordo, sabendo da popularidade do herói e de como os fãs iriam reagir. Dito e feito! Em menos de 30 minutos, o Homem-Aranha e a Sony já eram os dois assuntos mais comentados do Twitter no MUNDO. Foi uma estratégia suja de negociar, porque os engravatados do Mickey envolveram os fãs para causar pressão popular na Sony, tentando fazer a outra empresa ceder. No mesmo dia, as ações da Sony apresentaram queda no Mercado e a situação complicou.

Peter seria um dos líderes dos Vingadores na Fase 4

Ao longo da semana, milhares de Bots (perfis fakes usados para promover conteúdo) foram encontrados xingando a Sony pelas redes sociais. Não é possível atribuir a culpa a Disney, porque são perfis que podem muito bem terem sido controlados por fãs – e vocês sabem como fãs se comportam quando são contrariados. Mas entra como consequência da estratégia de divulgar o fim do contrato. Sabemos como funciona o capitalismo e que o lucro vai sempre vir em primeiro plano, mas os mais inocentes (me incluo nessa galera) acreditavam que o Herói mais popular da Marvel poderia ter um tratamento diferenciado, com um pouco mais de carinho da Disney.

Parando para analisar, toda a introdução do herói no Universo Cinematográfico Marvel foi feita de modo a dificultar ao máximo a adaptação do Homem-Aranha feita unicamente pela Sony. Em compensação, Venom – que não é lá grandes coisas, mas diverte – foi pensado para poder integrar o UCM a qualquer momento. E isso também não foi feito porque a Sony é boazinha. A empresa também quer aumentar os lucros.

Aproveite para assistir:


Enfim, é uma briga de Gigantes Cinematográficos que querem aumentar seus lucros de qualquer forma. Mas como a Disney já lucrou rios de dinheiro apenas com a presença do Aranha nos seus filmes, e sabendo da importância do herói para seu futuro, a lógica é que a Disney cedesse nas negociações, não a Sony. É como se você tivesse uma caixa de bombom, desse um chocolate para o seu amigo e ele, não satisfeito, falasse pra todo mundo que você é egoísta porque não deu metade da caixa pra ele.

A Sony quer incluir o Venom no acordo com a Disney

Apesar de parecer absurdo, segundo o We Got This Covered, a Sony resolveu ceder e ofereceu um novo acordo para os executivos da Disney. No contrato, a Disney embolsaria 30% do lucro em bilheteria sobre filmes solo do Aranha e, em contrapartida, incluiria o Venom no Universo Cinematográfico Marvel. Parece pouco provável que a Casa do Mickey aceite, já que há uma pressão interna para que Kevin Feige ache logo um meio de introduzir os X-Men e o Quarteto Fantástico o mais rápido possível. Ou seja, por mais que a Sony queira continuar com a parceria e o próprio Tom Holland já tenha afirmado que vai continuar no papel, quem vai ter a palavra final é a Disney.

Só resta aguardar.

 

Homem-Aranha: De Volta ao Lar chega ao mercado de Home Video em Outubro de 2019.

 



COMENTÁRIOS