Os Melhores Filmes da Marvel que NÃO Pertencem ao MCU

Os Melhores Filmes da Marvel que NÃO Pertencem ao MCU


O Marvel Cinematic Universe (MCU) chegou ao seu ápice 10 anos após dar seu pontapé inicial. Vingadores: Guerra Infinita faz um sucesso homérico no mundo inteiro e se consolida como uma das maiores bilheterias de todos os tempos, com renda de 2 bilhões de dólares, atrás apenas de Star Wars: O Despertar da Força, Titanic e Avatar.

Heróis como Capitão América, Thor e Homem de Ferro tiveram filmes próprios e todas as histórias das obras da Marvel Studios pertencem ao mesmo universo. Algo que exige um planejamento ímpar e que foi feito de modo brilhante. Porém, além de toda esta rede interligada de produções cinematográficas, há outros filmes de super-heróis que não pertencem à Marvel no cinema. Como exemplos, as produções da Sony e da Fox.

Muito criticados de modo geral, há ótimos filmes que fogem à regra e são bons, inclusive superiores à vários do MCU. Se por um lado há desastres como o Quarteto Fantástico de 2015 ou X-Men Origens: Wolverine, por outro há produções muito bem feitas. Que tal conferir um ranking de melhores filmes?

7) Homem-Aranha (2002)




O Homem-Aranha de Sam Raimi foi um marco. Numa época em que os filmes de heróis ainda não estavam consolidados e haviam poucas referências de sucesso, a produção conseguiu arrecadar cerca de 820 milhões de dólares para um orçamento seis vezes inferior a isso. Mesmo com alguns defeitos como o visual do Duende Verde, Homem-Aranha é totalmente digno de elogios.

Destaque para a ótima perfomance de Willem Dafoe fazendo o papel do vilão. A caracterização do Spider é muito boa e o Peter Parker de Tobey Maguire cativa com seu carisma, mesmo que a personalidade do personagem não seja tão fiel ao material fonte nos quadrinhos. Até hoje, o Aranha de Tobey é o preferido de muitas pessoas.

6) Deadpool 2 (2018)

Deadpool 2 chegou recentemente aos cinemas, e é muito divertido. Porém, longe de chegar ao nível do primeiro, lançado em 2016. Se o Deadpool de dois anos atrás foi transgressor e totalmente diferente de tudo que já havíamos visto, sua sequência caiu em sua própria fórmula e não apresentou nada de muito brilhante. A expectativa foi um fator de peso, tal qual ocorreu com o filme de Guardiões da Galáxia e sua sequência.

Ainda assim, Deadpool 2 é engraçado, tem ótimas referências e muitos momentos divertidos. A cena pós-créditos é absolutamente épica e talvez a mais memorável de todas as obras cinematográficas de super-heróis. Destaque também para a boa participação da Domino e, obviamente, o brilhante Ryan Reynolds como Deadpool. A relação do personagem com o Colossus e todo seu (não) envolvimento com os X-Men funciona e foi bem explorada na produção.

5) X-Men: Primeira Classe (2011)

X-Men: Primeira Classe foi um filme surpreendente e passou por um processo inverso ao de Deadpool 2. Seu material de divulgação foi ruim e pouco se esperava da produção. Ao ser lançado, em 2011, muitos elogios.

A história se passava em uma linha cronológica diferente ao que o público dos X-Men estava habituado e o elenco era composto por diversos personagens desconhecidos de um modo geral. Foi uma produção muito arriscada, visto que não contava com seus principais nomes e ainda assim deu certo. As críticas foram boas e os dois atores/perosnagens principais foram totalmente aprovados por público e crítica. O Magneto de Michael Fassbender e o Professor Xavier de James McAvoy foram ótimos pontos altos da obra cinematográfica.

4) X-Men 2 (2003)

Quando ainda nem se sonhava com MCU e Hugh Jackman ainda não era o ícone como atualmente, X-Men 2 foi lançado em 2003 dando sequência ao bom filme dos mutantes para os padrões da época. Mesmo os uniformes originais fazendo falta, X-Men 2 foi uma ótima produção e  explorou o arco do Wolverine e seu passado de modo exímio. O orçamento foi de 110 milhões de dólares e a bilheteria de 407 milhões. Números impressionantes considerando a escassez de filmes do gênero no início dos anos 2000. A Fox realizou um grande acerto.

Além de Logan, a Mística de Rebecca Romjin e os sempre excelentes Patrick Stewart e Ian McKellen no papel de, respectivamente, Professor Xavier e Magneto, foram um show à parte. A criticar, além dos uniformes, a fraca relevância de Ciclope na história.

3) Homem-Aranha 2 (2004)

Um ano após X-Men 2, veio mais uma continuação: Homem-Aranha 2. O que era bom, ficou ainda melhor. A trilogia de Sam Raimi foi muito bem aceita por público e crítica, e teve seu ápice no segundo filme. Com uma arrecadação de 783 milhões de dólares, Homem-Aranha 2 chegou com tudo e teve como maior destaque o vilão Dr. Octopus (Alfred Molina).

Além de lidar com o Doutor, Peter Parker também sofreu com a falta de poderes e seu (não) relacionamento com Mary Jane. O filme desenvolve também o crescimento de Harry como Duende Macabro. Tudo feito de modo satisfatório e fluído, ao contrário do que ocorreira mais tarde em Homem-Aranha 3.

Homem-Aranha 2 e a trilogia como um todo foram marcantes e atingiram mesmo aqueles que não são considerados nerds. Filmes muito importantes para o pseudo-gênero de Super-Heróis e que até hoje valem a pena assistir.

2) Deadpool (2016)

Deadpool é um filme com uma importância homérica na indústria cinematográfica. É uma produção transgressora e que se deslocou do padrão de obras de heróis, que vinha causando um certo cansaço no público. Com uma estrutura muito diferente do habitual e o chamativo fato do personagem título quebrar a quarta parede, Deadpool foi marcante por diversos motivos, entre eles, ter uma classificação indicativa de 18 anos (nos EUA, 16). Uma atitude muito corajosa e que foi um grande diferencial. Ponto para a Fox.

Assim, a violência poderia ser explorada, como a linguagem do protagonista. Deadpool é um filme único, com ótimas referências e conta com o carisma impressionante de Ryan Reynolds, que parece ter nascido para viver o Mercenário Tagarela.  O feito é ainda mais impressionante se considerarmos que o personagem não era tão popular se comparado com, por exemplo, o Homem-Aranha, os X-men ou os Vingadores.

1) Logan (2017)

Assim como Deadpool, Logan chegou para fugir do padrão e ser diferente de tudo aquilo que fora apresentado nos últimos anos. É até difícil estabelecê-lo como um “filme de herói”, pois seu tom está longe de ser característico do gênero. Tecnicamente ótimo, com uma boa trilha e fotografia, Logan foi a despedida justa e merecida de Hugh Jackman no papel de Wolverine.

Outro ponto importante e que enriqueceu o filme foi a ótima presença e atuação de Patrick Stewart como Professor Xavier e a notável X-23 (Dafne Keen). Pegando carona em Deadpool, também se utilizou de classificação 18 anos para que o público pudesse ver o que sempre quis: Wolverine matando violentamente e fazendo sangue jorrar por todo lado. Logan conta uma boa história e tem uma conclusão agridoce e marcante. Um merecido fim a um personagem tão querido.





Inscreva-se em nosso canal e receba conteúdo exclusivo » http://goo.gl/mPcJ5c