Presidente da Warner Bros. está sendo investigado por assédio sexual

Presidente da Warner Bros. está sendo investigado por assédio sexual



WarnerMedia iniciou profundas investigações depois que seu presidente e CEO, Kevin Tsujihara, foi acusado de avanços sexuais impróprios contra uma atriz com quem mantinha um caso.

De acordo com centenas de mensagens de texto trocadas entre Tsujihara, a atriz Charlotte Kirk, o diretor e produtor Brett Ratner e o bilionário australiano James Packer, Tsujihara e Kirk se conheceram em 2013 através de Packer, e então desenvolveram uma espécia de relacionamento. Kirk pressionou o CEO a ajudá-la a conseguir trabalhos dentro da Warner Bros. e, quando Kirk sentiu que não estava adquirindo tantas oportunidades quanto as que havia sido prometida, Ratner tomou iniciativa para retificar a situação, oferecendo a ela um acordo por escrito que nunca foi assinado.

À epoca em que introduziram Kirk a Tsujihara, Packer e Ratner estavam negociando 450 milhões de dólares para financiar os estúdios Warner.

Depois de dezenas de audições dentro da companhia, Kirk ganhou dois papéis como coadjuvante – em Como Ser SolteiraOito Mulheres e Um Segredo. Ratner disse ao site The Hollywood Reporter que Kirk era apenas uma amiga e que ele estava ajudando-a a conseguir trabalho.

Kirk também fez uma declaração à parte, dizendo que nenhum dos homens envolvidos havia feito coisas inapropriadas. Nas mensagens de texto vazadas, entretanto, ela aparentemente acusou Ratner e Packer de usarem-na para fechar um negócio entre a Warner e a produtora RatPac.

“Kevin nunca me prometeu nada”, Kirk disse em entrevista à Variety.

Aproveite para assistir:


O acordo, enfim, foi fechado, mas à medida que se aproximava de sua renovação em 2018, Tsujihara se recusou a assinar os papéis, em grande parte devido às alegações de assédio sexual que Ratner recebeu, manchando sua reputação. Pelo menos 11 mulheres, incluindo as atrizes Olivia MunnNatasha Henstridge, acusaram Ratner por uma variedade de ofensas, como má conduta, toques inapropriados e sexo oral forçado.

Logo depois, Ratner foi demitido da parceria com a Warner e também deixou a New Line. Em 2017, os estúdios em questão também aproveitaram o momento para investigar Tsujihara, mas não encontraram vestígios de abuso de poder ou assédio sexual. Entretanto, a última leva de mensagem forneceu uma nova perspectiva para os eventos, levando os responsáveis pela investigações a um novo inquérito.

“Através de seu porta-voz, a atriz publicamente negou qualquer impropério durante suas audições, e nossas investigações não encontraram evidências contrárias”, um representante da WarnerMedia disse. “Entretanto, quando recebemos novas alegações, é costumeiro que voltemos a analisar as práticas de conduta dos envolvidos. E é o que estamos fazendo aqui”.



COMENTÁRIOS