Shazam! | Conheça todas as adaptações em live action do herói que é o novo Sucesso dos Cinemas

Shazam! | Conheça todas as adaptações em live action do herói que é o novo Sucesso dos Cinemas


Shazam!, nova superprodução da Warner, já se tornou um dos maiores sucessos deste início de ano pelo mundo. Em sua segunda semana de exibição, o longa já soma mais de US$220 milhões, e se prepara para ultrapassar as bilheterias de filmes como Nós, Vidro e Dumbo nos próximos dias.

Se continuar neste caminho, Shazam! pode vir a se tornar uma das produções mais rentáveis de 2019.  Mas o novo filme protagonizado por Zachary Levi e dirigido por David F. Sandberg não foi a primeira adaptação do herói para as telas. De fato, Shazam, ou Capitão Marvel (como era conhecido antes), foi o primeiro super-herói dos quadrinhos a ganhar uma produção audiovisual com atores reais – antes mesmo de grandes ícones como Batman e Superman.

Como forma de homenagear este grande sucesso divertido, o CinePOP resolveu trazer para você uma lista com todas as adaptações para as telas do herói feitas ao longo dos tempos. Vem com a gente conhecer.

As Aventuras do Capitão Marvel (1941)

Aproveite para assistir:



Como dito acima, o personagem dos quadrinhos criado por C.C.Beck e Bill Parker ainda na década de 1930, foi o primeiro super-herói que migrou para as telas, antes mesmo de Batman e Superman – a ideia da adaptação chegou a ser levada para a National Periodical Publications (hoje, conhecida como DC Comics), mas a empresa recusou a oferta dos produtores. Assim, a proposta foi levada à Fawcett Comics (dona dos direitos de Shazam na época) e seu mais popular personagem.

A produção, no entanto, não foi um longa-metragem (se nas décadas seguintes até o fim dos anos 1970 isso ainda era uma proposta arriscada, imagina em 1940) e como a TV só viria a realizar sua primeira transmissão em 1954, a opção foi por uma ideia diferente. Na era de ouro do cinema, era comum exibirem seriados, com episódios de poucos minutos, antes da atração principal. Um conceito parecido com os trailers que temos hoje. A cada semana, um novo episódio ia ao ar – o que muitas vezes atraía um público específico somente para eles. Vendo o sucesso da empreitada, logo personagens como Batman (1943), Superman (1948) e Capitão América (1944) ganharam suas exibições em matinês também.

Foram produzidos pela Republic Pictures um total de 12 episódios, que variam de 16min. a 30 min. de duração – somando quase 4 horas de exibição. Como não existia cor na época, o traje vermelho icônico do herói precisava ser azul ou cinza durante as gravações, para atingir o efeito desejado em preto e branco. A trama central era a mesma, com o pequeno Billy Batson (Frank Coghlan Jr.) sendo o escolhido para se transformar no poderoso Capitão Marvel (Tom Tyler) ao repetir a palavra Shazam. O vilão do seriado era o misterioso Escorpion.

Shazam! (1974)

A década de 1970 viu um verdadeiro boom na popularização dos super-heróis na TV – tudo iniciado por Batman e Robin, o seriado camp ainda na década de 1960 (1966-1968).  Assim, a infância de toda uma geração recebia séries como Mulher Maravilha (1975-1978), Homem-Aranha (1977-1979) e O Incrível Hulk (1978-1982), por exemplo. Novamente, Shazam foi pioneiro ao dar o pontapé inicial para a época, seguindo diretamente na esteira do Homem-Morcego.

O seriado Shazam! fez sucesso e durou três temporadas, produzido pela Filmation, de 1974 a 1977. Com episódios de meia hora, o espírito original do personagem era mantido, ainda mais fiel aos quadrinhos do que o seriado de matinê da década de 1940. Aqui, a série assumia suas tintas de HQ, com direito aos Deuses do Olimpo dando conselhos ao herói. O menino Billy Batson foi vivido pelo ator Michael Gray e o herói adulto foi interpretado por Jackson Bostwick durante a primeira temporada. No início da segunda, Bostwick foi substituído pelo ator John Davey, que permaneceu como o herói até o encerramento da série. O motivo foi que Bostwick queria aumento de salário e se ausentou do programa alegando uma lesão. Por ser uma série voltada ao público infantil, os produtores deduziram que a troca não seria notada.

Nesta época, o título Capitão Marvel já não podia ser utilizado pela DC – a rival Marvel havia se apropriado da marca. Assim, todos os títulos do herói agora tinham por decisão legal que se chamar Shazam. O herói, no entanto, poderia continuar com sua alcunha. Outra curiosidade é que o “menino” Billy Batson exibia idade avançada no seriado, se encaixando mais como um adolescente quase adulto e não como uma criança entrando na adolescência. O ator Michael Gray, que vivia o personagem, já tinha 23 anos quando o programa estreou na TV.

Igualmente produzida pela empresa Filmation, a série solo da heroína Isis foi ao ar entre 1975 e 1976, num total de 2 temporadas. Assim como Shazam, a série da heroína foi precursora na TV, precedendo sucessos como Mulher Maravilha (1975) e A Mulher Biônica (1976) – programas no mesmo estilo protagonizados por mulheres fortes. Isis foi criada para o programa, porque a Filmation não queria arcar com os custos de pagar os direitos autorais pela personagem Mary Marvel – mas desejava uma super-heroína para seguir no sucesso de Shazam. Por serem produzidos pelo mesmo estúdio, Shazam e Isis realizavam eventuais crossovers entre suas séries.

Legends of the Superheroes (1979)

Quase como uma lenda urbana, este especial de TV foi dividido em dois episódios – e basicamente sumiu no limbo. Hoje, se tornou um item raro e cult. Produzido pela Hanna-Barbera, o especial de 1h40min. de duração (somando os dois episódios) foi a tentativa de reproduzir o desenho animado Superamigos em versão live action. Assim, heróis como Batman, Robin, Capitão Marvel, Lanterna Verde, Canário Negro, Gavião Negro, Flash, Átomo e a Caçadora davam as caras, e enfrentavam vilões como Solomon Grundy, o Charada, Sinestro, Giganta e Dr. Silvana.

Batman, Robin e o Capitão Marvel já haviam tido seus próprios programas em 1966 e 1974, mas somente Adam West (Batman) e Burt Ward (Robin) reprisaram seus respectivos personagens. O Capitão Marvel, ou Shazam, desta vez era vivido pelo ator Garrett Craig, seu terceiro intérprete até então. Além deles, o ator Frank Gorshin voltou a interpretar o vilão Charada, do seriado da década de 1960. Em sua biografia, o icônico Adam West disse ter se arrependido de participar da produção, devido à baixa qualidade da obra, que deixou tudo com grande ar de amadorismo.

Dois dos maiores heróis da casa, Superman e Mulher-Maravilha, não puderam aparecer no especial. Superman acabava de iniciar sua bem sucedida carreira nos cinemas com Superman – O Filme (1978), e a Mulher-Maravilha, nas formas de Lynda Carter, igualmente estava no auge da fama de sua série própria (1975-1979).

Shazam! (2019)

Apesar de ter aparecido anteriormente em carne e osso em produções audiovisuais, o primeiro longa-metragem para o cinema do herói Shazam demorou nada menos do que 90 anos desde sua criação nos quadrinhos. No meio de uma era de revolução nos efeitos especiais, e da popularização máxima dos super-heróis (são hoje a fonte mais rentável dos cinemas), surge a primeira aventura do personagem nas telonas.

Interpretado por Zachary Levi, acostumado a papéis cômicos na TV, Shazam! tem uma pegada humorística muito forte, não se leva a sério e homenageia os clássicos aventurescos da década de 1980. Esse toque é o grande diferencial do filme dirigido por David F. Sandberg, cineasta saído do cinema de horror.

O sucesso do longa já garantiu sinal verde para sua sequência, e assinou novamente com o roteirista Henry Gayden do primeiro filme para escrever a continuação. O motivo de tanta pressa? Os adolescentes de 16 anos estão crescendo!

Shazam! está em cartaz nos cinemas pelo mundo. E você, já assistiu?


Inscreva-se em nosso canal e receba conteúdo exclusivo » http://goo.gl/mPcJ5c