Will Smith do Pior ao Melhor | Ranqueamos TODOS os filmes do Astro

Will Smith do Pior ao Melhor | Ranqueamos TODOS os filmes do Astro



Will Smith está em cartaz atualmente nos cinemas pelo mundo com ficção científica de ação Projeto Gemini, dirigido por Ang Lee. Um dos maiores astros de Hollywood, Smith começou sua carreira na série de comédia cult Um Maluco no Pedaço (Fresh Prince of Bel Air, 1990-1996).  Daí foi um pulo para estrelar seu primeiro filme como protagonista: Os Bad Boys (1995), de Michael Bay, que mostrou que o ator poderia se comportar bem no gênero policial e da ação também.

Mas foram os anos seguintes que o consolidaram como o Sr. 4 de Julho – um dos grandes nomes do cinema blockbuster da década de 1990 (Independence Day e MIB: Homens de Preto). 24 anos desde sua estreia nas telonas como protagonista, e o ator vem mantendo seu nome relevante, à frente de produções milionárias, ainda carregando um grande público aos cinemas.

Além de Projeto Gemini, Smith lançou a nova versão de Aladdin este ano – no qual interpretou o gênio da lâmpada (e se mostrou um enorme sucesso), e em breve irá estrear a animação Um Espião Animal (emprestando sua voz ao protagonista). Ano que vem chega Bad Boys Para Sempre, terceira parte da franquia que o colocou no mapa.

Pensando nisso, como forma de homenagem a este carismático astro, o CinePOP resolveu encarar uma empreitada audaciosa e listar TODOS os filmes de Will Smith do pior ao melhor. Serão levados em conta 24 dos seus filmes (em homenagem aos 24 anos como astro) – todos os longas que protagonizou, contando desde o citado Os Bad Boys (1995). Mesmo depois de famoso, Smith fez participações especiais em certas produções (algumas inclusive de forma surpresa), que não serão levadas em conta na lista (como Tudo por um Furo, continuação de O Âncora, e Um Conto do Destino). Vem conhecer e coloque abaixo na sua ordem.

Obs: Nossa lista usou como base as notas dadas pelo grande público no IMDB – o maior site de cinema da internet – tornando assim o ranking mais democrático possível.

24 | Depois da Terra (2013)

Aproveite para assistir:


Baseado no conceito da Cientologia sobre enfrentar seus medos, esta ficção científica nasceu de um sonho de Will Smith, que capitalizou em cima da ideia e tentou catapultar a carreira de seu pouco carismático filho, Jaden Smith. De quebra ainda arrastou o talentoso M. Night Shyamalan como diretor de aluguel. Na trama, passada no futuro, pai e filho caem num planeta inóspito, repleto de animais perigosos de grande porte, somente para descobrir se tratar da Terra – o pior lugar do universo.

23 | As Loucas Aventuras de James West (1999)

Nesta época Will Smith era invencível, acertando um blockbuster atrás do outro. Este longa serviu para dar um choque de realidade e humildade no astro, e é considerado sua primeira grande bomba. Baseado numa série western da década de 1960, o projeto reuniu o astro e o diretor de MIB (Barry Sonnenfeld). A ideia, que não funcionou, foi transformar um faroeste numa superprodução, com direito a aranhas mecânicas gigantes – que dizem ter sido recicladas pela Warner de um filme do Superman que nunca saiu do papel, e seria dirigido por Tim Burton, com Nicolas Cage no papel principal.

22 | Esquadrão Suicida (2016)

Vocês sabiam que ele iria chegar mais cedo ou mais tarde. Aqui, Smith divide a culpa com um elenco estelar. Uma adaptação ousada da DC/Warner, focada em vilões e não heróis. E o erro foi justamente transformá-los em personagens bonzinhos demais e que não correspondiam ao planejado. Smith é uma das melhores coisas na pele do Pistoleiro, um sujeito que não erra nunca seu alvo.

21 |O Espanta Tubarões (2004)

Sabemos que uma animação não foi bem quando ela não rende uma continuação, afinal o gênero é propício a isso. Aqui, talvez a ideia tenha sido “adulta” demais para os pequenos, falando sobre um tubarão que se recusa a matar – e traçando paralelos com o mundo da máfia, inclusive incluindo em seu elenco de dubladores dois ícones do gênero: Robert De Niro e o diretor Martin Scorsese. Além deles, Jack Black, Angelina Jolie e Renée Zellweger emprestam suas vozes aos personagens.

20 | MIB: Homens de Preto II (2002)

O principal pecado do segundo MIB foi estar tão desesperado em replicar o sucesso do original, que criou uma cópia carbono. E para isso formulou um roteiro preguiçoso que desfez toda a conclusão poética do primeiro. Aqui, arrumam uma forma de trazer Tommy Lee Jones de volta, para repetir a química original, e se desfazem de Linda Fiorentino num piscar de olhos. Mesmo sendo o mais fraco da trilogia original, ainda consegue ser um longa relativamente divertido.

19 | Bright (2017)

Primeiro filme da Netflix, atual colosso do audiovisual, estrelado por Will Smith. E também o único até o momento (embora a continuação já esteja anunciada). Aqui, o astro repete a parceria com David Ayer, diretor de Esquadrão Suicida, num filme mais coeso e menos inchado. Na trama, Smith interpreta um policial numa realidade de fantasia, na qual criaturas mitológicas andam e convivem entre os seres humanos.

18 | Hancock (2008)

Antes de aderir ao gênero dos “filmes de super-heróis” com Esquadrão Suicida, Will Smith já havia tirado sarro deste tipo de obra, numa era antes do império da Marvel. Até então os heróis estavam distribuídos entre estúdios, e assim Hancock surgia, criando seu próprio universo particular, sobre um super-herói relutante, beberrão e incorreto. As reviravoltas não desceram redondo na garganta de muitos – mas são as partes mais interessantes, dramáticas e emocionantes do blockbuster – se comportando como sua alma.

17 | Golpe Duplo (2015)

Aqui, Will Smith atua pela primeira vez ao lado da beldade australiana Margot Robbie, parceria esta que a dupla iria repetir no ano seguinte com Esquadrão Suicida. Como foi muito alardeado na mídia na época, é dito que a Smith e Robbie ficaram tão próximos e íntimos durante a dobradinha dos longas, que o fato começou a incomodar a esposa do astro, Jada Pinkett. Na trama, Smith vive um golpista profissional que treina sob sua asa a novata vivida por Robbie. O filme conta ainda com nosso conterrâneo Rodrigo Santoro.

16 | Os Bad Boys II (2003)

Os Bad Boys não foi apenas o primeiro filme de Smith como protagonista, como foi também o primeiro filme dirigido por Michael Bay. Muito mais contido em seu início de carreira, quando foi a época de comandar a continuação de seu primeiro longa, Bay já estava em plena forma megalômana, fazendo do filme um “épico da ação”. Mais longo, mais caro e inchado, esta continuação é como se o filme original tivesse tomado esteroides.

15 | Hitch – Conselheiro Amoroso (2005)

Nem só de filmes de ação vive o astro Will Smith. E aqui, o ator tentava algo novo em sua carreira: uma comédia romântica. Na época, o filme fez um enorme sucesso, por mostrar justamente outro lado do versátil ator. Na trama, ele vive um homem cuja especialidade é dar dicas para outros (geralmente muito tímidos) conquistarem as mulheres de seus sonhos.

14 | Lendas da Vida (2000)

Ao longo de sua carreira, Will Smith fez questão de se cercar de diretores talentosos em seus filmes. E isso foi um investimento do ator logo de começo. Assim, em seu primeiro drama depois de ter se tornado um astro, Smith fez questão de trabalhar com Robert Redford na direção. No drama sobre esportes, o ator interpreta um guru de golfe diferente, um mendigo que é basicamente um ser místico.

13 | Beleza Oculta (2016)

Melodrama no melhor sentido da palavra, este filme traz Will Smith como um empresário deprimido pela morte de sua pequena filha. A depressão é o tema desta longa que mistura uma pretensa fantasia e todo o clima lacrimoso de uma obra de natal. Como forma de terapia, ele escreve cartas para entidades como a morte, o amor e o tempo – que se “materializam” para confrontá-lo.

12 | Ali (2001)

Dirigido por Michael Mann, foi daqui que saiu a primeira indicação ao Oscar para Will Smith. Projeto dos sonhos para o ator, ele se modifica para viver o boxeador real e lenda norte-americana – importantíssimo para a cultura negra – Cassius Clay, vulgo Muhammad Ali.

11 | MIB: Homens de Preto III (2012)

Diferente da segunda parte, que tentou duplicar o sucesso do original xerocando-o, esta terceira parte das aventuras dos agentes J e K decide investir na criatividade, adicionando novos elementos ao seu roteiro. O principal deles é a viagem no tempo – item nunca apresentado neste universo até então. O artifício é bem-vindo e dá espaço para o desempenho inspiradíssimo do talentoso Josh Brolin, recriando a juventude do personagem de Tommy Lee Jones.

10 | Os Bad Boys (1995)

Poucos atores se tornam astros em tão pouco tempo. Isso prova que a estrela de Will Smith estava realmente destinada a brilhar. Foram três participações anteriores em filmes e uma série de TV, e logo Smith já estava no centro do filme de ação policial Os Bad Boys – que marcava também a estreia de Michael Bay como diretor de cinema. Um dos principais buddy cop movies da década, o longa inovava ao apresentar dois parceiros negros – e muito diferentes. Ao lado de Smith, o hilário Martin Lawrence garantia muito do humor da obra.

09 | Independence Day (1996)

Se Os Bad Boys começou a carreira de Smith como protagonista no cinema com o pé direito, Independence Day cimentou seu nome como astro. A maior bilheteria de 1996, e uma das maiores da década (a quinta para ser preciso), este filme foi importante para elevar os blockbusters a outro patamar de magnitude. E de quebra trouxe de volta o interesse do público aos filmes de invasão alienígena grandiosos – saídos diretamente dos anos 1950. Curiosamente, Smith voltou para as continuações de Bad Boys e Homens de Preto (dois dos três filmes que construíram sua carreira), mas se recusou a retornar para a sequência de Independence Day dez anos depois. Ao invés, ele lançou Esquadrão Suicida. Fez certo?

08 | Um Homem Entre Gigantes (2015)

Will Smitth também tem seu lado dramático nas telas. Filmes como Lendas da Vida (2000), Ali (2001) e Beleza Oculta (2016) mostraram diversas facetas do alcance performático do ator. E é exatamente o que ele entrega com esta atuação baseada numa história real. Aqui, o ator interpreta o médico Bennet Omalu, descendente de nigerianos, cuja pesquisa provou que a concussão (título original do filme) recorrente que os jogadores de futebol americano sofrem na cabeça (mesmo com o capacete) provoca danos irreversíveis ao cérebro. É claro que seus estudos o colocaram em colisão com a indústria de tal esporte. Na época, Smith boicotou o Oscar por não ter sido indicado, numa premiação que ficou conhecida como Oscar So White – onde apenas atores brancos estiveram nomeados.

07 | Aladdin (2019)

O filme mais novo a fazer parte da lista – e numa posição de destaque. Smith estava precisando de um grande sucesso nesta nova fase de sua carreira e ele veio exatamente deste filme que havia sido muito criticado quando exibiu suas primeiras imagens. Smith deixou a descrença dos fãs de lado e entregou uma atuação enérgica como o gênio da lâmpada, fazendo jus à interpretação imortal de Robin Williams – que deu “vida” ao personagem na animação de 1992.

06 | Eu, Robô (2004)

Igualmente divertido, tenso e recheado de ação, este longa tem direção do visionário Alex Proyas, de obras cult como O Corvo (1994) e Cidade das Sombras (1998).  O longa usa como gancho o livro seminal de Isaac Asimov, uma das maiores autoridades quando o assunto é robótica e inteligência artificial. Na trama, passada no futuro do ano de 2035, Smith interpreta um policial que não é nem um pouco fã do mundo moderno e seus seres artificiais dotados de inteligência. E quando um dos androides sai do controle e mata um ser humano, ele entra numa jornada de mistério até descobrir toda a verdade por trás do fato.

05 | Eu Sou a Lenda (2007)

Outra produção de Smith baseada numa obra clássica da literatura, que cria um novo mundo distópico e é recheada de mistério e tensão. Esta, inclusive, mais voltada ao terror. Baseado no livro de Richard Matheson, esta é a terceira adaptação para o cinema do conto, após Mortos que Matam (1964) e A Última Esperança da Terra (1971). Aqui, Smith é o último sobrevivente na Terra após uma epidemia que dizimou a população, transformando grande parte dos seres humanos em criaturas descerebradas e assassinas – basicamente zumbis. Como médico, só ele pode encontrar a cura.

04 | Inimigo do Estado (1998)

Quarto filme da carreira de Will Smith, após ter se tornado um astro, e o primeiro com um teor um pouco mais sério. Este é um thriller de espionagem, que usa como referência grandes obras do gênero, como A Conversação (1974), por exemplo. Não por acaso, o filme traz o grande Gene Hackman (aposentado desde 2004)  no elenco. Dirigido pelo saudoso Tony Scott, o filme tem Smith como um advogado metido no meio de uma conspiração governamental, que envolve assassinatos e a máfia.

03 | MIB: Homens de Preto (1997)

O primeiro Homens de Preto é um resumo de tudo o que Will Smith representa. Diversão, qualidade, grandes nomes envolvidos, momentos um pouco mais sérios e dramáticos, e em resumo: uma superprodução. Esse foi o terceiro passo da consagração do astro para escrever seu nome em definitivo na constelação de Hollywood. Tudo começou com Os Bad Boys, seguiu para Independence Day e atingiu o ápice aqui. O filme é baseado em uma HQ obscura e fez tanto sucesso que gerou duas sequências diretas e uma série animada (1997-2001). Este ano, a franquia ganhou seu primeiro “derivado”, com novos agentes (vividos por Chris Hemsworth e Tessa Thompson) assumindo o protagonismo.

02 | Sete Vidas (2008)

Este drama lacrimoso e excessivamente melodramático é o vice-campeão da filmografia de Will Smith na opinião do grande público. O grande segredo por trás desta obra é a reunião do astro com o diretor italiano Gabriele Muccino. O resultado, no entanto, está mais para Beleza Oculta do que para a primeira parceria da dupla (que será revelada em breve). Na trama, Smith interpreta um homem dono de um passado trágico, que decide mudar a vida de sete pessoas desconhecidas, ajudando-os em suas dificuldades.

01 | À Procura da Felicidade (2006)

Para termos uma lista mais democrática, geralmente procuramos dar voz ao grande público, mesmo que tais listas nem sempre reflitam a opinião deste que vos escreve. Por exemplo, se dependesse unicamente de mim, Beleza Oculta ocuparia um dos últimos postos da lista, lá atrás próximo a Esquadrão Suicida, e Sete Vidas jamais estaria ranqueado na segunda posição. Bem, com isso podemos afirmar que o grande público adora um dramalhão. Mas ao contrário dos itens citados, não tem como discordar desta primeira posição. À Procura da Felicidade, primeira parceria entre Will Smith e o italiano Gabriele Muccino, é o melhor filme da carreira do ator e o que traz seu melhor desempenho no cinema. Não por menos é o filme que trouxe sua segunda e (até o momento) última indicação ao Oscar. E a entrega do ator é genuína e emocionante.

Ao contrário dos itens citados acima, dramas que carregam na pieguice e no tom surreal – almejando algo mágico –, À Procura da Felicidade capricha no drama sim, mas mantendo os dois pés no chão. A história fala sobre um homem dando tudo de si pela oportunidade do sucesso profissional, mesmo que este pareça muito distante de sua realidade, ao mesmo tempo em que precisa criar o filho pequeno (seu próprio filho Jaden) sozinho, ao ter sido abandonado pela esposa.



COMENTÁRIOS