Em 1968 a população da Baía de São Francisco, EUA, foi aterrorizada por um serial killer. Um assassino conhecido pelo nome de Zodíaco que enviava aos jornais cartas cheias de escárnio. Escrita em códigos, as cartas traziam ameaças e detalhes sobre as vítimas. O rastro de destruição causado pelo Zodíaco não atingiu apenas suas vítimas, mas também a vida de quatro homens que prejudicaram suas carreiras e saúde em busca de um assassino que nunca foi capturado pelas autoridades.

Robert Graysmith (Jake Gyllenhaal) seria um destes homens. Cartunista no jornal São Francisco Chronicle, Graysmith estava na sala, por acaso, quando o editor do jornal recebeu a primeira carta do Zodíaco. Desde aquele momento, ele se tornaria obsessivo em desvendar o caso. Mas sua chance viria mais tarde, quando os inspetores do Departamento de Homicídios da Polícia de São Francisco, Dave Toschi ( Mark Ruffalo) e Bill Armstrong (Anthony Edwards), afastaram-se do caso por motivos adversos, assim como o conceituado repórter criminalista do Jornal, Paul Avery (Robert Downey Jr.).

Dirigido por David Fincher, cineasta de Se7en – Os Sete Pecados Capitais, obra que se tornou um marco no gênero, Zodíaco é um filme narrado em um tom quase documental com passagens assustadoras, que apenas Fincher consegue criar. As cenas em que ele retrata alguns dos assassinatos são sombrias, diretas e cruas. Clima que o diretor impõem baseando-se na sua própria experiência. Na época dos assassinatos, Fincher, então com sete anos, viu seu ônibus escolar ser escoltado por carros da polícia de sua casa à escola.


Narrado sob o ponto de vista do cartunista e não do assassino, o filme traz grandes atuações, principalmente, as de Robert Downey Jr., como o talentoso jornalista em declínio de carreira por problemas de saúde. Como em todas suas atuações, Downey Jr. consegue ser original e criativo, destacando-se em papéis pequenos, mas que se tornam marcantes.

Aproveite para assistir:

Para os cinéfilos mais árduos que não se contentarem com as duas horas e meia do filme e quiser maiores detalhes sobre o caso, a editora Nova Conceito, em parceria com a Warner Bros, lança no mesmo dia em que o filme entra em cartaz, o livro de Robert Graysmith. Publicado originalmente na década de 80, a obra já vendeu mais de 4 milhões de exemplares. São 416 páginas de textos detalhados, que apresenta cada assassinato registrado pela polícia, o teor completo das cartas do assassino, assim como as mensagens em códigos enviadas para os veículos de comunicação. Os depoimentos prestados pelas vítimas que sobreviveram aos ataques, a descrição das vestimentas do assassino, seu retrato falado, o cartão de ameaça que o repórter Paul Avery recebeu do Zodíaco, todos estas pequenas informações pesquisadas por Graysmith durante 20 anos, estão na obra.

O filme que recebeu elogios dos críticos na última edição do Festival de Cannes, estreia nesta sexta-feira, dia 1º de junho, nos cinemas do país.

Site Oficial : —

Crítica por: Viviane França


Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE