Crítica | Águas Rasas

Crítica | Águas Rasas

COMPARTILHE!

É muito difícil um ator estrelar sozinho uma produção e ser bem sucedido. Um dos pouco casos que conhecemos é o fenomenal Tom Hanks em ‘Náufrago’, que lhe rendeu um Oscar de Melhor Ator.

Quando ‘Águas Rasas’ foi anunciado, muita gente ficou com o pé atrás. Blake Lively iria ficar sozinha praticamente todo o tempo em tela, e algumas pessoas torcem o nariz para sua atuação desde os tempos de ‘Gossip Girl’.

Em ‘Águas Rasas’, ou ‘Serena van der Woodsen decide surfar’, Lively não só prova ser uma ótima atriz como também consegue levar todo o filme nas costas. Se em ‘Náufrago’ temos Tom Hanks e o Sr. Wilson, aqui temos Blake Lively e a Gaivota.




aguasrasas_1

Na trama, a atriz interpreta Nancy. Após perder a mãe para um câncer, ela decide abandonar a faculdade de medicina e viajar para o México, para conhecer uma praia deserta que sua mãe visitou enquanto estava grávida dela. Abandonada pela amiga cachaceira, ela decide ir sozinha ao local de difícil acesso, e cai no mar para surfar.

Quando é atacada por um tubarão branco e encurralada a poucos metros de distância da praia, Nancy precisa correr contra o tempo e usar tudo que aprendeu na faculdade de medicina para tentar sobreviver.

Com uma história simples e uma atriz em tela o tempo todo, o filme consegue entreter em seus 87 minutos de projeção. O diretor Jaume Collet-Serra, que já havia mostrado sua genialidade em ‘A Órfã’, aproveita a belíssima paisagem para fazer passagens de câmera aquáticas e áreas, criando uma ambientação incrível que nos leva para dentro da tela.




Aliado à fotografia belíssima do filme, a beleza estonteante de Lively transforma a experiência cinematográfica em um deleite visual.

Águas Rasas - CinePOP

A maneira como ele trabalha a personalidade da protagonista também é notória, com fotos do passado e conversas no celular com o pai e irmã sendo mostradas na tela, enquanto ele nos prepara para o ataque iminente.

Apesar de entregar grande parte de suas melhores cenas nos trailers e clipes, ‘Águas Rasas’ ainda guarda algumas novidades para os telespectadores, como um final extremamente forçado, mas que cai perfeitamente bem no que o filme se propõe: nos aterrorizar.

Águas Rasas’ vem para provar que não é necessário muito para fazer um ótimo filme, com uma trama enxuta e cenas de suspense vão te prender na cadeira de cinema… e ficar morrendo de medo de entrar no mar novamente.

Curta nossa ENTREVISTA com a Nina Dobrev:


» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «