Crítica | Divertida Mente

Crítica | Divertida Mente

COMPARTILHE!

Desde 2006, com o lançamento de ‘Carros (Cars) nos cinemas, a Pixar Animation Studios apresentava ao público um animado por ano nos cinemas. Todos temos que concordar, que ano passado (2014), sentimos um vazio com o estúdio não lançando nada nas telonas. Quase dois anos depois do lançamento de ‘Universidade Monstros (Monsters University), que estreou em junho de 2013, a Pixar estreia esse fim de semana seu novo longa e prova que a espera valeu a pena e que ela continua trazendo as melhores e mais criativas histórias.

Acompanhamos toda a produção e seus problemas durante os últimos meses e ficava difícil imaginar um grande filme quando saiu a primeira sinopse de ‘Divertida Mente‘ (Inside Out), que falava apenas que o filme contaria a história das emoções que vivem dentro da cabeça de uma garotinha que acabou de ter sua vida totalmente bagunçada quando seus pais e ela tem que mudar de cidade.

divertidamente_8




Pela segunda vez  tive que morder minha língua (a primeira vez foi com Toy Story 3 que virou meu filme Pixar favorito) e confessar que o animado é uma delicia, um dos melhores já lançados pelo estúdio e que vale todos os elogios que estão sendo feitos por todos os críticos que já viram a animação e também pelo público que teve a chance de já conferir esse animado que precisa ser visto.

Vamos começar por partes. Antes do filme começar, como de costume, somos apresentados ao novo curta-metragem de animação Lava (Lava), que conta a história de um vulcão chamado Uku, que passa sua vida cantando uma canção havaiana de amor. Na trama deste curta musical, Uku buscará seu amor entre as águas do oceano que cercam as ilhas havaianas, mas será que essa história terá um final de feliz? Longe dos deliciosos curtas da Pixar como O Guarda-Chuva Azul, Presto, La Luna, Pular, A Banda de Um Homem Só e O Jogo de Geri, Lava acaba se tornando apenas mais um bom curta, que fica apagado comparado ao filme que começa logo em seguida.

divertidamente_6

Depois de sucessos nos cinemas como Monstros S.A. e UP – Altas Aventuras, Pete Docter acerta mais uma vez e nos apresenta uma história original que além de entreter, divertir e emocionar, consegue nos trazer várias reflexões sobre nossa vida e também trazer boas lembranças do passado, com um sentimento gostoso nostálgico que só a Pixar consegue fazer. Além de personagens, que vão fazer vocês se apaixonarem por ele e querem todos em casa.




Na trama, vamos conhecer uma jovem garotinha chamada Riley, que passa por diversas emoções ao deixar toda a sua vida para trás e partir do Centro-Oeste dos EUA, para San Francisco, quando seu pai começa um novo emprego. Um problema que muitos devem ter vivido ou você que nunca deixou sua casa na infância, já teve que passar por mudanças drásticas que acabaram bagunçando seus sentimentos.

Dentro da cabeça da garotinha, temos cinco personagens que vocês vão se apaixonar, a Alegria (Amy Poehler, na voz original), o Medo (Bill Hader, na voz original), a Raiva (Lewis Black, na voz original), o Nojinho (Mindy Kaling, na voz original) e a Tristeza (Phyllis Smith, na voz original). Eles vão ajudar a garotinha a lidar com as mudanças, problemas do dia-a-dia e um grande problema que todos passamos cedo ou tarde, o medo de estar crescendo.

divertidamente

Embora a Alegria, a emoção principal e mais importante de Riley, tenta manter as coisas positivas, o conflito de emoções dentro da garotinha vai mostra a melhor forma de navegar numa nova cidade, casa e na escola. O filme vai te fazer chorar de rir, pensar na sua vida também e claro, emocionar do jeito que a Pixar sabe fazer. Então, já prepara o lenço, pois você vai precisar.

No Brasil, a Disney escalou um time de comediantes para dublar as emoções de Riley, sendo que Otaviano Costa (voz do Medo), Léo Jaime (voz da Raiva) e Miá Mello (voz da Alegria) acabam se saindo muito bem no trabalho de dublagem e Dani Calabresa (voz do Nojinho) e Katiuscia Canoro (voz da Tristeza) acabam fazendo um trabalho abaixo, já que a dublagem das propagandas e comerciais com os profissionais de dublagem eram muito melhores. Vale lembrar, que o trabalho de Calabresa e Canoro não estragam o animado, como aconteceu em Enrolados (Tangled), como todos devem lembrar, mas claro, o animado podia ficar melhor com outras escolhas para dar voz aos personagens.

Podem falar mal, mas mesmo com apenas uma fala, o cantor e ator Sidney Magal arrasou como a voz do piloto carioca, que quase namorou com a mãe de Riley. Essa é a terceira vez que o cantor dubla, já tendo dublado animações como Happy Feet: O Pinguim (1 e 2) e o vilão de Meu Malvado Favorito 2, onde em ambos Magal provou que além de bom cantor, ele também sabe dublar.

divertidamente_7

Bem colorido (o que vai agradar as crianças), com um ótimo 3D e com uma história encantadora (que promete entreter aos adultos e as crianças igualmente), Divertida Mente (Inside Out) é um dos melhores animados do estúdio e principalmente é o melhor animado lançado este ano até agora. Com certeza, o filme parte na dianteira na corrida das premiações e já falo, seria um forte candidato até mesmo para concorrer a uma indicação ao Oscar de melhor filme, pois o animado merece todos os elogios que vem ganhando, pena que ainda role um preconceito enorme com as animações nestas premiações.

Queria destacar um personagem que pouco foi falado durante a campanha de divulgação do animado, mas o amigo imaginário de Riley, um elefante rosa que tem o corpo feito com algodão doce e vive numa parte da cabeça da garotinha onde são criadas todas as suas imaginações. Além disso, você vai conhecer como são feito os nossos sonhos e por que aquela música chiclete volta a sua mente sempre que você achou já ter esquecido dela.

divertidamente_5

Você não vai se arrepender de ficar 1h30 nos cinemas vendo o novo longa da Pixar e garanto, você, seus filhos, sua família e/ou seus amigos vão voltar a ser criança no cinema, vão querer ver novamente o animado mais de uma vez e vão ter que se segurar para não comprar todos os brinquedos que trazem as emoções estampadas nas lojas. Eu mesmo, confesso, que já estou louco para rever o animado e já fui em uma loja de brinquedos essa semana e fiquei me segurando para não comprar os cinco personagens para ter aqui em casa.

Fica a dica, fique vendo Divertida Mente (Inside Out) durante os créditos finais, pois você confere uma divertida cena que vai fazer muita gente dar ótimas risadas e sair da sala de cinema com aquele sorriso gostoso na cara. O animado que você precisa ver e até rever nos cinemas nessas férias.

Curta nossa ENTREVISTA com a Nina Dobrev:


» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «