Recentemente aqui no CinePOP publicamos uma lista com o que de melhor irá passar pelas telas cariocas durante o maior evento da sétima arte no Brasil, no Festival do Rio 2018. Mas também havíamos prometido uma nova lista focada nas produções nacionais – cada vez mais encorpadas em nosso cinema.

25 Filmes Imperdíveis do Festival do Rio 2018

E como promessa é dívida, preparem-se para anotar nossas dicas com os longas brasileiros que mais prometem chamar atenção do público durante o evento.



Morto Não Fala

O Brasil tem apostado muito no cinema de gênero, entre eles o terror. Depois da estreia do fantástico As Boas Maneiras no Festival do ano passado, temos o celebrado Morto não Fala fazendo as honras deste ano. Estrelado por Daniel de Oliveira (que está tendo um 2018 maravilhoso, entre Aos Teus Olhos e 10 Segundos para Vencer), o filme apresenta a rotina aterrorizante de um funcionário de necrotério. Já pudemos conferir o filme de antemão, durante o Fantastic Fest deste ano e você pode ver a crítica abaixo.

Crítica em Vídeo | Morto Não Fala – O Terror nacional que me fez VOMITAR…

O Grande Circo Místico

O filme de encerramento do Festival do Rio deste ano é a nova obra do veterano Cacá Diegues. O prestígio não é pouco, já que o filme foi o escolhido para representar o Brasil numa possível vaga no Oscar de produção estrangeira – mesmo debaixo de protesto de muitos. A história poética ao longo das décadas, apresenta uma família de artistas lutando para seguir à frente do circo do título.

Aproveite para assistir:





A Sombra do Pai

A diretora Gabriela Amaral Almeida marcou presença em 2018 com seu visceral conto gore O Animal Cordial. Agora, a cineasta segue pelo caminho do cinema de gênero, despontando como forte representante do thriller moderno/ terror de nosso cinema. Na trama, uma relação disfuncional nasce entre pai e filha, quando o progenitor se vê doente e incapaz de cuidar de sua cria. Assim, a menina Dalva (Nina Medeiros) precisa assumir as funções e se tornar a responsável pela casa e pelo pai. Veremos quais plot twists a diretora preparou.

Sequestro Relâmpago

Um dos crimes mais praticados em nosso país se torna tema do novo filme da diretora Tata Amaral. Na trama do suspense, a atriz Marina Ruy Barbosa interpreta uma jovem vivendo uma noite fatídica, após ser sequestrada por dois rapazes e feita de refém a madrugada adentro. No elenco, fazendo participações, o músico Projota e a atriz trans Linn da Quebrada.

Cine Holliúdy 2 – A Chibatada Sideral



Continuação da comédia de sucesso de 2012, escrita e dirigida por Halder Gomes. O primeiro longa, com ares de Cinema Paradiso tupiniquim, apresentava a ameaça do advento da TV para o cinema local em uma pequena cidade brasileira na década de 1970. Depois disso, a dupla formada pelo diretor Gomes e o protagonista Edmilson Filho se aventurou pelo cinema de artes marciais com O Shaolin do Sertão (2016). Desta vez, a trama ganha ares de Ed Wood. Com a chegada do videocassete, o Cine Holliudy fecha as portas, forçando o protagonista a produzir um filme sobre invasão alienígena, a fim de arcar com suas despesas.

Deslembro

Atualíssimo e polêmico, o filme da mostra competitiva tem grandes chances de sair com o prêmio máximo do evento justamente devido ao seu tema. Na trama, a adolescente Joana (Jeanne Boudier) se exila em Paris devido a época da ditadura militar no Brasil – que fez seu pai de refém torturado como prisioneiro político. Passando a vida toda no país europeu, ela resolve voltar à sua terra natal depois de muitos anos, numa dolorosa viagem ao passado.

Simonal

Mais um filme do gênero que é sucesso garantido em nossa terra aporta no Festival do Rio. Simonal é a biografia do cantor Wilson Simonal, um lendário artista que encantou plateias nas décadas de 1960 e 1970. Quem interpreta o músico nas telas é Fabrício Boliveira. Um a curiosidade é que o ator recobra a parceria com Isis Valverde, com quem protagonizou Faroeste Caboclo (2013) – baseado numa canção imortal da banda Legião Urbana.

Intimidade Entre Estranhos



Dirigido por José Alvarenga Jr. (Antes que Eu me Esqueça), o longa narra a trajetória de Maria, papel da bela Rafaela Mandelli, uma jovem que se muda para o Rio de Janeiro a fim de ficar próxima ao marido, um ator contratado para uma série de TV. Apesar de estarem na mesma cidade, Maria segue sentindo-se sozinha e distante, até que na equação entra Horácio, um vizinho. Por essa premissa, sentimos reflexos de Encontros e Desencontros (2003), de Sofia Coppola, no longa nacional.

Nóis por Nóis

Novo filme do diretor Aly Muritiba, que este ano lançou o impactante Ferrugem. Novamente abordando o universo de jovens, o cineasta agora relata quatro histórias vividas por diferentes personagens dentro de um baile de RAP. E como suas subtramas irão se intercalar.

Domingo

A talentosíssima Camila Morgado é o chamariz deste drama dirigido por Clara Linhart e Fellipe Barbosa, que narra as desventuras de duas famílias do interior gaúcho durante um almoço – no que emergem segredos. Tudo ocorre com a eleição à presidência de Lula no Brasil em 2003.


Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE