10 Filmes de TERROR para você assistir na Netflix nesta Sexta-feira 13

10 Filmes de TERROR para você assistir na Netflix nesta Sexta-feira 13



Sexta-feira 13. Para muitos, a sexta-feira é noite para se comemorar. Para os cinéfilos e aficionados por terror, ela melhora quando marca o dia 13. Pensando nisso, aqui no CinePOP resolvemos criar uma lista para melhorar a sua noite e, por que não, o seu fim de semana também. Vem com a gente conhecer – todos os filmes podem ser encontrados na Netflix.

Confira nossas 10 dicas:

Verônica

O longa do diretor Paco Plaza, conhecido pela memorável franquia ‘[REC]’, tem uma trama bem genérica até, inspirada em um relatório real da polícia de Madri sobre um caso paranormal ocorrido em 1991: uma jovem brinca com magia oculta em um tabuleiro de Ouija, visando se comunicar com seu falecido pai, porém faz contato com um espirito demoníaco de plantão e acaba trazendo-o para sua casa, tendo então que proteger seus irmãos da terrível entidade. ‘Verónica’ não chega a ser um “pós-horror cabeça”, mas satisfaz com a simplicidade. Na escola de James Wan, o diretor Paco Plaza fez até o dever de casa.

Ouija – A Origem do Mal

Quando um filme de terror faz sucesso, a sequência é sempre uma certeza. E não seria diferente com ‘Ouija – O Jogo dos Espíritos‘, que foi lançado em 2014 e arrecadou US$ 103,5 milhões mundialmente. Como o primeiro filme não agradou a crítica, o estúdio teve uma sábia decisão de realizar uma pré-sequência que não tem conexão nenhuma com a história do anterior, tendo como único link a casa em que o primeiro filme se passa. E pasmem: ‘Ouija – Origem do Mal’ (Ouija: Origin of Evil) é um filme de terror divertidíssimo e repleto de bons sustos e cenas sinistras.

Aproveite para assistir:


O principal acerto desse novo filme está em seu diretor. Enquanto o primeiro filme foi dirigido pelo inexperiente Stiles White em seu primeiro trabalho, esse é comandado pelo ótimo Mike Flanagan, que tem conquistado Hollywood com elogiados filmes como ‘O Sono da Morte’, ‘Hush: A Morte Ouve’ e ‘O Espelho’.

Um Drink no Inferno

Ano que vem o diretor Quentin Tarantino lança mais um filme: Era uma Vez em Hollywood. Quem quiser conhecer mais a fundo sua carreira, deve assistir a este filme único, que aborda a temática de vampiros de uma forma diferente. Escrito por Tarantino (que também protagoniza o longa ao lado de George Clooney) e dirigido por Robert Rodriguez, Um Drink no Inferno começa como road movie de sequestro e termina como um banho de sangue num bar.

Mama

O palhaço Pennywise atualmente está nos cinemas com a sequência de It: A Coisa. Então que tal um filme marcando a primeira parceria do diretor Andy Muschietti com sua estrela Jessica Chastain? Aqui, a atriz, portando uma peruca de madeixas curtas e pretas, vive uma roqueira que precisa tomar conta de duas meninas órfãs. A pegadinha é que as meninas chegam com um presente à tira colo: a entidade conhecida como Mama.

Terror em  Silent Hill

Uma das melhores adaptações de game para os cinemas. Terror em Silent Hill é um filme de terror psicológico dirigido por Christophe Gans, que conta a história de uma misteriosa doença de uma criança, uma mãe desesperada e uma cidade sinistra e deserta, envolvida em névoa, contaminada por segredos. O filme ganhou uma sequência extremamente inferior ao original, que passou batido nos cinemas.

Cam

Cam (Cam) é um surpreendente suspense que nos remete a alguns episódios do seriado inglês Black Mirror (2011-). A analogia é possível porque o filme, escrito por Isa Mazzei, aborda o trabalho de garotas se expondo na internet em busca de admiradores e contribuintes do seu show particular online, uma mistura de strip-tease e salas de bate-papo. O grande trunfo deste suspense é o roteiro bem coordenado e surpreendente, estimulador de um pensamento crítico sobre os próximos passos da humanidade em relação à internet. Além disso, Cam deve sua ousada narrativa à interpretação fabulosa da jovem Madeline Brewer.

Brinquedo Assassino 2

Voltar aos clássicos de tempos em tempos é necessário, por mais que a plataforma ofereça cada vez mais novas produções de qualidade do gênero. Brinquedo Assassino (1988) foi um enorme sucesso, justamente por subverter a fórmula dos filmes slasher ao apresentar um serial killer aprisionado através de magia negra dentro de uma figura inofensiva, um boneco sensação que todas as crianças almejavam ganhar na época. Com o sucesso, é claro que o sinal verde foi dado para a continuação. Desta vez, a história coloca o menino Andy, sobrevivente do primeiro, na casa de pais adotivos para um segundo round com o brinquedo Chucky. Quem rouba a cena aqui é Christine Elise na pele da rebelde Kyle, a irmã adotiva de Andy. O final na fábrica de bonecos é inesquecível.

O Bar

Voltando para obras mais recentes, o espanhol Álex de la Iglesia é um diretor que você precisa conhecer. Suas produções são tão bem trabalhadas, ao ponto de não ficarem devendo nada para as hollywoodianas. O cineasta foi responsável, por exemplo, por Balada de Amor e Ódio (2010) e As Bruxas de Zugarramurdi (parte do acervo Netflix por muito tempo). No criativo O Bar, tido como um dos melhores lançamentos da plataforma no ano passado, um grupo de desconhecidos bem diferentes fica preso dentro de um bar em Madrid. Iglesia também está em cartaz na Netflix com a comédia Perfectos Desconocidos, sobre um grupo de amigos num jantar descobrindo coisas uns dos outros das quais nunca imaginaram.

Corrente do Mal

Todo elogio é pouco para esta obra, e toda chance que tivermos de enfiar este terror numa lista, pode ter certeza de que o faremos. Uma das melhores coisas a acontecer no gênero nos últimos anos, Corrente do Mal é a inspirada criação de David Robert Mitchell que brinca e homenageia produções da década de 1970 e 1980, como Halloween de John Carpenter, enquanto dá seu recado mais que direto sobre o medo trazido pelas DST – a analogia é muito bem traçada. Corrente do Mal, no entanto, não é apenas brincadeiras e homenagens e sobressai como filme próprio de gelar a espinha. Uma noite romântica se transforma num pesadelo e Maika Monroe, a protagonista, brilha.

Creep

Se você prefere um terror mais intimista misturado com suspense gélido de um thriller, todo filmado no estilo de um documentário, a série Creep é a pedida. O primeiro filme, de 2014, apresenta um cinegrafista arrumando trabalho nos classificados, no qual precisa seguir e filmar um sujeito por um dia numa casa nas montanhas. Ao chegar no local, começa a perceber que seu contratante não é exatamente como ele pensava. Creep 2, de 2017, também faz parte do acervo Netflix.



COMENTÁRIOS