10 grandes séries com ótimos finais

10 grandes séries com ótimos finais




Ainda no clima do final de Game of Thrones, muita gente começou a debater a experiência de se despedir de uma série querida. Para muitos, não tem jeito. Há um gosto amargo e a chance de se decepcionar é muito grande. Mas nem sempre…

Após nossa lista de “10 ótimas séries com péssimos finais”, o CinePOP decidiu mostrar para vocês que nem tudo é tragédia. E que tivemos sim várias séries memoráveis com ótimos finais.

Confira nossa lista completa! E não deixe de participar através dos comentários. Qual final de série você curtiu mais?

BREAKING BAD


Aproveite para assistir:


Não é por acaso que Breaking Bad é considerada uma das melhores séries de TV da história. Com poucas oscilações, ela foi praticamente perfeita do início ao fim. Em 29 de setembro de 2013, foi ao ar o último episódio da série, chamado “Felina”. O capítulo representou a transição final de Walter White, de um mero professor de química em um criminoso com sede pelo poder. Podemos ver Walter admitindo se sentir bem com as coisas ruins que fez. Sua morte era inevitável. Ao mesmo tempo, tivemos uma espécie de redenção, na medida em que ele não parte sem antes salvar a vida de Jesse.

SIX FEET UNDER

Six Feet Under é uma janela para a bela e perturbada mente do produtor e criador Alan Ball. Original, inteligente e sem medo de assumir riscos, Ball simplesmente matou todos os seus personagens no final da série. Exibido no dia 21 de agosto de 2005, o episódio “Everyone’s Waiting” começa com um nascimento, com se mostrasse que a vida continua. Eis que chegamos até o instante final… através de uma montagem de flashfowards, a série retrata o que aconteceu na vida de todos os seus protagonistas, até o momento de suas mortes. E nem todo mundo teve uma morte pacífica. Tivemos vítima de tiro e mais de um ataque cardíaco. Uma experiência pra lá de chocante para o espectador.

FRIENDS

Sabemos que há muito debate sobre o final de Friends, especialmente sobre a decisão de Rachel em deixar o emprego dos sonhos em Paris para ficar com Ross. Mas devemos sim reconhecer que a série soube como acabar, e que não faria muito sentido termos outro final que não fosse os seis amigos deixando juntos a tela, na medida em que descem as escadas do apartamento de Monica. E, para quem ficou dez anos investindo no ship Ross & Rachel, não dava mesmo para imaginar um final em que eles terminassem separados. Sem contar que tivemos muitos outros pontos altos no episódio, como Phoebe ajudando Ross, Joey comprando novos patinhos e pintinhos, e, é claro, o nascimento dos gêmeos de Monica e Chandler. Dividido em duas partes, “The Last One” foi exibido no dia 6 de maio de 2004.

MAD MEN

No dia 17 de maio de 2015, foi ao ar o episódio “Person to Person”, encerrando uma jornada de sete temporadas e infinitos prêmios de Mad Men, cultuada série da HBO criada por Matthew Weiner e estrelada por Jon Hamm, Elisabeth Moss e companhia. O final da série dividiu o público por oferecer mais perguntas do que respostas, mas era difícil mesmo imaginar algo catártico na despedida de personagens tão complexos. Ao final, acompanhamos Don Draper meditando em busca de paz/respostas em um centro de tratamento. Várias interpretações cabem diante do ato final do personagem. Ele pode ter encontrado paz, sim, mas também pode apenas ter tido uma grande ideia para um novo projeto. É algo aberto, que mantém a série no subconsciente dos fãs.

THE SOPRANOS

Família Soprano foi outra série da HBO cujo final dividiu opiniões. Ainda assim, marcou presença na nossa lista. A série estrelada pelo eterno James Gandolfini chegou ao fim de forma abrupta e sem respostas. Ao final do episódio “Made in America”, exibido no dia 10 de junho de 2007, acompanhamos Tony em uma lanchonete com A.J., Meadow e Carmella. O mafioso se mostra preocupado toda vez que o sino colocado na porta do restaurante toca. O capítulo acaba com o sino tocando uma última vez, e a tela ficando preta. Se Tony foi morto por um assassino que chegou no local, não sabemos. Mas uma coisa é certa: ele fica num estado permanente de medo e ameaça. O criador David Chase conseguiu uma forma de deixar o espectador tão tenso quanto seu protagonista. O que é fascinante.

THE LEFTOVERS

A maioria dos finais presentes nesta lista oferecem opções pouco tradicionais, com elementos que surpreenderam o público. Mas nenhuma série foi tão ousada quando The Leftovers. “The Book of Nora”, que foi ao ar no dia 4 de junho de 2017, é todo passado décadas após a linha do tempo principal da série. Acompanhamos Nora Durst (Carrie Coon) morando em um local recluso, mas sendo descoberta por Kevin Garvey (Justin Theroux). O reencontro dos dois gera momentos belíssimos, ainda que a beleza esteja mesmo na ausência de certezas, por mais que respostas sejam sugeridas. No fim, o que fica é o amor e a parceria dos dois.

PARKS AND RECREATION

Parks and Recreation é mais uma série a optar por flashfowards para contar sua história final. O foco, é claro, está na ascensão política de Leslie Knope (Amy Poehler), eleita governadora de Indiana e, na sequência, Presidente dos Estados Unidos (embora isso seja uma sugestão). Mas o melhor é que todos os personagens ganham seu espaço para brilhar – até o Jerry. O episódio duplo “One Last Ride” foi exibido originalmente no dia 24 de fevereiro de 2015.

THE AMERICANS

A série de espionagem estrelada por Matthew Rhys e Keri Russell sempre tratou de questões envolvendo pátria e família. E isso, é claro, não ficou de fora do series finale START”, exibido em 30 de maio de 2018. No episódio derradeiro, acompanhamos Philip e Elizabeth fazendo planos para deixar os Estados Unidos e retornarem para a União Soviética. A decisão dos protagonistas é colocar à prova na medida em que são obrigados a abandonar amigos e seus filhos. Ao final, nos despedimos desta bela série ao som de “With Or Without You”, do U2.

THE WIRE

The Wire teve algumas poucas escorregadas ao longo de suas cinco temporadas e foi mais uma série a oferecer um final marcante para seus fãs. Exibido no dia 9 de março de 2008, o episódio “30” não quis saber de poupar os espectadores. A verdade é que a série sempre focou em uma realidade dura, com debates sobre dependência, tráfico de drogas, corrupção policial e muito mais. Embora alguns personagens tenham tido seus finais felizes, como Tommy Carcetti (Aidan Gillen) sendo eleito governador, a verdade é que a maioria deles não terminou bem. A mensagem, é claro, é que essa guerra contra as drogas deve ser jogada de outra forma. Ao final, a verdade é que ninguém vence essa luta e The Wire deixa isso bem claro.

THE OFFICE

The Office teve problemas em suas duas últimas temporadas, realizadas já sem a presença de Steve Carell como Michael Scott. No entanto, é impossível não destacar e se emocionar com o episódio “Finale”, exibido em 16 de maio de 2013. O episódio reúne todos nossos queridos personagens acompanhando o casamento de Dwight (Rainn Wilson) e Angela (Angela Kinsey). Com direito a uma participação especialíssima de Carell, que ainda faz uma de suas piadas “that’s what she said”. É impossível não se emocionar com essa despedida. Que é tudo que The Office tem de melhor. Divertido e tocante.


COMENTÁRIOS