O ano passou rápido e, embora eu estivesse animado para uma nova temporada de AHS, honestamente nem percebi quando começou. Mas diferente da antecessora ‘’Asylum’’, a nova temporada ‘’Coven’’ começou com um ritmo vagaroso, porém audacioso.

Logo na primeira cena, vivida na New Orleans de 1834, já dá para sentir o espírito de AHS. Uma mulher horrenda, assustadora e fria, mais conhecida como Madame LaLaurie (vivida pela talentosa Kathy Bates), utiliza o sangue extraído de sua coleção de escravos como uma espécie de tratamento antirrugas. Kathy Bates encarna tão bem o papel de vilã que é impossível não lembrar de sua personagem Annie em Louca Obsessão, papel que lhe rendeu o Oscar de Melhor Atriz e um Globo de Ouro em 1990.

Somo levados então a um passeio em um sótão cheio de escravos, cada um com uma mutilação pior que a outra, e quando as coisas já parecem bem ruins, eis que ela cria um Minotauro, colocando a carcaça da cabeça de um touro sobre a cabeça de um de seus escravos. Após esta cena, fica bem claro que esta mulher não tem salvação. E assim como a personagem de Jessica Lange (irmã Jude) em “Asylum”, a personagem de Kathy Bates também existiu na vida real, portanto,em algum ponto desta temporada, podemos esperar uma punição severa para ela.


Já nos dias atuais, conhecemos Zoe Benson (Taissa Farmiga), que descobre possuir a habilidade de matar homens ao fazer sexo com eles. Digamos que ela seja uma versão sangrenta da personagem Vampira dos X-Men. Após acidentalmente matar o namorado, Zoe é levada por Myrtle Snow (vivida pela atriz Frances Conroy, em sua terceira temporada de AHS), para a Academia de Garotas Excepcionais Miss Robichaux. Mais uma vez, referencias de X-Men.

A melhor parte é que, assim como a casa mal-assombrada da primeira temporada e a residência em que Briarcliff era situada na segunda temporada, a Academia da terceira temporada é exatamente a mesma residência que abrigou as temporadas anteriores. Claro que parece bem diferente e até limpa demais para um cenário de AHS, o que aumenta mais os mistérios sob esta nova trama.

Aproveite para assistir:

Após conhecermos a biscate Madison Montgomery (Emma Roberts), a garota-voodoo Queenie (vivida por Gabourey Sidibe, mais conhecida pelo seu papel principal em Preciosa), a reservada e clarividente Nan (Jamie Brewer) e a mentora Cordelia (Sarah Paulson), Zoe entra para o grupo de bruxas desenquadradas da sociedade. Ainda fiquei curioso em saber quais poderes a Cordelia deve possuir.

E finalmente, conhecemos a Bruxa Suprema, Fiona Goode (vivida pela Jessica Lange, qual eu estava morrendo de saudades). Assim como Madame LaLaurie, Fiona está em busca de uma cura para a velhice e, literalmente, suga a vida de um bioquímico que tentava lhe ajudar ilegalmente. Revigorada, porém ainda velha, Fiona faz uma visita surpresa á Academia e descobrimos que Cordelia é sua filha. Fiona domina a Academy como somente ela pode, expondo as garotas, fumando cigarros e fazendo Madison voar para a parede, após ter sido ofendida pela mesma.

Quando Madison convence Zoe a atenderem uma festa de fraternidade, já sentimos que as coisas não iam correr bem, especialmente quando um dos jogadores dão um ‘’boa noite Cinderela’’ para Madison, após ela chamá-lo de escravo e ordenar que ele a trouxesse uma bebida. Enquanto o jogador Kyle (Evan Peters) e Zoe revivem a cena de Romeu e Julieta dos anos 90, Madison está no andar de cima sendo estuprada pelo resto do time de futebol. Após Kyle entrar no quarto e descobrir o que estava acontecendo, eles fogem do local no ônibus que vieram e, Madison vai para a rua e, com um simples movimento de sua mão, faz o ônibus virar e explodir. Ela consegue matar o time de futebol quase por complete, exceto por dois que ficaram hospitalizados, incluindo o responsável pela droga em sua bebida. Zoe vai ao hospital em busca de notícias sobre o Kyle mas, ao descobrir que o rapaz estava entre uma das vítimas fatais, ela decide usar seu ‘’sexo mortal’’ para vingar-se do responsável. Só espero que não seja a última vez que o Evan Peters apareça nesta temporada.

E voltando rapidamente ao ano de 1834, conhecemos Marie Laveau (Angela Bassett), a amada do recém criado Minotauro. Quando Marie descobre o que Madame LaLaurie fez ao amado, ela dá um jeito de entrar na casa da Madame com a promessa de uma poção do amor. LaLaurie cai na armadilha e bebe a poção que, embora doce, mostra-se rápida e fatal.


E por fim, somos trazidos de volta aos dias atuais, onde encontramos Fiona escavando o túmulo de Madame LaLaurie com a ajuda de alguns homens que nem mesmo ela deva conhecer. Após abrirem o caixão, encontramos Madame LaLaurie intacta, bem viva, mesmo após duzentos anos. E ao vê-la andando com Fiona, tudo o que me veio em mente foi: Estas duas juntas não trarão coisas boas. Mas não estamos falando sobre Once Upon A Time, certo ? Estamos falando sobre American Horror Story. Portanto que haja muita, mas muita maldade nesta temporada.

 

 

 


Séries em Pauta

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE