As 10 Maiores Bilheterias da Primeira Metade de 2019

As 10 Maiores Bilheterias da Primeira Metade de 2019




Aproveitando que a metade do ano já foi embora, e já estamos adentrando o terceiro trimestre de 2019, resolvemos dar uma olhada nos filmes mais lucrativos até o momento ao redor do mundo. Ao fim dos primeiros três meses, criamos uma lista com as produções mais rentáveis do período – que você pode conferir no link abaixo. É interessante notar que alguns dos filmes permanecem na lista (uns perdendo posições, outros de forma quase imutável).

As 10 Maiores Bilheterias do Primeiro Trimestre de 2019

É válido frisar também que a lista promete ser remexida em breve, com as estreias mundiais de O Rei Leão, Velozes e Furiosos: Hobbs & Shaw, It: Capítulo 2 e Era uma Vez em… Hollywood. E nós, é claro, os manteremos atualizados sobre os maiores filmes do ano, a cada três meses. Então, sem mais delongas, vem conhecer com o CinePOP as 10 maiores bilheterias da primeira metade de 2019.

10 | Godzilla II: Rei dos Monstros


Aproveite para assistir:


A Warner marcou um gol com o segundo filme do lagartão radioativo dentro de seu universo expandido – apesar das críticas dos especialistas, em sua maioria negativas (com 41% de aprovação no Rotten Tomatoes) – inferiores por comparação ao filme anterior (de 2014), que conquistou 75% da imprensa.

O novo filme, que conta com a menina sensação Millie Bobby Brown (a Eleven de Stranger Things) no elenco e uma série de monstros gigantes tirados da mitologia do personagem (como Mothra, Rodan e King Ghidorah), marca por enquanto US$384 milhões ao redor do mundo. Como estreou no fim de maio, o filme ainda está nos cinemas em grande parte dos países (mesmo que em fim de carreira), e este número pode subir. Godzilla (2014) terminou sua estadia nos cinemas somando US$529 milhões e Kong: Ilha da Caveira (2017), parte do mesmo universo, fechou com US$566 milhões para a Warner.

09 | Alita: Anjo de Combate

Aqui temos outra amostra da potência das bilheterias asiáticas, mesmo quando se trata de um filme norte-americano. Assim como o item acima, Alita é primordialmente um exemplar asiático, moldado para se encaixar ao mercado ocidental, sem esquecer de suas origens. O longa escrito por James Cameron e dirigido por Robert Rodriguez fez muito mais sucesso fora de casa do que nos EUA. Além disso, a obra já se encontrava no top 10 nos primeiros três meses do ano – mas em quarta posição. Mesmo tendo caído cinco posições, não deixa de demonstrar sua força ao se manter entre os dez filmes mais lucrativos quase quatro meses depois.

Elogiado por mais da metade da imprensa (com 61% de aprovação), Alita se passa no futuro e acompanha as aventuras de uma jovem robô em busca de descobrir seu verdadeiro propósito. O filme é baseado num famoso mangá (quadrinhos japoneses). Alita já soma para a FOX (agora Disney) US$404 milhões ao redor do mundo, sendo que deste valor, mais do que o triplo foi arrecadado fora do território norte-americano. Alita, por exemplo, deixou comendo poeira o que deveria ser o grande medalhão do estúdio para este ano: X-Men – Fênix Negra (que fez feio junto ao público e ainda não passou da barreira dos US$251 milhões pelo mundo).

08 | Pokémon: Detetive Pikachu

Pokémon é uma franquia que tem muita força junto à geração milênio. Duvida? É só dar uma olhada em sua bela bilheteria, que chega em oitava posição da lista. Igualmente baseado em uma propriedade japonesa, Pikachu e sua trupe de Pokémons conquistaram crianças e adultos do mundo inteiro. Este, no entanto, foi o primeiro longa em live action a levar o título da propriedade e contou com o empurrão de Ryan Reynolds, cedendo a voz para o ser amarelinho, recém-saído do sucesso de Deadpool 2 (2018).

Este é o segundo grande gol da Warner no ano, que tem acertado ao repaginar matérias-primas asiáticas para o público mundial. Com críticas favoráveis da imprensa (67% de aprovação), e uma estreia no início de maio, Detetive Pikachu pode ver seus números aumentados até o desfecho de sua carreira nos cinemas. Por comparação, mirado ao mesmo público-alvo, Shazam!, também da Warner, soma US$364 milhões ficando abaixo do coleguinha amarelo. Pokémon: Detetive Pikachu tem em caixa US$429 milhões ao redor do mundo.

07 | Como Treinar o Seu Dragão 3

Uma das franquias de animação mais bem sucedidas da última década e desde já uma das franquias mais adoradas pelos fãs no mundo todo. Quem diria que quando começou de forma semi-despretensiosa lá atrás em 2010 (nem faz muito tempo assim vai…), Como Treinar o Seu Dragão, da Dreamworks/Universal, se tornaria uma verdadeira potência para o cinema. Em matéria de aceitação da imprensa, Como Treinar o Seu Dragão 3 é o filme mais elogiado da lista até então, com impressionantes 91% de aprovação.

A animação é outra que já havia dado as caras no top 10 do primeiro trimestre, em terceira posição, mas agora cai para sétima. O longa conseguiu superar a bilheteria de seu original, que fez surpreendentes US$494 milhões mundialmente. Mas com US$519 milhões em caixa para o estúdio, a terceira aventura de Soluço, Banguela e a turminha (que demorou a ver a luz do dia), não ultrapassou a marca da segunda aventura, cuja bilheteria foi de US$621 milhões ao redor do mundo.

06 | Terra à Deriva

E a dobradinha continua! Como Treinar o Seu Dragão 3 bem que tentou, mas não conseguiu nestes quase quatro meses desde o primeiro trimestre superar a bilheteria desta superprodução chinesa. No primeiro trimestre, a animação ficou em terceiro lugar e a obra chinesa em segundo. Agora, na mesma ordem, os filmes foram empurrados para sétima e sexta posições.

E se Alita e Pikachu são blockbusters americanos baseados em material da cultura asiática, Terra à Deriva é uma produção cem por cento chinesa, vinda de tal mercado e vendida primordialmente para eles. O que impressiona ainda mais – pensarmos que o filme sequer adentrou outros continentes e ainda assim conseguiu se manter no top 10 (ainda bem posicionado), acima de longas vendidos agressivamente para o mundo todo. A ficção científica, que já está disponível na Netflix brasileira (obrigado!), imagina uma super tecnologia capaz de mudar a Terra de rota. O filme tem em caixa US$699 milhões e uma aprovação de 75% da imprensa.

05 | Toy Story 4

Calma, calma! Como assim Toy Story 4 não está melhor posicionado na lista? O que acontece é que o novo longa de Woody, Buzz e, é claro, do Garfinho, estreou há pouquíssimo tempo nos cinemas mundiais (há menos de um mês para ser mais exato) e ainda tem um loooongo caminho pela frente em sua campanha nas bilheterias. Ou seja, aguarde a subida meteórica da animação até setembro. Não deixa de ser impressionante o que foi conquistado até aqui, no entanto.

A quarta aventura da franquia da Disney/Pixar tem tudo para seguir de perto o caminho traçado pelos seus antecessores (tirando o segundo, que ficou em terceiro no ranking de seu respectivo ano, os outros foram as maiores bilheterias de 1995 e 2010) e escalar até as primeiras posições do top 10. O longa, que recebeu 98% de aprovação da imprensa (passando assim Como Treinar o Seu Dragão 3 no gosto dos críticos), já soma impressionantes US$776 milhões. Alguma dúvida sobre ultrapassar a barreira do bilhão?

04 | Homem-Aranha: Longe de Casa

O segundo filme do herói Homem-Aranha na Marvel (seguindo De Volta ao Lar, 2017), é um caso parecido com o item acima. O longa ainda está em início de carreira nas bilheterias mundiais, tendo estreado no início de julho. Ou seja, com menos de três semanas em cartaz, a superprodução tem toda uma estrada pela frente e promete igualmente ultrapassar a barreira do bilhão em breve. A continuação vem recebendo elogios da imprensa – e diz guardar alguns spoilers em sua trama –, marcando 90% de aprovação dos críticos.

Longe de Casa está perto de bater em pouco tempo toda a bilheteria de seu antecessor, De Volta ao Lar, que fez US$880 durante sua estadia nas salas de cinema. O fato se deve pela projeção que o filme recebeu ao continuar, de certa forma, os eventos do avassalador Vingadores: Ultimato (2019). Longe de Casa marca, até o momento, US$849 milhões mundialmente, e promete continuar a parceria com a Sony em filmes solo do herói aracnídeo.

03 | Aladdin

Outro filme fresco nos cinemas, a adaptação em live action de um dos responsáveis pela retomada das boas animações da Disney, foi lançado no final de maio e ainda está em cartaz em grande parte do mundo. E quem diria? Quando as primeiras imagens pipocaram na internet foram recebidas com muita incredulidade. O mesmo ocorreu quando o primeiro trailer debutou – a maioria não levava a mínima fé, chegando ao ponto inclusive de colar no longa o “adesivo de flop”. As versões em live action que os fãs queriam mesmo ver eram Dumbo e principalmente O Rei Leão.

Provando que a expectativa nem sempre (ou quase nunca) atende à realidade, vivemos para ver Dumbo passar em branco e O Rei Leão seguir caminho parecido (cambando até mesmo para uma má repercussão). E Aladdin? Bem, Aladdin, a Princesa Jasmine (Naomi Scott) – elogiadíssima – e principalmente, o gênio de Will Smith tiraram a sorte grande e garantiram o lugar ao sol. O longa é o próximo a entrar para o seleto grupo do bilhão, e está prestes a romper esta barreira, já que soma US$962 milhões.

02 | Capitã Marvel

Caindo apenas uma posição em quase quatro meses, Capitã Marvel – o primeiro filme solo de uma heroína do estúdio -, desce uma posição no pódio. O fenômeno do início do ano mostrou que os filmes da Marvel podem (e devem) ser protagonizados por mulheres, sem deixar de arrecadar rios de dinheiro em bilheteria. O sucesso do longa e o impacto que a personagem causou no filme dos Vingadores garantiu sua entrada no panteão do estúdio e automaticamente ganhou sinal verde para uma sequência. Além de ter aberto espaço para os filmes solo de novas heroínas – a Viúva Negra vem aí.

Se existia dúvida sobre qual capitão Marvel dominaria as bilheterias – ela ou Shazam -, a dúvida foi rapidamente sanada. Mostrando-se um sucesso também com os críticos (com 78% de aprovação), a superprodução protagonizada por Brie Larson pode vir a ser o carro-chefe da nova fase do estúdio – seguida de perto pelos filmes do Pantera Negra e Homem-Aranha. Capitã Marvel foi o primeiro filme de 2019 a romper a barreira do bilhão (num total de 2 filmes até o momento), e acumula US$1.128 bilhão ao redor do mundo.

01 | Vingadores: Ultimato

Você sabia que eles viriam, né?! A superprodução mais secreta do ano, o quarto filme dos Vingadores, os super-heróis mais poderosos (em todos os sentidos – principalmente no poder de fazer dinheiro) do universo Marvel, teve uma campanha de divulgação dificílima de ser cumprida. Nada poderia ser dito, pouco podia ser mostrado. Após os eventos de Vingadores: Guerra Infinita (2018), com o estalar de dedos mais danoso do cinema, metade do universo havia sido dizimado. Como continuar daí? Nem mesmo a história do blockbuster havia sido revelada antes da estreia. E deu certo. Isso que é colaboração – dos envolvidos e também dos fãs.

O fato é, Ultimato fez tanto dinheiro que ultrapassou a bilheteria de Titanic (1997), se tornando o segundo filme mais rentável da história do cinema. É a culminação de tudo que a Marvel preparou em 11 anos de seus 22 filmes. E com US$2.781 bilhões até o momento, falta pouco para ultrapassar o filme mais rentável da história: Avatar (2009), de James Cameron. O estúdio chegou até a relançar o longa com cenas adicionas para ver se impulsionava Vingadores até a marca. Bom, agora é oficial, só nos resta esperar pela próxima lista de filmes do estúdio. Ultimato pode descansar sossegado, pois nenhum filme este ano – e quem sabe pelos próximos anos – irá tirar seu lugar no olimpo cinematográfico.


COMENTÁRIOS