sábado, abril 20, 2024

As 10 Melhores Músicas de Camila Cabello

Camila Cabello é uma das cantoras mais interessantes do cenário pop contemporâneo e, a cada novo lançamento, resolve se voltar para suas raízes cubanas ao celebrar a música latina com impetuosidade sensual e apaixonante.

Desde sua estreia solo no mundo fonográfico com o álbum de estúdio homônimo, Cabello resolveu deixar de lado as incursões mainstream do pop chiclete que explorara com o grupo Fifth Harmony e construiu uma identidade própria que rendeu hits de sucesso mundial como “Havana”“Señorita”.

No último dia 03 de março, a performer comemorou 25 anos de idade e resolvemos homenageá-la com uma singela matéria: celebrar suas dez melhores músicas.

Para tanto, estamos levando em consideração apenas sua carreira solo – ou seja, não estamos incluindo nenhuma canção performada com as outras integrantes do grupo que fazia parte.

Confira abaixo as nossas escolhas e conte para nós qual a sua favorita:

10. OMG, feat. Quavo

Álbum: N/D

A melhor decisão que Cabello poderia ter tomado para sua estreia oficial foi ter retirado “OMG” do alinhamento final do álbum – afinal, a faixa não consegue dialogar com o pop latino explorado pela cantora e funciona muito melhor quando separado de suas conterrâneas. A canção traz influências do trap e, girando em torno de uma personagem que elogia a aparência de seu interesse amoroso, é firmada na presença da flauta, dos pratos e do baixo e demonstra uma versatilidade inegável da lead singer.

9. LIAR

Não deixe de assistir:

Álbum: Romance

‘Romance’ pode não ter repetido o mesmo feito do álbum de estreia de Cabello, mas isso não significa que não tenha entregado algumas músicas ótimas – como é o caso de “Liar”. Aqui, a artista consegue explorar com maior liberdade sua herança latina, confrontando-a com elementos do pop mainstream e com escolhas estéticas que deixam a faixa envolvente e bastante prática dentro de seus limites.

8. REAL FRIENDS

Álbum: Camila

“Real Friends” não foi escolhido como um dos singles oficiais de ‘Camila’, porém, não ficaria de fora da nossa lista. A simples construção da canção nos chama a atenção por permitir que os vocais cândidos da performer falem mais alto. Aqui, somos apresentados a uma ambientação propositalmente conformista que compreende uma dos aspectos mais duros do mundo: que, no final de tudo, estamos por conta própria. Como se não bastasse, a faixa é pincelada com versos extremamente bem escritos e com rimas inesperadas e sagazes.

7. CRY FOR ME

Álbum: Romance

“Cry For Me” foi uma das grandes surpresas de ‘Romance’, comportando-se como uma dançante e sensual incursão que, apesar de trilha um caminho convencional, funciona em todos os seus aspectos. Uma das melhores entradas do álbum, a track é guiada pelo baixo e pela bateria, fundindo-se a uma atmosfera dark, narcótica, e permitindo que Cabello explora a imagem que arquitetou com paixão inegável.

6. SEÑORITA, com Shawn Mendes

Álbum: Romance

É claro que “Señorita” não poderia ficar de fora do nosso ranking – principalmente pelo sucesso gigantesco que fez ao redor do planeta. Performada ao lado de Shawn Mendes e integrando os álbuns de ambos os artistas, o single exalta o pop latino com precisão aguçada e com coesão admirável, ainda mais levando em conta o número gigantesco de compositores por traz dela (incluindo Charli XCX, que, sem sombra de dúvida, é uma adição inesperada e bem-vinda).

5. SHAMELESS

Álbum: Romance

Apesar de ter apenas dois álbuns em sua carreira, Cabello já mostrou que sabe como começar uma jornada musical – e em ‘Romance’, não seria diferente. A faixa que abre o disco é “Shameless”, uma poderosa e sedutora canção que se inicia com os profundos acordes do baixo antes de dar espaço para a chocante tecedura da artista, expandindo-se do mezzosoprano para uma possante e quase glotal rendição que nos leva em uma aventura sinestésica e inebriante.

4. NEVER BE THE SAME

Álbum: Camila

Never Be The Same” é a faixa de abertura de ‘Camila’ e funciona com impacto significativo dentro doálum. A influência do techno pop, que tornou-se extremamente difundido com a chegada da era digital, se mostra de forma clara principalmente no prelúdio e nas transições; porém, é realmente e versatilidade da voz da artista que rouba o foco, começando em um tom mais grave, encontrando-se de forma momentânea nos falsetes e retornando para um ótimo refrão. Apesar da predominância do sistema modal e de uma familiar e gradativa premissa, essa previsibilidade não consegue ofuscar a envolvência da cantora.

3. MY OH MY, feat. DaBaby

Camila: Romance

Apesar das polêmicas de plágio que logo foram resolvidas, “My Oh My” é uma das melhores entradas de ‘Romance’ e ganhou popularidade grandiosa com o passar do tempo – alcançando o 12º lugar da Billboard Hot 100. Aliando-se ao rapper DaBaby, Cabello constrói uma narrativa sexy e carnal, em um propósito de resgatar uma nostalgia que já não víamos (nesse caso, ouvíamos) há algum tempo. Ainda que alicerçado no pop, a miscelânea gritante de estilos é refletida em escolhas estéticas que variam do reggaeton ao R&B.

2. CRYING IN THE CLUB

Álbum: N/D

Pouco depois de ter deixado a girlband Fifth Harmony, Cabello estava pronta para mergulhar na carreira solo – e fez seu début da forma mais explosiva imaginável. “Crying In The Club” foi lançada há cinco anos e, até hoje, é considerada como uma das melhores e mais conhecidas canções da artista. Aqui, Cabello provou estar atenta às tendências da atualidade e se aliou a nomes como Benjamin LeviSIA para nos convidar à pista de dança numa mistura vibrante de tropical-popdance-popelectro-pop.

1. HAVANA, feat. Young Thug

Álbum: Camila

“Havana”, o principal single do álbum de estreia de Cabello, é a declaração de amor da artista às suas matrizes latinas. A música é configurada com uma roupagem pop dançante e que avança timidamente para vertentes eletrônicas, mas que logo é refreada pela presença das inúmeras características cubanas: nessa arquitetura musical muito bem delineada, temos as extensas variações e heranças da Europa e da América Latina mesclados em uma abordagem eletroacústica entre jazz, rock, mambo, salsa e merengue.

Mais notícias...

Thiago Nollahttps://www.editoraviseu.com.br/a-pedra-negra-prod.html
Em contato com as artes em geral desde muito cedo, Thiago Nolla é jornalista, escritor e drag queen nas horas vagas. Trabalha com cultura pop desde 2015 e é uma enciclopédia ambulante sobre divas pop (principalmente sobre suas musas, Lady Gaga e Beyoncé). Ele também é apaixonado por vinho, literatura e jogar conversa fora.

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS