Michael Dante DiMartino e Bryan Konietzko, criadores originais da aclamada série animada ‘Avatar: A Lenda de Aang‘, anunciaram que decidiram se afastar da adaptação que está sendo desenvolvida pela Netflix, uma série live-action.

Inicialmente, a dupla havia entrado no projeto como produtores executivos e showrunners.

Em uma carta aberta, DiMartino declara: “Apesar do serviço de streaming ter se comprometido a honrar nossa visão e nos dar apoio em criar a série, as coisas não saíram como esperado. Essas coisas acontecem. Produções são sempre um desafio. Quando essas coisas acontecem, eu tenho me adaptar. Eu tento seguir o fluxo, não importando o obstáculo no meu caminho. Mas, às vezes, temos que saber quando nos afastar e seguir em frente. [O live-action] pode acabar se tornando uma série que as pessoas irão gostar, mas seja lá qual versão aparecer na tela, não será a visão que eu e o Bryan tínhamos a intenção de fazer.”

A expectativa era que o live-action estreasse em 2021, mas, devido à pandemia de coronavírus e aos problemas nos bastidores da produção, é possível que a série só seja lançada em 2022.

A série original foi criada por Michael DiMartinoBryan Konietzko, estreando em 2005 e estendendo-se por três temporadas.

Aproveite para assistir:

A história é ambientada num mundo parecido com o nosso no qual as pessoas podem manipular os elementos da Terra, da Água, do Fogo e do Ar (conhecidos como dobradores) e, durante muito tempo, viveram em paz em suas próprias regiões – até uma delas dar início a uma guerra. Um desses dobradores, conhecido como Avatar, era o único que poderia impedir o conflito, mas desapareceu pouco depois e retornou 100 anos no corpo de Aang.

Além de ser uma queridinha do público, Avatar: A Lenda de Aang levou para casa diversas estatuetas do Emmy e diversos Emmy Awards por sua competente história e seu design. Em 2010, ganhou uma versão em live-action dirigida por M. Night Shyamalan que, apesar de ter feito quase US$320 milhões nas bilheterias, foi um fracasso de crítica devido à narrativa absurda e à superficialidade de seus temas.

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE