Nem só de glórias vive o clássico

Após ter sido enfim adicionada ao catálogo da HBO Max no Brasil, Batman: A Série Animada sem dúvida é uma das adições mais aguardadas pelos fãs da DC Comics. Lançado em 1992, o antigo programa de televisão redefiniu a marca do herói para uma nova geração, entregando episódios que tinham êxito tanto em serem próprios para crianças quanto o mais fiel possível aos quadrinhos.

Mesmo assim, nem mesmo o programa liderado por Bruce Timm foi imune a deixar a peteca cair de vez em quando. Na mesma proporção em que o público recebia momentos brilhantes como em Coração de Gelo e Baby-Doll haviam situações em que certas liberdades foram tomadas e que mais fugiram ao tom da série do que qualquer outra coisa. Confira abaixo.

Leia também: Batman: A Série Animada – Nosso Ranking com os 5 Melhores Episódios



5) A Lua do Lobo

Em 2005 foi lançada a animação Batman vs Drácula como parte do universo de outra série animada do personagem; essa, no entanto, não foi a primeira vez que o vigilante esteve frente a frente com um importante monstro do cinema. Em novembro de 1992 foi lançado o episódio A Lua do Lobo para a primeira temporada.

Batman enfrentando um Lobisomem foi, no mínimo, inusitado.

Na ocasião, Batman precisa investigar os ataques de um suposto lobisomem que estão ocorrendo em um parque de Gotham. A investigação acaba levando-o até um ex-campeão olímpico que está sendo vítima de chantagem. O motivo é o efeito colateral do seu consumo excessivo de uma substância que lhe transforma em lobisomem toda noite. Apesar da trama pouco ligada à temática do seriado, o episódio em si entrega um nível bem interessante na animação.

Aproveite para assistir:

4) Noite do Ninja

Um episódio tendo como premissa o período de treinamento em estilos de luta pelo qual Bruce Wayne atravessou e um inimigo que vem desse passado tem, naturalmente, um potencial bastante interessante. Entretanto, a sensação entregue com o episódio em questão é a de desperdício.

O episódio perdeu uma grande oportunidade ao não se aprofundar no treinamento de Bruce.

Em momento algum a produção entrega o drama necessário, este que deveria estar ligado ao desafio proposto a Bruce pelo outro aluno de seu antigo mestre. Mesmo os episódios tendo pouco mais de vinte minutos, a altura que Noite do Ninja foi lançado a equipe da série animada já tinha demonstrado diversas vezes que possuía capacidade de desenvolver dramas interessantes com essa faixa de tempo. 



3) Você Arranha minhas costas?

O episódio em questão já se distancia da série animada original de 1992 e adentra no campo das Novas Aventuras de Batman e Robin; seriado esse que permanece na mesma continuidade mas tem o traçado visivelmente diferente do estilo até então predominante. 

Cronologicamente essa nova série trouxe algumas mudanças para o enredo, principalmente no que consta o Robin. Sai Dick Grayson, o Menino Prodígio titular na produção anterior, e entra Tim Drake; ainda assim, Dick não deixou a série de vez, tendo se tornado o vigilante Asa Noturna após um rompimento complicado com o Batman.

A experiência de Asa Noturna não o protegeu da Mulher-Gato.

Por um lado o episódio Você Arranha minhas Costas? é interessante por mostrar o ex-ajudante tentando se provar como um herói independente, porém, cometendo erros. O problema vem quando esses erros vêm de manipulações da Mulher Gato, criminosa que ele conhece bem. Na ânsia de se provar, Dick acaba sendo usado por ela e quase provando que ainda não estava pronto.

2) Rei dos Esgotos

Voltando para a primeira temporada, havia uma curiosa tendência nas animações de quadrinhos nos anos 90 em que, aparentemente, deveria haver algum episódio ambientado no esgoto. Foi assim com Homem-Aranha, os X-Men e com o Batman.

A definição de desinteressante.

Na ocasião, Batman precisou lidar com famigerado Rei dos Esgotos, um adulto que obrigava diversos órfãos a cometer furtos pela cidade e então entregar os espólios à ele. Como de praxe o vigilante conseguiu se sobressair ao malfeitor e libertar as crianças, ainda assim o episódio chama mais a atenção para esse estilo de ambientação do que para o conteúdo do enredo em si.

1) Batman está no meu porão

O infame décimo terceiro episódio da primeira temporada é considerado por muitos como o pior da série animada, e não sem motivo. Toda a trama gira ao redor de um grupo de crianças que, ao ouvir um barulho vindo do porão, descobrem que o Batman está ferido por ali. 

Dificilmente algum fã sente saudades desse momento.

Isso se deu após o vigilante ter um embate mal sucedido com o Pinguim, este que está nas redondezas procurando por ele. Cabe então às crianças manter o herói escondido enquanto tentam dar um jeito de despistar o criminoso. Por uma série de fatores o episódio não funciona, principalmente pela ação ser conduzida por um grupo de coadjuvantes mirins que não são interessantes.



O episódio evidentemente teve como alvo o público infantil mais exclusivamente do que o normal, bem como sua presença ali está apenas para fechar o número de episódios acordados para a temporada. Ainda assim, sua monotonia chama bastante atenção, de maneira negativa, quando comparada com a série animada como um todo.  

Comentários

Não deixe de assistir: