Na noite de ontem foi divulgado que Alec Baldwin matou acidentalmente a diretora de fotografia Halyna Hutchins e feriu o diretor Joel Souza nos bastidores do filme ‘Rust‘.

Na trama do faroeste, Baldwin dá vida a um bandido e estava gravando uma cena em que descarregava uma arma de festim quando o acidente aconteceu.

Até o momento, a investigação continua em processo e ainda não foram encontradas pistas sobre o que deu errado.

Enquanto isso, a tragédia vem gerando muitas dúvidas sobre como funcionam as armas cenográficas.



Como explicado pela BBC, as armas cenográficas são réplicas de armas reais carregadas com munições de festim, que apenas reproduzem uma bala de verdade, com efeitos de luz e som.

Apesar disso, nada impede que armas reais sejam usadas nos bastidores, contanto que sejam supervisionadas por um armeiro, responsável pelo carregamento com balas falsas.

Aproveite para assistir:

Em entrevista ao portal, Bill Davis, especialista em armas que trabalhou em várias produções de cinema e televisão comentou sobre o caso de Baldwin e deixou claro que:

“Se alguém realmente colocou uma bala de verdade lá, a primeira observação é que ela não deveria nem sequer estar no set. Além disso, deveriam ter inspecionado o cano da arma enfiando um lápis e iluminando com uma lanterna para ter certeza de que não havia obstruções no mecanismo. Por fim, quando uma arma é carregada, é preciso que analisem que tipo de bala está sendo introduzida.”



Ainda assim, as balas de festim são feitas de pólvora propelente, mescladas com algodão ou papel presos na dianteira da cápsula.

Estes materiais combinados são capazes de reproduzir recuos ou coices e até mesmo o clarão do disparo, quando a luz criada pela combustão da pólvora fica visível.

Caso uma arma real seja usada em sets de filmagens, há o risco de munições de verdade passarem despercebidas enquanto um cartucho é carregado com balas de festim.

Por isso, é necessário um trabalho minucioso antes do manuseio de qualquer armamento numa produção.

Em 1993, Brandon Lee, filho de Bruce Lee, morreu de forma semelhante ao caso de Hutchins enquanto gravava ‘O Corvo‘, suspense dirigido por Alex Proyas.

Na ocasião, Lee foi atingido no peito por uma única munição de chumbo disparada pela arma usada por Michael Massee.

Por uma falha da produção, a arma havia sido carregada com munição real, e a pólvora do festim fez com que o projétil que estava preso no cano fosse acidentalmente liberado, perfurando o torso de Lee.



O acidente aconteceu apenas oito dias antes do filme ter sido concluído e é comentado até hoje, tornando-se alvo de várias teorias da conspiração, incluindo um possível assassinato, mas nada foi comprovado oficialmente.

Já em 1984, o ator Jon-Erik Hexum acabou se suicidando acidentalmente enquanto brincava com uma arma no set da série Retrato Falado‘.

Frustrado com os atrasos nas gravações, Hexum carregou um revólver com balas de festim e o aprontou contra a própria cabeça.

Apesar de não haver projéteis na arma, a força da explosão foi tão grande que fraturou seu crânio. O astro ainda foi levado para o hospital, mas acabou morrendo dias depois.

Isso só prova que armas cenográficas não são brinquedos e podem ser tão perigosas quanto armas reais quando não são manuseadas com cuidado extremo.


Quem era Halyna Hutchins?

Aos 42 anos de idade, Hutchins trabalhava como diretora de fotografia desde 2012, e de lá para cá acumulou créditos em curtas, produções na TV e em filmes de pequeno alcance.

Ao longo da carreira, esteve por trás das lentes de ‘Archenemy‘ (2020), ‘Blindfire‘ (2020) e ‘The Mad Hatter‘ (2021).

Seu trabalho mais famoso foi A Luv Tale: The Series, exibida pla BET+ entre 2018 e 2021, e ‘Rust seria sua porta de entrada em grandes produções.

Nascida na Ucrânica, Hutchins estudou cinema em Los Angeles e também era formada em jornalismo pela Universidade Nacional de Kiev.

Inclusive ela trabalhou como jornalista investigativa em diversos documentários ao redor da Europa antes de ingressar em produções fictícias.

Em sua última publicação nas redes sociais, a cineasta compartilhou um vídeo andando a cavalo nos bastidores de Rust‘.

Na legenda, ela escreveu:

“Uma das vantagens de filmar um faroeste é andar a cavalo no seu dia de folga.”

Vale lembrar que o roteirista e diretor Joel Souza também foi atingido por Baldwin, mas já recebeu alta do Centro Médico Regional Christus St. Vincent, localizado em Santa Fé, no Novo México.

A informação foi divulgada pela atriz Frances Fisher, que também compõe o elenco.

Em seu perfil do Twitter, ela compartilhou a notícia sobre o tiroteio e disse que o próprio Joel conversou com ela.

Por enquanto, ainda não há muitos detalhes sobre a liberação do diretor, mas é possível que ele dê algumas declarações sobre o ocorrido assim que estiver recuperado do choque.

Confira a publicação de Fisher:

“O diretor Joel Souza me disse que já recebeu alta do hospital.”

Através de um comunicado, as autoridades responsáveis pelo caso detalharam o corrido:

“O gabinete do xerife confirma que dois indivíduos foram baleados nas filmagens de Rust. Halyna Hutchins, 42, diretora de fotografia, e Joel Souza, 48, diretor, foram baleados quando uma arma foi disparada por Alec Baldwin, 63, produtor e ator. A Sra. Hutchins foi transportada, de helicóptero, para o Hospital da Universidade do Novo México onde ela foi declarada morta pela equipe médica. O Sr. Souza foi transportado de ambulância para o Centro Médico Regional Christus St. Vincent, onde está fazendo tratamento para seus ferimentos. Esta investigação permanece aberta e ativa. Nenhuma acusação foi registrada em relação a este incidente. As testemunhas continuam a ser entrevistadas por detetives.”

Na trama de ‘Rust‘, Baldwin vive o bandido titular Harland Rust, cujo neto de 13 anos foi condenado por um assassinato acidental. O filme segue a tentativa de ‘Rust‘ de tirar seu neto da prisão.

Os detetives continuam entrevistando testemunhas.

Não deixe de assistir: