Bryan Singer terá que pagar US$ 150 mil para suposta vítima de pedofilia

Bryan Singer terá que pagar US$ 150 mil para suposta vítima de pedofilia


O cineasta Bryan Singer vai ter que pagar US$ 150 mil para uma suposta vítima de pedofilia. O valor foi estabelecido a partir de um acordo judicial firmado entre as partes.

Cesar Sanchez-Guzman entrou com uma ação contra Singer, em 2017, alegando que o diretor teria abusado sexualmente dele em 2003, durante uma festa em um iate, em Seattle. Na ocasião, o rapaz tinha apenas 17 anos.

Embora tenha aceitado formalizar um acordo com Sanchez-Guzman, Singer reiterou sua inocência. E por meio de um comunicado oficial, emitido por seu advogado, Andrew Brettle, ele reforçou sua defesa: “O Sr. Singer negou, mesmo conhecendo o indivíduo, ter tido interações com ele há 15 anos”.

A suposta vítima também está enfrentando um processo, por ter declarado falência em 2014. Os credores de Sanchez-Guzman reabriram o seu caso contra ele, alegando que o rapaz não teria declaro o desenvolvimento de seu caso contra Singer como parte de seus ativos e bens. Sua dívida diz respeito a empréstimos estudantis.

Isso significa que, dos US$ 150 mil firmados via acordo, pouco menos de US$ 61 mil serão entregues aos credores da suposta vítima. O restante do valor, exceto os custos legais da ação, ficarão com Sanchez-Guzman.

Aproveite para assistir: