“In Nolan We Trust”! Esta frase virou um bordão/meme imortalizado na boca dos fãs ao se referir ao cineasta britânico Christopher Nolan. A verdade é uma só: poucos diretores foram capaz de despertar um status de tamanho culto quanto Nolan, ainda mais se formos levar em conta que sua “existência” no mundo do cinema tem “apenas” 20 anos. Neste tempo, o cineasta subiu rapidamente até o topo da cadeia alimentar de Hollywood, se transformando em sinônimo do cinema entretenimento de conteúdo.

A confiança que a Warner tem em seu menino de ouro é tamanha que desembolsa para Nolan quantias astronômicas para os orçamentos de seus filmes, algo semelhante às superproduções de heróis ou qualquer blockbuster de respeito. A diferença é que os longas de Nolan são ideias originais (bem, quase sempre) com tramas geralmente bem complexas, que desafiam o público, e com isso ele angaria para si também um público mais adulto e sofisticado.

2020 marca a estreia do mais recente projeto do diretor inglês: Tenet. E nem mesmo uma ameaça global do nível da pandemia do COVID-19 foi o suficiente para conter a ambição de sua mais nova e megalômana obra. Tenet é 11º longa-metragem de Nolan, e o décimo depois de seu reconhecimento com Amnésia (2000).

E para comemorar o lançamento deste mais recente capítulo na celebração da joia do cinema mundial que é Christopher Nolan, resolvemos listar todos os seus filmes do “menos favorito” até o melhor (já que Nolan não possui um filme “pior” ou ruim de fato). Ah sim, aqui levaremos em conta seus longas a partir de seu reconhecimento com o citado Amnésia, há vinte anos. Vem com a gente.



10 | Tenet

Começamos a lista com a mais recente produção de Nolan, que foi lançada debaixo de algumas polêmicas que terminaram por prejudica-lo. Não se sabe exatamente até que ponto estava “pura” a vontade dos jornalistas pelo mundo ao adentrarem a exibição para a imprensa de Tenet, já que o diretor bateu o pé para o lançamento do filme nos cinemas no meio de uma pandemia mundial. A verdade é que o filme terminou como dono da avaliação mais baixa dos críticos para um longa de Nolan – com 71% de aprovação, mesmo assim com uma nota acima da média. Segundo os especialistas, Tenet é “um quebra-cabeças de visual deslumbrante para os amantes do cinema resolverem, servindo todos os espetáculos cerebrais que o público espera de uma produção de Christopher Nolan”.

Aproveite para assistir:

Já com o grande público o filme recebeu uma avaliação um pouco maior, marcando 78% até o momento. Na trama, Nolan bola uma história de espionagem envolvendo uma tecnologia capaz de voltar o tempo brevemente. Rendendo certa controvérsia sobre o possível “fracasso” de bilheteria do filme, até mesmo entre os envolvidos com seu lançamento, Tenet, com um orçamento de US$205 milhões, reuniu em caixa até o momento US$341 milhões mundiais. Levando em conta que este foi o segundo filme mais caro do diretor dentre seus últimos cinco lançamentos, e que de todos a bilheteria mais baixa havia ultrapassado os US$500 milhões, podemos afirmar que a Warner está fazendo bem em repensar estreias nas telonas neste momento.

09 | Interestelar



Esta ficção científica espacial era a produção mais “cambaleante”, entre os críticos e fãs, da carreira de Nolan até então, mas Tenet terminou pegando seu posto. Primeira parceria do diretor com os astros Matthew McConaughey e Jessica Chastain, além da reunião com Anne Hathaway, aqui temos um drama familiar contado pela ótica de conceitos da física. Nolan embala a astrofísica num embrulho pop, e transforma esta “odisseia no espaço” numa grandiosa aventura, dona de conceitos complexos.

Para os críticos, Interestelar “representa mais das realizações empolgantes, provocadoras de pensamentos, e donas de visuais resplandecentes que os amantes de cinema já esperam do cineasta autoral Christopher Nolan, mesmo que sua ambição intelectual às vezes exceda seu alcance”. Os jornalistas classificam o longa com 72% de aprovação, já o público é bem mais generoso com a obra, conferindo através 86% de aprovação o número 30 dentre os melhores longas de todos os tempos. Exagero?

08 | O Grande Truque

O apreço por este quarto filme de Nolan, após sua fama, só cresce, demonstrando que até o diretor estrela possui obras que continuam a cair cada vez mais no gosto dos fãs e críticos ao longo dos anos, ao ponto de ganharem avaliações mais positivas hoje do que em sua estreia lá em 2006.  O duelo entre “Batman e Wolverine” trouxe Christian Bale e Hugh Jackman, astros então em ascensão, como ilusionistas de Londres no final do Século XIX, criando uma rivalidade trágica para se provar o profissional mais talentoso e criativo – uma batalha de puro ego existente em qualquer área profissional desde que o mundo é mundo.

Um dos maiores atrativos deste longa é a presença do cameleão David Bowie numa participação como o inventor Nikola Tesla. Além disso, nos deu uma prévia de Vicky Cristina Barcelona, de Woody Allen, com o encontro de Scarlett Johansson e Rebecca Hall. Com a avaliação de 76% dos críticos, o filme foi definido por eles como “repleto de guinadas e reviravoltas, uma produção de época deslumbrante que nunca para de desafiar o espectador”. Como dito, o público parece ter redescoberto O Grande Truque e ter caído de amores por ele, conferindo o posto de número 47 dentre os melhores de todos os tempos, com 85% de aprovação.

07 | Insônia

Segundo filme de Nolan após o reconhecimento, Insônia é na verdade o remake de uma produção norueguesa de 1997, marcando assim o único filme que o cineasta não escreveu em sua filmografia – ele não foi nem mesmo responsável pela adaptação do roteiro. Um suspense gélido, Insônia talvez seja o ponto fora da curva do que viriam a se consolidar os filmes de Nolan, no entanto, não menos intrigante e dono de inúmeras qualidades. Aqui temos um protagonista falho, vivido pelo monstro Al Pacino, designado para investigar o assassinato de uma jovem no melhor estilo Twin Peaks.



De quebra, transforma o saudoso e sempre carismático Robin Williams em seu primeiro vilão do cinema – que seguiria em outras produções do humorista depois. Na opinião dos críticos, este é um dos melhores filmes de Nolan, com 92% de aprovação. Segundo eles, “comandado pelas intensas atuações de Pacino e Williams, o filme é um drama psicológico esperto e fascinante”. Mostrando que nem sempre críticos e público se entendem, junto aos fãs, Insônia é um dos longas menos celebrados da carreira do diretor, com 72% de aprovação – ainda mais hoje que todos esperam sempre um espetáculo visual vindo do cineasta. Insônia é definitivamente um de seus projetos mais intimistas.

06 | Batman Begins

Christopher Nolan havia chamado atenção com produções minimalistas de suspense (Amnésia e Insônia) quando foi contratado para dirigir o reboot de um dos maiores heróis de todos os tempos no cinema. Não existe qualquer argumento que negue este filme como o divisor de águas em sua carreira e o que elevou Nolan ao status de superstar. A partir de Batman Begins seus orçamentos ficaram maiores e o diretor estava disposto a mostrar que conseguia comandar produções colossais com a mesma autoria de seus filmes menores.

Resultado: mesmo os que cresceram com os Batman de Tim Burton, precisaram reconhecer que Nolan conferiu o retrato definitivo e mais bem sucedido do personagem no cinema, incluindo grande realismo na sua história. Com 84% de aprovação, os críticos definiram o longa como “inquietante e sombrio, mas também excitante e inteligente, entende a essência de um dos super-heróis definitivos”. Em relação ao primeiro Batman de Nolan, público e crítica parecem concordar mais, avaliando o longa de forma semelhante. De acordo com os fãs, o filme tem 82% de aprovação.

05 | Dunkirk


Incursão de Nolan em seu primeiro drama histórico real, Dunkirk é um filme de guerra que relata os horrores da batalha de Dunquerque, na França, durante a Segunda Guerra Mundial. A trama já começa quando soldados aliados da Inglaterra, Bélgica e da própria França se viram encurralados pelo exército alemão, precisando ser resgatados. Apesar de investir em superproduções, os filmes de Nolan são sempre bem diversificados em seus gêneros, variando entre ficção científica, espionagem, ação, dramas históricos e suspense.

A maioria destes elementos podem ser encontrados em Dunkirk que, segundo os críticos, com 92% de aprovação, “serve um espetáculo emocionalmente satisfatório, entregue por um diretor autoral em pleno comando de sua arte, e trazido à vida por um grande elenco talentoso que honra esta história real”. Já o público, tem um pouco menos de apreço com o longa, garantindo-lhe 79% de aprovação.

04 | O Cavaleiro das Trevas Ressurge

O terceiro capítulo e conclusão da trilogia do cavaleiro das trevas de Christopher Nolan passou alguns anos sendo desenvolvido e causando um grande suspense nos fãs – que a esta altura estavam ávidos para um novo filme da franquia. Ávidos para saber qual trama o cineasta iria seguir e quais novos personagens, entre eles especialmente os vilões, o diretor iria apresentar aos fãs. Desde o Charada de Johnny Depp, até o Pinguim de Philip Seymour Hoffman, especulações não faltaram.

No fim, Nolan terminou optando por Bane (Tom Hardy), um antagonista que precisava de uma versão melhor trabalhada nas telonas, e a Mulher Gato de Anne Hathaway – que embora não tenha sido tão icônica e sensual quanto a de Michelle Pfeiffer, tampouco fez feio. Considerado pelos críticos “um filme ambicioso, pensativo e uma potência na ação, conclui a franquia de Nolan de maneira espetacular”, o terceiro Batman tem 87% de aprovação da imprensa, e 84% de aprovação dos fãs.

03 | A Origem

Logo após seu lançamento, A Origem era considerado a oitava maravilha do mundo, e um dos filmes mais adorados pelos fãs de cinema – muitos da geração mais nova. Tais espectadores, em grande parte, foram os responsáveis por alçar Christopher Nolan ao status de Midas da Sétima arte, e seu Deus pessoal. Tudo, é claro, após o sucesso do segundo Batman. De uns anos pra cá, A Origem foi perdendo um pouco seu gás e certa apreciação, mesmo que ainda seja considerado um dos 13 melhores filmes de todos os tempos pelo grande público.

Seja como for, este é uma produção do diretor da qual crítica e público parecem concordar com avaliações bem próximas. Segundo a imprensa, A Origem é “inteligente, criativo e empolgante, aquele raro blockbuster de verão que tem sucesso visceralmente tanto quanto intelectualmente”. 87% e 88% de aprovação são as avaliações dos críticos e público respectivamente.

02 | Amnésia

Curiosamente, durante muito tempo A Origem foi considerado o melhor filme de Christopher Nolan. Atualmente, no entanto, como dito, reavaliações de crítica e público deram preferência a outros dois filmes do diretor. Nolan é um dos raríssimos cineastas que possui mais da metade de sua filmografia entre os 250 filmes preferidos do público de todos os tempos. São ao todo 7 filmes de seus 10. Aqui, chegamos à vice liderança com o primeiro filme de prestígio do cineasta. O primeiro longa da carreira de Nolan foi na verdade Following (1998), filme experimental independente toda gravado em preto e branco, visto por meia dúzia de pessoas na época de seu lançamento. É claro que agora, após a ascensão do diretor, muitos curiosos e fãs decidiram buscar seu primeiro trabalho em um longa para conhecer.

Mas não existe qualquer dúvida de que este Amnésia foi o trabalho que colocou seu nome no mapa. Aqui, todo contado de trás para frente (começando pelo final e indo até o início), Nolan narra a história de suspense sobre um homem perseguindo o assassino de sua mulher. A pegadinha é que o protagonista sofre de perda de memória recente, precisando tatuar as informações que vai adquirindo em seu corpo. Mas até que ponto este método é mesmo confiável? Amnésia, que completa 20 anos em 2020, é tido pelos críticos como “habilidosamente guiado pela narrativa fragmentada, mergulhando o filme num verdadeiro pavor existencial”, que o conferem 93% de aprovação. Já o público, com um pouco menos de apreço, o avalia com 84% de aprovação.

01 | O Cavaleiro das Trevas

Alguém tinha outro filme em mente para ocupar a primeira posição dos melhores da carreira de Nolan? Obra-prima do cinema moderno, é dito que o segundo Batman da trilogia  o cavaleiro das trevas foi o responsável pela Academia do Oscar abrir espaço para dez produções indicadas ao invés das costumeiras cinco. Tudo porque O Cavaleiro das Trevas, que constou em 10 entre 10 listas dos melhores do ano de 2008 de todos os críticos de cinema pelo mundo, era certo ocupar a quinta vaga em seu respectivo ano no Oscar. De última hora, exibindo conservadorismo, o filme ficou de fora, dando lugar para O Leitor.

No ano seguinte, filmes como Avatar, Distrito 9 e Up – Altas Aventuras encontraram lugar entre os indicados. E dois anos depois, A Origem procurou fazer justiça para Batman e Nolan, que ainda viu seu Dunkirk entrar na categoria melhor filme igualmente alguns anos mais tarde. Seja como for, Heath Ledger ganhou um prêmio póstumo por seu retrato do sádico anarquista Coringa. Para os críticos, que o avaliam com 94% de aprovação, O Cavaleiro das Trevas é “sombrio, complexo e inesquecível, o filme é bem sucedido não apenas como uma adaptação de quadrinhos no cinema, mas como uma rica e emocionante saga criminal”. Para os fãs, este é o quarto melhor filme de todos os tempos, com 90% de aprovação.

COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: