O réveillon de 2021 foi regado a muita bebida, comida e… Cobra Kai. Numa decisão curiosa, a Netflix (atual distribuidora do programa) resolveu lançar sua mais nova temporada da série de enorme sucesso Cobra Kai numa data especial e, digamos, inusitada: o dia 31 de dezembro. Enquanto muitos se preocupavam com a ceia de ano novo, os comes e bebes, e receber os parentes e amigos; os fãs de um dos seriados mais queridos e nostálgicos dos últimos anos tinham outra missão em mente: maratonar os novos dez episódios que formam a quarta temporada. E o sucesso é tanto que já foram confirmadas a quinta e a sexta já está sendo escrita – é o que divulgou o showrunner Robert Mark Kamen.

Para você que esteve debaixo de uma rocha nos últimos quatro anos e ainda não sabe, Cobra Kai é a continuação dos filmes Karatê Kid da década de 1980. Agora em versão série de TV. A ideia nasceu de uma teoria criada por fãs que dizia que Daniel ‘San’ LaRusso era quem praticava bullying em Johnny Lawrence, seu rival, por ter chegado na cidade e “roubado” a namorada do sujeito. Por mais absurda que possa parecer a proposta, a brincadeira é válida e viralizou, crescendo até se transformar nessa série. A primeira temporada foi ao ar no Youtube Red – que seria a plataforma de streaming do Youtube. Como a plataforma não vingou, a Netflix aproveitou a ideia e a partir da segunda temporada começou a produzir e distribuir o programa.

Contando com as voltas de William Zabka como Johnny e Ralph Macchio como Daniel agora na meia idade, a trama parte de onde os anos 1980 deixaram esses personagens. Bem, a ideia era voltar para o original, mas como a série fez sucesso, começaram a ser levadas em conta a cada nova temporada também as continuações de Karatê Kid – A Hora da Verdade (1984), em especial as duas sequências imediatas: Karatê Kid 2 – A Hora da Verdade Continua (1986) e Karatê Kid 3 – O Desafio Final (1989). A maior ausência sentida continua sendo a do eterno Sr. Miyagi, Pat Morita, falecido em 2005. Sua presença, no entanto, é sentida por toda a série desde a primeira temporada – sempre sendo citado por Daniel e outros personagens.

Para entrar no clima desse sucesso absoluto – que caso você ainda não tenha visto está mais do que na hora de conferir – e se preparar para as vindouras temporadas, iremos linkar nesta nova matéria a série com os filmes antigos de Karatê Kid através dos personagens dos anos 80 que já deram as caras no programa, para que você não fique perdido, ou simplesmente queira relembrar quem é quem. Confira abaixo e não esqueça de deixar seu comentário.



Terry Silver

Aproveite para assistir:

A mais nova adição ao elenco da série Cobra Kai acaba de estrear na quarta temporada. O veterano Thomas Ian Griffith marca seu retorno como o vilanesco Terry Silver. Ao contrário dos demais personagens, Griffith é o primeiro ator a retornar do terceiro longa da franquia. Terry Silver foi introduzido na terceira parte das aventuras de Daniel e Miyagi nas telonas – o filme que recebeu menos apreciação e avaliações positivas dos críticos da chamada “trilogia”. Os fãs, por outro lado, gostavam de sua aura “trash” e o guardam com enorme nostalgia – enaltecendo seu valor de diversão. Assim, os fãs de Cobra Kai clamaram e na quarta temporada, Terry Silver está de volta, portando cabelos grisalhos agora.

O interessante é que o próprio Griffith não achava que seria chamado de volta, talvez pensando que os realizadores descartariam o terceiro e exagerado episódio da franquia como cânone. Mas Cobra Kai é sinônimo de diversão e entretenimento, valor de nostalgia. Assim, é claro que o terceiro filme está incluído – só é preciso humaniza-lo um pouco. Até o próprio Terry, agora mais velho, faz piada de seu comportamento (e a atuação exagerada e caricata do ator no terceiro longa) culpando o abuso de cocaína por seu tom canastrão no filme. Agora Silver está mais moderado, equilibrado e deseja trazer de volta o verdadeiro espírito do karatê.

John Kreese



E se Terry Silver foi a grande surpresa da estreia da quarta temporada, a série já havia aprontado uma parecida antes na transição da primeira temporada para a segunda. Quando Cobra Kai estreou, o programa tratava do embate entre Johnny e Daniel – foco ainda em voga na série. Mas se não podia trazer o equilíbrio pela ausência do ator Pat Morita, o caminho inverso não podia faltar com o convite feito para o grande vilão do filme original retornar. Assim, John Kreese adentrava o tatame novamente nas formas de Martin Kove. O personagem era o mestre de Johnny, e o dono da escola de karatê Cobra Kai. Era ele que ensinava a atacar primeiro e criou uma série de valentões saídos de sua escola – em especial Johnny, que adoravam implicar com os mais fracos. Como dizia o sábio Sr. Miyagi: “não existe aluno ruim, existe professor ruim”. E como sempre estava certíssimo.

Ali Mills

Quando Cobra Kai estreou sua segunda temporada e trouxe de volta um dos elementos chave do filme original, ou seja, Martin Kove novamente na pele de John Kreese, começaram as especulações e o alvoroço em torno da possibilidade de se ter de volta a “garota” símbolo da franquia. E não, não estou falando de Hilary Swank. Brincadeiras à parte, a atriz Elisabeth Shue é a protagonista feminina do primeiro filme, e podemos dizer que é o motivo de toda a trama girar. Afinal, se não fosse ela para ficar entre Johnny e Daniel, os dois provavelmente não teriam se conhecido, não teriam brigado e não teríamos filme. Assim, muito obrigado Elisabeth Shue (vulgo Ali), por virar a cabeça dos meninos nos anos 80 e nos dar esse clássico inesquecível.

Zabka, Macchio e Kove ficaram imortalizados pelo filme original, mas suas carreiras atualmente não estavam, por assim dizer, de vento em popa. Desta forma, é claro que aceitariam voltar aos holofotes. Mas será que conseguiriam aliciar a indicada ao Oscar Elisabeth Shue? E a resposta foi: sim! Mostrando ser uma grande esportista e levar tudo na boa em nome dos fãs, Elisabeth Shue tem se mostrado uma atriz legal e descolada nos últimos anos, tendo participado inclusive da série de heróis subversivos da Amazon, The Boys. E talvez tenha sido essa série – além do sucesso de Cobra Kai, é claro, que a fez aceitar o convite para retornar como Ali e ficar de novo no meio dos protagonistas. Desta vez, porém, demonstrando um pouco de maturidade (ou quase), o coração dos rapazes já estava ocupado.

Kumiko e Chozen



A terceira temporada é a que ganha medalha de ouro em termos de participações de figuras conhecidas da franquia. A maior de todas, é claro, sendo o retorno de Elisabeth Shue como Ali – citado acima. Mas foi na terceira temporada também que começaram a aparecer personagens para além do filme original, o que demonstrou pela primeira vez que os realizadores do programa estavam dispostos a estender a mitologia da série, deixando claro que as continuações também são cânone. À altura da terceira temporada, ao menos o segundo filme. Agora sabemos que o terceiro também e que tudo vale. A continuação direta de Karatê Kid, lançada dois anos depois, levou o Sr. Miyagi ao passado, em viagem ao Japão para visitar seus parentes e amigos de juventude. É claro que não seria um filme de Karatê Kid se Daniel não se juntasse a ele. Assim, de um filme juvenil sobre bullying no colégio, a franquia ganhava ares de “James Bond”, com direito a viagens e tramas internacionais.

A verdade é que o Sr. Miyagi de Pat Morita se tornou um personagem tão querido e popular que entraria para sempre no imaginário dos fãs como um dos melhores mestres do cinema. Como prova disso está a indicação ao Oscar que o ator recebeu no papel. Assim, os realizadores resolveram apostar um pouco mais na história de origem do mestre e tratar o segundo filme como “um filme de Miyagi”. Daniel também tem sua cota de “entretenimento” e no Japão, em Okinawa (onde a trama se desenrola), se apaixona por uma nova moça, a japonesa Kumiko, e enfurece um novo rapaz, Chozen. Aqui, o mote era que a luta valia não mais um troféu num campeonato, mas sim sua vida – aumentando bastante os riscos. Kumiko e Chozen dão as caras, agora bem mais velhos (mas ainda nas formas de Tamlyn Tomita e Yuji Okumoto), em episódios da terceira temporada. E como sempre em Cobra Kai, terminam por quebrar expectativas de forma positiva.

Lucille LaRusso

Essa é outra personagem responsável por termos um Karatê Kid para começo de conversa. Lucille LaRusso é a mãe de Daniel San. É ela quem tira o rapaz de sua cidade em Nova Jérsei e se muda com ele para a Califórnia, terra dos ricos, famosos e esnobes. O problema é que Daniel e sua mãe não são ricos e vão morar num conjunto habitacional. O garoto fica contrariado e logo começa a sofrer bullying. Lucille na verdade busca uma vida melhor para si e para seu filho. Sempre solícita, ela é a típica mãe da década de 80. Vivida pela atriz Randee Heller, Lucille apareceu no primeiro e terceiro filmes da franquia. Em Cobra Kai ela debutou ao lado de Macchio e Zabka na primeira temporada em 2018, voltando ao papel da matriarca. Depois retornaria em mais um episódio da segunda temporada, e agora aparece no oitavo episódio da quarta temporada – tendo ficado de fora da terceira. Lucille pode muito bem voltar em novas temporadas, e seria interessante ver um episódio dedicado a ela.

Tommy, Bobby e Jimmy



Fechando as participações de Cobra Kai (até o momento), retornamos para o primeiro filme. Quando adolescente, Johnny Lawrence era o típico “playboy brigão babaca”. E quando se tem um tipo assim, pode acreditar que em volta sempre tem a famosa “turminha de iguais”. A turminha de Johnny que incentivava seu comportamento era formada por Tommy, Bobby e Jimmy. Todos, é claro, alunos do Cobra Kai e valentões por si só. Adoravam maltratar o pobre Daniel. A série, por outro lado, fala sobre amadurecimento, dentre outros tópicos. Assim, é muito legal ver tais figuras caricatas, agora na meia idade, precisando lidar com outro tipo de problema, encarnando outro tipo de vida. E para esse episódio emotivo foram trazidos de volta os mesmos atores. Ron Thomas (Bobby), Tony O’Dell (Jimmy) e Rob Garrison (Tommy). Bobby virou pastor, e Tommy se viu vítima do câncer, como doente terminal. O curioso é que o ator Rob Garrison tinha câncer na vida real e gravou o episódio enquanto combatia a doença. No episódio, o personagem morre após a última aventura. Na vida real, Garrison faleceu um tempinho depois, em setembro de 2019 – fazendo tudo mais real e emotivo.

Não deixe de assistir: