Com surpreendentes 11 indicações ao Oscar, o filme que decidiu contar a origem do Coringa conquistou milhões de fãs ao redor do mundo, além de ir muito bem nas bilheterias, garantindo a existência do selo DC Black, que vai contar histórias dos personagens da DC sem ligação com o universo estendido da empresa. No Oscar, ser indicado esse tanto de vezes não é para qualquer um, mas também não é garantia de levar os prêmios – “Trapaça” que o diga. Mas, diferentemente de “Trapaça”, que foi indicado a 11 categorias e não
ganhou em nenhuma, não acredito que “Coringa” vá passar em branco na cerimônia
de premiação cinematográfica mais famosa do mundo. Por isso, baseado nas escolhas dos anos anteriores e no desempenho do filme nas premiações desse ano, vamos analisar as chances do longa de Todd Phillips em cada categoria.

Confiram!

Melhor Filme:


É de conhecimento público que a Academia nutre preconceito
contra os filmes baseados em super-heróis, então as chances de levar são bem
remotas. Além disso, “Coringa” perdeu nessa categoria nas duas grandes
premiações até aqui: o Globo de Ouro e o Critic’s Choice. É bem provável que o
prêmio fique com “1917”, o filme mais neutro/ padrão Oscar dos concorrentes; “O
Irlandês”, o que seria surpreendente, dada a má vontade dos votantes para com a
Netflix, ou até mesmo “Era Uma Vez em… Hollywood”, já que a Academia adora premiar
filmes que homenageiem o cinema.

Melhor Ator:

Aproveite para assistir:

Apesar de estar concorrendo com Leonardo DiCaprio em uma de suas melhores atuações, é quase certo que Joaquin Phoenix leve esse prêmio. Isso
porque a Academia não premia “apenas” quem atua melhor, mas também quem “atua
mais”. Ou seja, Phoenix perdeu 24kg para encarnar Arthur Fleck, adotou a
chamada “atuação de método”, em que encarnava o personagem dentro e fora dos
sets… E fez um trabalho esplêndido também. Sem contar que o ator foi premiado
nessa categoria no Globo de Ouro e no Critic’s. Leva com merecimento.

 

Melhor Diretor:


Se Todd Phillips levar esse prêmio, será a grande zebra da
noite. Isso porque ele fez um bom trabalho atrás das câmeras, realizando uma
direção segura, mas nada primorosa. O veterano Martin Scorsese (O Irlandês) e
Sam Mendes (1917) despontam como os favoritos, com uma leve vantagem para Sam
Mendes. Os bastidores do filme estão sendo divulgados à exaustão e o trabalho
de direção dele se sobressai.

 

Roteiro Adaptado:


Outra categoria ao qual o filme foi indicado, mas que não
deve levar. Nos anos recentes, “roteiro adaptado” tem premiado histórias mais
ousadas, inovadoras e dinâmicas. O roteiro de “Coringa” bebe muito da fonte dos
filmes antigos de Martin Scorsese, e a Academia não costuma premiar isso. Por
isso, acredito que Jojo Rabbit e Dois Papas disparem como favoritos.

 

Melhor Edição:


Tem boas chances de levar. “Coringa” usa a edição como um
personagem no filme, ajudando a construir a persona insana de Arthur Fleck e
isso costuma ser reconhecido. Porém, Ford Vs Ferrari também é um filme bem
editado, sendo que a edição influencia diretamente no ritmo do longa.

 

Melhor Fotografia:            


Coringa tem um trabalho fantástico de Fotografia e isso é inegável, mas o uso dela para construir a história e criar tensão, como é usado em “O Farol”… Seria bem injusto se o filme mais esnobado do Oscar 2020 não levasse essa. Além de “O Farol”, “Era Uma Vez em…
Hollywood” é bem mais favorito que “Coringa”. Ou seja, não deve levar por
mérito dos outros.

 

Melhor Maquiagem e Cabelo:


O principal concorrente de “Coringa” nesta categoria é “Judy”- que deve levar o prêmio de melhor atriz. O Oscar costuma premiar trabalhos de maquiagem que sejam mais simples, mas extremamente bem realizados. Joaquin Phoenix parece viver dois personagens diferentes ao
encarnar Arthur Fleck e o Coringa. E boa parte disso vem do trabalho de
maquiagem. Acredito que leve o prêmio.

 

Melhor Mixagem de Som:

Ad Astra”, “Ford Vs Ferrari”, “1917
e “Era Uma Vez em… Hollywood”. Coringa entra nessa como um azarão. Pode até
ganhar, mas não seria justo. É bem provável que o trabalho fantástico da equipe
de Ad Astra fature esse.

 

Melhor Edição de Som:

Dois filmes de guerra concorrem nessa categoria – “Star Wars: A Ascensão Skywalker” e “1917” -, além de um filme que replica e trabalha perfeitamente a aventura sonora das 24 horas de Le Mans (“Ford Vs Ferrari”) e uma viagem alucinógena pela Hollywood dos anos 60. Sem chances para o Palhaço do Crime aqui.

 

Melhor Design de Figurino:

Mesmo tendo como principal concorrente “Era Uma Vez em… Hollywood”, o trabalho de figurino de Coringa é simplesmente fantástico. As roupas definem e dão personalidade aos personagens e ajudam no processo de transformação do personagem título com muita
simplicidade. Acredito que leve e com méritos.

 

Melhor Trilha Original:

O trabalho primoroso de Hildur Guðnadóttir vem sendo reconhecido em todas as premiações até aqui. Seria, no mínimo, injusto se ela não levasse o Oscar também. Podem tentar surpreender com um John Williams – que seria mais como uma homenagem ao legado dele para o cinema – ou até mesmo Randy Newman, com sua trilha intimista de “História de um Casamento”. Mas se der a lógica, “Coringa” fatura esse com todos os méritos.

E vocês, o que acham?

Quais os seus palpites? Digam nos
comentários.

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE