Crítica | Detetives do Prédio Azul 2: O Mistério Italiano – Uma aventura mágica no estilo ‘Harry Potter’

Crítica | Detetives do Prédio Azul 2: O Mistério Italiano – Uma aventura mágica no estilo ‘Harry Potter’

Nota:

Todas as gerações foram representadas nos cinemas com filmes infantis de sucesso que marcaram época. Dos filmes dos Trapalhões e da Xuxa até a recente franquia ‘Harry Potter‘, sempre tivemos produções que divertiam as crianças nas férias e as brindava com histórias envoltas de magia e humor para que a criatividade pudesse tomar asas e viajar.

Após um tempo sem filmes para a garotada se divertir nos cinemas, finalmente temos uma nova franquia de sucesso: ‘Detetives do Prédio Azul’. Após a divertida e simples série no canal Gloob, a Paris Entretenimento decidiu alavancar voos maiores e levar Bento (Anderson Lima), Sol (Leticia Braga) e Pippo (Pedro Henriques Motta) para as telonas, com aventuras mais rebuscadas, inteligentes e divertidas.

Após o primeiro filme levar mais de 1,2 milhão de espectadores aos cinemas, a sequência conseguiu mais recursos para poder investir alto em efeitos especiais, um roteiro mais elaborado e… uma grandiosa viagem para a Itália.

O resultado? Uma produção nacional de primeira, que mistura elementos de ‘Harry Potter‘ com o clássico ‘Convenção das Bruxas‘, e cria um filme com selo hollywoodiano de qualidade – mas sem perder sua essência brasileira.

Os invencíveis, imbatíveis e, agora, internacionais, Detetives do Prédio Azul, daqui a pouco chegam as telonas para mais uma aventura. Desta vez, Pippo, Sol e Bento vão parar na maior convenção de bruxaria do mundo, o Expo Bruxo, na Itália, para desvendar o sumiço da feiticeira Berenice (Nicole Orsini). Mas nossos detetives não estão sozinhos nessa. Para enfrentar os vilões, os bruxos Máximo (Diogo Vilela) e Mínima Buongusto (Fabiana Karla), eles vão contar com a ajuda do Nono Giuseppe (Antônio Pedro), o avô de Pippo.

O trio de protagonistas está ainda mais a vontade como seus personagens, entregando grandes atuações para atores mirins, transmitindo emoção, diversão, e em alguns momentos, medo. Em determinada cena para salvar seu avó, Pippo se emociona cantando Aquarela (Toquinho), e consegue fazer com que toda a plateia se emocione com ele.

Além de trazer magia, enigmas pra lá de inteligentes, e uma aventura nos moldes de ‘A Lenda do Tesouro Perdido’, o filme consegue traçar um retrato das crianças de hoje em dia, mais antenadas e espertas que as das gerações passadas e engaçadas com a tecnologia.

Quem ganha destaque é a Nicole Orsini, que vive a Berenice, em uma atuação poderosa ao mostrar uma personagem cheia de camadas, que aparentemente é uma garota má, mas na verdade é apenas mal compreendida. Sua personagem é a melhor coisa desse filme cheio de acertos.

O destaque ainda vai para a direção caprichada de Vivianne Jundi, aliada a uma fotografia belíssima e efeitos especiais de ponta, que consegue nos transportar do Brasil para a Itália de uma maneira mágica e deliciosa, com cenários de encher os olhos.

Detetives do Prédio Azul 2O Mistério Italiano‘ vai agradar em cheio a criançada e ainda divertir os pais que estiverem juntos. É um filme inteligente, cheio de coração e humor, que mostra a evolução do cinema nacional em todos os seus quesitos, desde a fotografia estonteante até a trilha sonora espetacular. Uma grande presente para  a família se divertir reunida nessas férias.