Uma experiência muito intensa pode levar a um trauma ainda maior, que, por sua vez, pode se prolongar para o resto da vida e se transformar em fobias mais agressivas, a ponto de paralisar a pessoa ou restringi-la do convívio social. Esse quadro pode ser associado a pessoas que passam por situações extremas, como sobreviver ou lutar numa guerra ou mesmo ser vítima de um brutal episódio de violência. As consequências podem ser devastadoras, irreversíveis, e conseguir em mais episódios de trauma e violência, tal como pode ser visto em ‘Encounter’, novo drama de ficção científica lançado pela Prime Video.

Malik (Riz Ahmed) é um condecorado fuzileiro da Marinha que, após ter combatido na guerra, voltou para os Estados Unidos e vive sob a supervisão psicológica da agente Hattie (Octavia Spencer), única pessoa em quem confia. Quando Malik começa a perceber que há um surto epidemiológico na população, que está se infectando com uma espécie de parasita trazido por alienígenas que corrói tudo por dentro e cujos sinais aparecem na pupila dos olhos, ele sai em uma desvairada missão de resgate de seus dois filhos, que vivem com sua ex-esposa. Só que o que era para ser uma viagem de carro disfarçada de férias em família acaba se transformando em uma terrível perseguição e luta pela própria vida.

Em quase uma hora e cinquenta de duração, ‘Encounter’ traz um tom angustiante que a paranoia obsessiva cria na mente de um indivíduo e se transforma em dramática dissolução. Não é exatamente um filmão – na real, o ritmo arrastado, as sequentes cenas no vazio com poucos diálogos com as crianças e o número reduzido de personagens e de obstáculos fazem com que o espectador se impaciente um pouco na poltrona, pois o enredo demora a evoluir. Mas, novamente, o filme não trata daquilo que está evidente na trama, mas sim do que não é dito: a enormíssima indústria do trauma que vem sendo cultivada nos Estados Unidos nas últimas décadas, como consequência das milhares de pessoas enviadas às guerras fabricadas por aquele país. E seus resultados internos, como podemos ver quase diariamente nos noticiários.



Para construir esse ápice paranoico, o filme de Michael Pearce confia sua história essencialmente na interpretação de seu protagonista, e Riz Ahmed não decepciona. Sua atuação é extremamente angustiante, convincente de uma ameaça real ainda que nós mesmos não consigamos vê-la. Tal como em ‘O Som do Metal’, Riz entrega tudo de si para dar vida a um pai cujas sombras do passado ameaçam a convivência natural em família. Octavia Spencer, por sua vez, aparece completamente apagada, como quem está sem vontade de estar ali; para quem brilhou em ‘A Vida e a História de Madam C.J. Walker’, esperava-se bem mais entrega da atriz.

Aproveite para assistir:

Encounter’ é uma grande aposta ao Oscar. Não tem uma história cativante, é verdade, mas vale pela (novamente) incrível atuação de Riz Ahmed, que pode receber por este filme sua segunda indicação ao Oscar de Melhor Ator. Em época de início de corrida pela estatueta de ouro, ‘Encounter’ pode ser uma boa aposta para quem já quer começar a assistir aos possíveis candidatos ao prêmio em 2022.



COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: