Crítica | O Peso do Passado - Nicole Kidman destruidora em sua melhor atuação

Crítica | O Peso do Passado - Nicole Kidman destruidora em sua melhor atuação

Nota:

A indústria cinematográfica sempre foi cruel com as mulheres. Há alguns anos, era muito difícil uma atriz com mais de quarenta anos conseguir um papel de protagonista, pois os estúdios não se interessavam em contar histórias sobre mulheres nessa faixa etária. Ou seja: se você não fosse Meryl Streep, dificilmente conseguiria emprego. Essa crueldade foi responsável pelo sumiço de atrizes queridíssimas nos anos 90, como Meg Ryan, Andie McDowell, Demi Moore, Kim Basinger, entre outras.

Para nossa sorte, Hollywood está mudando e descobriu que existe um público consumidor de filmes estrelados por mulheres maduras, trazendo de volta essas grandes atrizes que marcaram gerações. Isso deu a Nicole Kidman a oportunidade de retornar em grande estilo e arrebatar diversos prêmios por sua atuação na série 'Big Little Lies' - produzida por Reese Witherspoon, que tem produzido filmes e séries protagonizados por mulheres com mais de 40 anos.

Agora, Kidman volta com tudo para tentar abocanhar seu segundo Oscar - ela foi a primeira australiana a vencer o Oscar de Melhor Atriz por 'As Horas', de 2002. Kidman se despe de toda sua vaidade e surge envelhecida e destruída para viver uma policial alcoólatra e traumatizada em 'O Peso do Passado' (Destroyer), drama que pode render sua quinta indicação ao Oscar.



Em uma atuação poderosa, Kidman se desfaz e se entrega totalmente à sua personagem. Eu não via uma atriz tão comprometida a uma personagem desde Charlize Theron em 'Monster - Desejo Assassino', que lhe rendeu um Oscar em 2014.

'O Peso do Passado' acompanha a detetive Erin Bell (Kidman) que, ainda jovem, se infiltrou numa gangue californiana numa missão que teve resultados desastrosos. Anos depois, com o retorno do antigo líder da organização, ela tem que voltar a se relacionar com os membros que restaram daquele grupo e, consequentemente, enfrentar os demônios do seu passado.

Apesar da grande atuação de Kidman, 'O Peso do Passado' não é um filme memorável: tem seus louros por te envolver na história, mas em nenhum momento chega a ser inovador ou surpreendente.

É surpreendente o trabalho de maquiagem: a história se passa em duas linhas temporais, com 17 anos de diferença, e é incrível ver como eles conseguiram mudar a fisionomia dos atores. Outro destaque também do filme é a direção de Karyn Kusama, de 'Garota Infernal' e 'Aeon Flux', que tira o melhor dos atores em atuações memoráveis.

Além de Kidman, Sebastian Stan ('Vingadores: Guerra Infinita') e Tatiana Maslany ('Orphan Black') também estão sensacionais em seus papéis.

Kusama consegue manter nosso interesse na história mesmo quando o roteiro, bastante frágil, diminui seu ritmo - sendo salvo por uma reviravolta muito interessante no final.

'O Peso do Passado' é um suspense dramático feito nos moldes do Oscar, realizado para Kidman brilhar - e ela faz isso como um holofote. É envolvente, comovente e bem planejado, mas sofre por trazer uma atuação muito mais interessante que o filme em si.

O filme chega aos cinemas nacionais dia 17 de Janeiro de 2019.

Assistido no Fantastic Fest em Austin, no Texas!





Inscreva-se em nosso canal e receba conteúdo exclusivo » http://goo.gl/mPcJ5c