Apresentado no Festival de Sundance e lançado ao público pela Netflix, Velvet Buzzsaw surpreende à primeira vista pelo elenco composto por Jake Gyllenhaal, Rene Russo e Toni Collette e, ainda mais, por ser tratar de um filme satírico sobre a milionária e esnobe esfera social dos merchants e um seletíssimo grupo de artistas sob a forma do gênero terror, especificamente, com a franquia Premonição (2000, 2003, 2006, 2009, 2011).

Com um bom começo, o filme apresenta os personagens em suas posições sociais de desprezo, soberba e poder. Encabeçados pelo petulante crítico de arte Morf Vandewalt (Jake Gyllenhaal), a gente navega com eles sobre perspectivas de julgamento e ilusão do valor de obra que demanda fazer as pessoas sentirem novas experiência.

A composição de Gyllenhaal para o crítico bissexual Morf é admirável, ele consegue mostrar soberania e fragilidade, além de extremos tiques e manejos, mas não se compara à sua atuação anterior com o mesmo diretor Dan Gilroy, em O Abutre (2014). Mais uma vez, Gilroy cria uma um panorama de perdição em frente à  ambição humana, mas ao invés de um psicopata, agora é um espírito vingador que traz a sua mensagem.

Se compararmos ambos, a psicopatia de Gyllenhaal é mais assustadora que todas as mortes nesta mistura de comédia com assombração maligna e mortes esdrúxulas. As melhores sacadas da produção, entretanto, está no jogo entre os personagens e na exaltação exacerbada  às obras das galerias de arte, além da relação, no mínimo, bizarra entre Morf e Josephina (Zawe Ashton).

Com um elenco ótimo em uma história comicamente trash, Zawe Ashton destoa pela sua falta de expressão, passando de semblantes mórbidos a pávidos. Depois de colocadas as peças no tabuleiro, Gilroy começa a teia de maldição a partir da morte súbita de um vizinho de Josephina. O desconhecido deixa uma coleção incrível das obras de Vetril Dease, um artista desconhecido que arrebata a todos à primeira vista.

10 filmes de terror no Amazon Prime Video para fugir dos problemas…

Aproveite para assistir:

10 Séries de Comédia para Maratonar nas Próximas Semanas

Ambicioso, Morf já planeja uma biografia e começa a pesquisa sobre a origem e vida do anônimo talento, enquanto busca informações a atmosfera ao redor começa a mudar e a primeira vítima é o instalador da galeria Bryson (Billy Magnussen), dado como desaparecido após sofrer um estranho acidente. Conforme a popularidade das obras de Dease espalha-se, as mortes também começam a ocorrer uma atrás da outra.

Se em Premonição, a morte agia das formas mais inusitada para dragar a vida das pessoas, em Velvet Buzzsaw os contextos tentam ser engraçados e menos trash, mas concebem cenas sem suspense ou graça. Se focarmos apenas nas esquisitices dos personagens artísticos, tal como Mapa para as Estrelas (2014), de David Cronenberg, a obra seria mais interessante, sem a parte do terror burlesco.

15 Séries da Netflix Para Maratonar

15 Séries da Globoplay Para Você Maratonar

15 Séries da Amazon Prime Para Maratonar neste mês

10 reality shows insanos pra você que amou The Circle e Casamento às Cegas

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE