Esse fim de semana terá algumas maratonas nas TVs aberta e fechada voltadas para relembrar os atentados de 11/9, que completam 20 anos neste sábado. Porém, caso queira fugir dessa temática, o CinePOP selecionou cinco filmes disponíveis nos streamings para conferir neste fim de semana.

 

Nós (Netflix)

Lançado após o grande sucesso de Corra!, o segundo terror carregado de críticas sociais de Jordan Peele veio com um elenco pesadíssimo encabeçado pela brilhante Lupita Nyong’o, que entrega aqui uma atuação digna de prêmios. Quem também brilha nessa história é Winston Duke, que está em um papel mais leve de paizão do subúrbio. Pois bem, nesse terror esquisito, Jordan nos faz acompanhar uma família negra dos EUA que enfrenta aqueles problemas clássicos de todo filme passado nos EUA. A solução para resolver isso é uma viagem para a praia, onde eles deveriam relaxar e curtir a vida. Só que, ao chegar lá, eles têm a casa invadida por sequestradores mascarados. E aí as coisas ficam bizarras. Quando os invasores tiram as máscaras, a família se choca ao perceber que são apenas cópias deles mesmos tentando substituí-los na sociedade. Agora, a família tem que encontrar um jeito de escapar e sobreviver. E acredite: tem mesmo uma crítica social pesadíssima por trás disso tudo.



 

Megatubarão (HBO Max)

Aproveite para assistir:

Apesar de ter chegado aos cinemas dos EUA como um grande lançamento, Megatubarão não foi tão comentado quanto deveria no Brasil. Isso porque esse filme de ação, suspense e humor flerta com a temática trash dos longas de tubarão mais recente, mas também se leva a sério o suficiente para trazer bons efeitos especiais e fazer um tipo de sátira desse subgênero, proporcionando entretenimento bobo e competente. Na trama, um grupo de pesquisadores fica preso no Pacífico e sofre um ataque de uma criatura desconhecida. Então, cabe aos cientistas do projeto convocarem o maior especialista de resgate submarino do mundo: Jason Statham. Quer dizer, esse não é o nome dele, mas é impossível ver esse filme e não falar: “ih rapaz, olha lá o Jason Statham!”. Enfim, ele aceita resgatar a equipe e descobre que um tubarão pré-histórico de muitos metros de comprimento está causando aquilo tudo. Cabe a ele encontrar um jeito de destruir a “Meg” antes que o animal conquiste os oceanos da Terra mais uma vez. É um filme muito divertido que sabe criar suspense, mas que cativa mesmo pela ação e o humor.

 



Val (Amazon Prime Video)

Com produção da A24, esse documentário foi vendido como uma biografia do ator Val Kilmer, mas vai além. Como todos sabem, a carreira do ator nunca chegou ao auge que os críticos imaginavam e projetavam nos primeiros anos de Kilmer nas telas. Marcada pela irregularidade, ela mexeu diretamente com a cabeça do ser humano por trás da figura midiática que é mostrada nos cinemas e nos tapetes vermelhos. Partindo dessa história de vida de Val Kilmer, ao longo de quase duas horas, o documentário transita entre a cabeça e as memórias do ator até construir um paralelo quase poético sobre a vida em si, sobre a arte e sobre o mundo do cinema, dentro e fora dos filmes. É uma grata surpresa de 2021 que possivelmente levará o espectador as lágrimas.

 

Querido Menino (HBO Max e Amazon Prime Video)

Mesmo tendo chegado nesta semana ao HBO Max, Querido Menino já estava disponível há um bom tempo no Amazon Prime Video. Agora que está em dois streamings, são maiores as chances do público conferir esse drama de mão cheia estrelado por Steve Carell e Timothée Chalamet. Na trama, o personagem de Carell é um jornalista e escritor que vive com os filhos e sua segunda esposa (Amy Ryan). Eles tentam viver aquele estereótipo de família ideal, mas sofrem muito com o filho mais velho (Chalamet), que procura sua identidade no mundo enquanto lida com um vício terrível em metanfetamina. Isso começa a abalar as estruturas da família, que sente estar perdendo o garoto para as drogas e não sabe exatamente como agir para tentar trazê-lo para fora deste mundo. E a forma como a direção mescla as cenas do presente com momentos de flashbacks para mostrar os efeitos que a droga vem causando no menino e na família é um grande acerto. Com muita sensibilidade, o longa não se limita a achar heróis ou vilões nessa história dramática, é uma visão muito humana de que qualquer um pode estar sujeito a isso sem nem perceber. É um dos filmes mais impressionantes dos últimos tempos sobre dependência química justamente por não se render ao senso comum de apontar o dedo para a vítima e tratar o tema como a triste doença que ela é.

 



O Esquadrão Suicida (HBO Max)

Lançado nos cinemas há pouco mais de um mês, O Esquadrão Suicida é a grande estreia do HBO Max deste domingo (12). Disponível sem custos adicionais no streaming, o longa de James Gunn traz ação, humor e muita violência gráfica para as telas em uma adaptação maravilhosa dos vilões da DC. Após o fracasso de 2016, a missão do novo Esquadrão Suicida é investigar um país da América Latina que supostamente está escondendo uma arma mortal que pode colocar o mundo – leia-se EUA – em risco. Então, Amanda Waller (Viola Davis) envia o grupo de vilões mais descartáveis de todos os tempos  para tentar impedir o avanço desse novo governo e da tal arma. Apesar da trama clichê, Gunn brinca bastante com isso flertando entre a sátira e o “se levar a sério”. Por mais que isso não costume funcionar tanto, aqui gera o tom perfeito para uma aventura surtada, de ritmo frenético, com personagens C dos quadrinhos terminando como alguns de seus favoritos e sobra tempo até para uma mensagem contra o governo americano. Tudo isso embalado com muita cor e carisma. Um acerto gigantesco da DC.

Comentários

Não deixe de assistir: