DreamWorks 25 Anos: Da pior à melhor das animações do estúdio

DreamWorks 25 Anos: Da pior à melhor das animações do estúdio



Fundada em 1994 por Steven Spielberg, Jeffrey Katzenberg e David Geffen, a DreamWorks completa 25 anos em 2019. Neste meio tempo, se consolidou como uma das grandes produtoras de cinema de Hollywood e se destacou especialmente no campo da animação, sendo a principal concorrente da Disney/Pixar neste período.

Aproveitando a data marcante e o sucesso de Como Treinar o Seu Dragão 3, em cartaz nos cinemas Brasileiros, o CinePOP decidiu preparar um ranking como todas as 36 animações do estúdio no período. O desafio é grande e este tipo de lista com muuuuuuuitos filmes pode sempre gerar polêmica. Mas tá liberado discordar! É só participar nos nossos comentários.

Vamos lá!

36 | Cada um na Sua Casa

Lançado em 2015, Cada um na Sua Casa chamou mais atenção por seu elenco de vozes do que pela trama genérica. Jim Parsons, Rihanna, Steve Martin e Jennifer Lopez formaram o time de dubladores. O filme faturou US$ 177 milhões nas bilheterias americanas e pouco mais que o dobro disso no resto do mundo. Os números não parecem ruins, mas o custo elevado de US$ 135 milhões (isso sem falar o orçamento para divulgação) fez com que o lucro fosse quase mínimo.

35 | Shrek Para Sempre

Shrek Para Sempre é a quarta maior bilheteria da história da DreamWorks, ficando atrás apenas dos outros três filmes da franquia Shrek. Mas nem o sucesso comercial foi capaz de compensar o desgaste narrativo que o longa causou na saga. O resultado foi tão decepcionante que o estúdio desistiu da franquia por um tempo considerável.

Aproveite para assistir:


34 | Sinbad – A Lenda dos Sete Mares

Com um time de vozes com nomes como Brad Pitt, Catherine Zeta-Jones e Michelle Pfeiffer, Sinbad – A Lenda dos Sete Mares foi um retumbante fracasso comercial, faturando apenas US$ 80 milhões em todo mundo. O desempenho nas bilheterias quase faliu a DreamWorks, que vendeu parte da produtora para a Paramount Pictures para compensar as perdas.

33 | Os Pinguins de Madagascar

Coadjuvantes simpáticos na trilogia Madagascar, os pinguins ganharam um spin-off só pra eles. Nasceu assim Os Pinguins de Madagascar. O filme foi fracasso de crítica e também decepcionou com relação ao público. E provou que não é porque coadjuvantes divertidinhos funcionam em um filme, que eles têm força para carregar uma história própria.

32 | O Poderoso Chefinho

Um dos mais recentes filmes do estúdio, O Poderoso Chefinho é uma sucessão de equívocos. História fraca, repleta de furos e personagens nada cativantes. Nasce de uma premissa interessante, mas não boa o bastante para merecer um longa. Alec BaldwinSteve Buscemi e Lisa Kudrow são os principais dubladores.

31 | As Aventuras do Capitão Cueca

Filme de animação digital de pior bilheteria da DreamWorks. Só não foi um fracasso completo, pois tinha uma baixo orçamento (apenas US$ 38 milhões). Ainda assim, apresentou um história genérica e nada empolgante. As vozes de Kevin Hart e Ed Helms também não chamaram muito a atenção.

30 | Trolls

O que sobra de cor, falta em personalidade em Trolls. A animação ficou mais marcada pela canção “Can’t Stop The Feeling!” do que por sua história principal. Por sinal, a trilha sonora é das poucas coisas que se salvam. A dupla Anna Kendrick e Justin Timberlake é o destaque na dublagem.

29 | Madagascar 2

Lançado três anos após o sucesso de Madagascar, Madagascar 2: A Grande Escapada traz a turma tentando deixar a África. Já é uma tentativa de aumentar a participação dos pinguins na trama. O filme tem seus momentos, mas também não é nada memorável.

28 | Bee Movie

Fracasso de público e crítica, Bee Movie – A História de uma Abelha é algo que vale mais pela curiosidade de Jerry Seinfeld dublar uma abelha – em um de seus raros trabalhos no cinema – do que por qualquer outra coisa. Tem uma ideia boa, mas uma execução de deixar a desejar.

27 | Turbo

Turbo é uma tentativa de resposta da DreamWorks para Carros. Só que com caracóis. Não parece uma boa ideia, não é mesmo? E o resultada também não foi nada inesquecível. Um filme que parece mais interessado em vender brinquedos do que contar uma história original e curiosa.

26 | Madagascar 3

Embora superior ao segundo filme, Madagascar 3 – Os Procurados leva a turma de animais até Mônaco, na Europa. Nada de memorável acontece e muitas das piadas são repetidas. O filme praticamente garantiu que não se investisse mais na franquia. O tradicional “já deu”.

25 | Monstros vs. Alienígenas

Monstros vs. Alienígenas conta com seus momentos, mas no final das contas é mais uma animação genérica do estúdio, que está muito distante da originalidade e qualidade vistas em Monstros S.A., por exemplo. Na trama, um grupo de monstros é mantido detido pelo governo americano, que decide soltá-los diante de uma ameaça maior: alienígenas que estão atacando o planeta.

24 | O Caminho para El Dorado

Kevin Kline e Kenneth Branagh emprestam suas vozes para dois vigaristas que se deparam com um mapa que os levaria à cidade perdida de El Dorado. O filme foi um dos maiores fracassos de bilheteria do estúdio. E foi fundamental, ao lado de Sinbad, para que a DreamWorks parasse de investir em animação tradicional em 2D.

23 | A Origem dos Guardiões

A execução é problemática, mas a premissa é ótima: Papai Noel, Fada do Dente, Coelho da Páscoa e Sandman formam um grupo que busca garantir a proteção e a inocência das crianças de todo mundo. Mas um espírito do mal busca atormentar os sonhos das crianças e Jack Frost será o responsável por protegê-las. O filme têm problemas, mas é simpático e original.

22 | Shrek Terceiro

Segunda maior bilheteria da história da DreamWorks, Shrek Terceiro é melhor do que Shrek Para Sempre, mas está anos-luz de distância dos dois primeiros filmes. O longa conta a história de Shrek, Burro e Gato de Botas em busca de um herdeiro para o reino de Tão, Tão Distante, para que o ogro não tenha que assumir o papel de Rei, algo que nunca esperou.

21 | O Espanta Tubarões

Lançado um ano após Procurando Nemo, O Espanta Tubarões é muito, mas muito pior do que a clássica animação da Pixar, e foi muito prejudicado pela inevitável comparação. Mas tem seu valor. Especialmente no elenco de vozes, com nomes como Will Smith, Robert De Niro, Renée Zellweger, Angelina Jolie, Jack Black e Martin Scorsese. O fato dos peixes manterem características dos dubladores torna tudo mais especial.

20 | Gato de Botas

Dirigido por um Chris Miller que infelizmente não é o mesmo de Homem-Aranha no Aranhaverso, Gato de Botas é um spin-off do personagem que roubou a cena em Shrek 2. Como filme derivado, faz mais sentido do que Os Pinguins de Madagascar, mas também está muito longe de ser uma obra diferenciada.

19 | As Aventuras de Peabody e Sherman

As Aventuras de Peabody e Sherman já te conquista com o questionamento: “Se um menino pode adotar um cachorro, por que um cachorro não pode adotar um menino?” Isso é só o pontapé inicial para uma trama simples, mas bastante simpática envolvendo confusões e viagens no tempo.

18 | Os Croods

Divertida animação para todos os públicos, Os Croods conta a história de uma família comandada por um pai receoso que prefere manter todos sempre dentro de sua caverna. Acontecimentos, no entanto, obrigam a família a conhecer um novo mundo, mas nem todos sabem muito bem como lidar com isso.

17 | Os Sem Floresta

Talvez seja das animações menos badaladas do estúdio, mas isso não significa que não seja boa. Muito pelo contrário. Os Sem Floresta é divertidíssimo, bem animado e sempre criativo. E ainda muito atual, tratando de temas como globalização e invasão da natureza pelo homem.

16 | Megamente

Megamente chegou aos cinemas muito perto de Meu Malvado Favorito. Por algum motivo difícil de explicar, o mundo preferiu transformar o segundo em uma franquia de sucesso, por mais superficial que seja. Já o divertido Megamente foi renegado a segundo plano, o que não merecia, de forma alguma.

15 | Kung Fu Panda 2

O primeiro Kung Fu Panda é um filme cheio de coração e com boas cenas de ação. Para a sequência, os realizadores deixaram um pouco do sentimento de lado e preferiram investir em cenas de ação ininterruptas. O resultado é uma obra que tem seu momentos, mas que é muito inferior à produção original. Uma pena.

14 | Por Água Abaixo

Por Água Abaixo é fruto da parceria da DreamWorks com a Aardman Animation, produtora britânica especializada na técnica do stop-motion (animação com massinhas). O resultado técnico é sempre fascinante, mas o roteiro conta com um excesso de piadas de banheiro e referências a cultura pop.

13 | Spirit: O Corcel Indomável

Spirit – O Corcel Indomável não obteve tanto reconhecimento quanto merecia em sua estreia, mas aos poucos foi ganhando o coração do público. Ao ponto de render até uma série de TV anos mais tarde: Spirit – Cavalgando Livre. É uma obra bonita, envolvente e que defende temas importantes.

12 | Madagascar

A animação é bonita e o elenco de vozes (Chris Rock, Ben Stiller, Jada Pinkett Smith, David Schwimmer e Sacha Baron Cohen) é incrível, mas o fato do maior destaque ser uma sequência musical com uma canção que fica na cabeça para todo sempre (“Eu Me Remexo Muito”) prova que o roteiro é bem deixado de lado por aqui.

11 | Kung Fu Panda 3

Como Dragão Guerreiro, Po vê a China ameaçada por um novo e perigoso inimigo e deve fazer de tudo para salvá-la. A premissa é a mesma do segundo filme, mas aqui há uma diferença: o roteiro deixa um pouco de lado as cenas de ação e volta a investir no desenvolvimento de personagens.

10 | O Príncipe do Egito

Vencedor do Oscar de Melhor Canção Original (“When You Believe”) em 1999, O Príncipe do Egito foi apenas a segunda animação lançada pela DreamWorks e fundamental para mostrar que o estúdio tinha algo a dizer. Em 2D, a animação lembrava bastante as tradicionais animações da Disney dos anos 90.

09 | FormiguinhaZ

FormiguinhaZ é mais um filme prejudicado pela comparação. O filme estreou quase que ao mesmo tempo que Vida de Inseto, e com tema relativamente parecido, o que gerou uma certa competição entre os filmes. Olhada isoladamente, a animação da DreamWorks merecia melhor reconhecimento. O longa é divertidíssimo e ainda conta com um Woody Allen interpretando a si mesmo. Sharon Stone, Sylvester Stallone e Gene Hackman completam o time de vozes.

08 | Como Treinar o Seu Dragão 3

Em cartaz nos cinemas brasileiros, Como Treinar o Seu Dragão 3 é o encerramento perfeito para a trilogia. Começa meio devagar, mas vai só melhorando com o passar do tempo. No final, entrega momentos realmente tocantes desta incrível amizade entre Banguela e Soluço. Isso sem falar na qualidade técnica da animação, que é deslumbrante.

07 | Kung Fu Panda

A mensagem familiar de Kung Fu Panda é meio clichê, mas o filme consegue passá-la de forma tocante e envolvente. A animação é belíssima, os personagens são bem desenvolvidos e ainda temos inúmeras referências à cultura oriental, sempre de forma respeitosa. Jack Black, Dustin Hoffman, Angelina Jolie e Ian McShane arrasam na dublagem.

06 | Shrek 2

Muita gente acha Shrek 2 melhor que o primeiro. Não me parece o caso, mas isso não significa que não estamos diante de um filmaço. É ainda hoje a maior bilheteria da DreamWorks, faturando cerca de US$ 920 milhões. Conseguiu aprofundar uma história que já era interessante e ainda introduzir um ótimo coadjuvante: o Gato de Botas.

05 | Como Treinar o Seu Dragão 2

Mais um “número 2” aparecendo com destaque. Como Treinar o Seu Dragão 2 está longe de ser uma continuação oportunista. A história de Soluço e Banguela segue de forma orgânica e sempre emocionante, além de aproveitar para desenvolver muitos outros personagens em cena. E a qualidade do desenho só melhora.

04 | A Fuga das Galinhas

Apenas a quarta animação lançada pela DreamWorks, sendo a primeira em stop-motion, em parceria com a Aardman. Divertidíssimo, o filme acompanha várias galinhas, incentivadas pelo galo Rocky (Mel Gibson), que tentam escapar do galinheiro. É uma comédia de absurdos, com um misto de filme sobre campo de concentração. Talvez os adultos aproveitem mais que as crianças.

03 | Wallace & Gromit – A Batalha dos Vegetais

Diretor de A Fuga das Galinhas, Nick Park começou no mundo do stop-motion com dois curtas vencedores do Oscar sobre Wallace & Gromit. Anos depois, decidiu levar os personagens para um longa-metragem e recebeu mais um Oscar por causa disso. Na trama, um homem e seu cachorro investigam a violação de vários jardins locais, que ameaça a realização de uma feira agropecuária. Parece bobinho, mas é incrível.

02 | Shrek

Shrek é um marco da animação da DreamWorks. Deu início à franquia mais bem sucedida do estúdio (em termos de bilheteria) e ainda conquistou um Oscar de Melhor Animação, superando uma mega-produção da Pixar (Monstros S.A.). Mike Myers, Eddie Murphy e Cameron Diaz formam um trio incrível de dubladores. No Brasil, o querido ogro recebeu a voz do falecido comediante Bussunda.

01 | Como Treinar o Seu Dragão

Não foi fácil chegar nessa decisão. Shrek faturou mais dinheiro, recebeu mais prêmios e ganhou mais continuações. Mas é Como Treinar o Seu Dragão que representa um momento de auge narrativo da DreamWorks. É o filme que não deixa nada a desejar às produções da Pixar. Não é apenas bem feito, é uma história fascinante e personagens maravilhosos. Com momentos de encantar adultos e crianças. Jay Baruchel e Gerard Butler são os principais dubladores da animação, e fazem ótimo trabalho.



COMENTÁRIOS