quarta-feira, maio 29, 2024

Festival de Cannes 2024 | ‘Motel Destino’, do brasilero Karim Aïnouz, Lanthimos, Cronenberg, Coppola competem pela Palma de Ouro

Quem leva a Palma de Ouro 2024? Após o sucesso do último ganhador, Anatomia de Uma Queda, o interesse do público em geral volta-se para seleção oficial da 77° edição do Festival de Cannes, anunciada nesta quinta-feira, 11 de abril, pelo delegado geral, Thierry Frémaux, e a presidente do festival, Íris Knobloch, em Paris. 

Durante a última semana, os organizadores lançaram várias novidades sobre o evento e hoje fecharam (quase) o pacote das experiências prometidas para este ano, entre os dias 14 e 25 de maio. A lista dos concorrentes à Palma de Ouro apresenta muitas figurinhas carimbadas da Croisette, mas ainda há espaço para algumas poucas surpresas, como a debutante Agathe Riedinger e Nicolas Cage, na Sessão da Meia-Noite. 

Para o Brasil, a grande celebração é a volta de um filme nacional na competição pela Palma de Ouro. Pelo segundo ano consecutivo, Karim Aïnouz marca presença entre os nomeados ao maior prêmio. Contudo, se em 2023, ele concorria com uma produção britânica Firebrand, agora ele apresenta uma história de amor e rebelião na região do nordeste, com Motel Destino. Vamos aos destaques desta edição: 

Filme de Abertura, Palma de Honra e Realidade Virtual

Após o estrondoso anúncio da pré-estreia de Furiosa: Uma Saga Mad Max, para o dia 15 de maio no festival, uma semana antes da estreia mundial, os organizadores divulgaram também o filme de abertura: Second Act (Segundo Ato), do diretor Quentin Dupieux. O cineasta francês é conhecido por seus filmes cômicos e surrealistas, como Rubber (2010) e Deerskin: a Jaqueta de Couro de Cervo (2018).

Já a Palma de Ouro de Honra, concedida a Michael Douglas e Harrison Ford no ano passado, será de George Lucas. O criador das sagas Star Wars e Indiana Jones estreou no Festival de Cannes com o seu primeiro longa-metragem THX-1138, em 1971, na Quinzena dos Diretores. 

Por outro lado, a grande novidade desta edição parece ser a nova competição Cannes Immersive, dedicada a produções em realidade virtual e aumentada. Para esta primeira edição, oito obras imersivas foram selecionadas.

Haverá também uma seleção de obras não competitivas, expondo as ligações entre a experiência imersiva e o cinema. Essas obras serão apresentadas em forma de exposição em 1.300 m², no Cineum e no Campus Georges Méliès, instituto especializado em escrita criativa e profissões de imagem.

Apenas Quatro Mulheres Selecionadas

Entre os 19 títulos anunciados nesta manhã para concorrer à Palma de Ouro, apenas quatro são dirigidos por mulheres. Como o número usualmente é de 22 longas-metragens, é aguardado mais nomes femininos na lista de competição.

Não deixe de assistir:

Sendo Greta Gerwig, diretora de Barbie (2023) e Lady Bird (2017), a presidente do júri deste ano, era esperado uma seleção mais igualitária, mas ainda não foi desta vez. Em 2023, por exemplo, havia sete mulheres entre os nomeados. 

Leia mais: Cannes 2023 | Veja quem são as 7 diretoras concorrendo à Palma de Ouro

As poucas selecionadas são as francesas Agathe Riedinger, a qual apresenta seu primeiro longa-metragem Diamante Bruto; e Coralie Fargeat, conhecida pelo seu único filme — sanguinolento e colorido — Vingança (2017).

Fazem parte também, a britânica Andrea Arnold, nomeada anteriormente com Docinho da América (2016) e o documentário Cow (2021); e, por fim, a indiana Payal Kapadia, desconhecida do público brasileiro e contava até então com apenas um longa no currículo: A Night of Knowing Nothing (Uma Noite sem Saber de Nada), aclamado pela crítica, com 96% nos Rotten Tomatoes.

Agathe Riedinger

Os Mesmo Nomes de Sempre

Basta Jacques Audiard lançar um filme e ele é selecionado para Cannes. Esta é a sexta nomeação ao prêmio e sétima participação no festival do diretor francês, sem contar que ele já possui uma Palma de Ouro por Dheepan (2015) e um Grand Prix du Jury (o segundo lugar) com O Profeta (2009). Outra figura carimbada é Christophe Honoré, ele chega a terceira nomeação e a sexta participação no festival, seu trabalho mais conhecido é o musical Canções de Amor (2007), apresentado em competição no evento. 

Fora da França, a seleção competitiva conta com os veteranos Paul Schrader (Oh, Canada); David Cronenberg (The Shrouds) e Francis Ford Coppola, com o aguardado título Megalopolis. Outros nomes famosos reaparecem, como o norte-americano Sean Baker e o grego Yórgos Lánthimos, com Kinds Of Kindness, com estreia marcada para 21 de junho nos EUA e muito aguardado após o sucesso de Pobres Criaturas

Francis Ford Coppola

A figura mais carimbada desta edição é o italiano Paolo Sorrentino, sendo nomeado pela sétima vez à Palma de Ouro. Ele, no entanto, levou apenas o Jury Prize (o terceiro lugar) com o longa Il Divo (2008), baseado na trajetória do político Giulio Andreotti, primeiro-ministro da Itália sete vezes desde a restauração da democracia em 1946.

Um único representante da América Latina

Embora a seleção tenha dado mais abertura para o cinema asiatico e do oriente-médio, as produções latinos-americanas foram quase esquecidas. O único representante dessa vasta extensão de terra é o brasileiro Motel Destino, do argelino-cearense Karim Aïnouz. Segundo o IMDb, o filme é uma história de amor entre um jovem, que luta contra um sistema que o quer morto, e uma mulher, que resiste aos ataques do patriarcado contra a sua própria vida.

Esta é a sexta participação do cineasta, como diretor, no festival e sua segunda nomeação à Palma de Ouro. Em comemoração à seleção, Karim Aïnouz publicou uma foto no Instagram com o cartaz do filme e a legenda: “!!!!!!!!!!! FULL OF JOY !!!!!!! Hoje é Carnaval no Ceara”

Nos próximos dias, o delegado geral Thierry Frémaux deve ainda apresentar outros filmes em competição e a cota latina pode aumentar. Aguardamos a presença de mais produções brasileiras nas mostras paralelas, como a Semana da Crítica e a Quinzena dos Realizadores, além da competição de curtas-metragens.

Um Certo Olhar e Seleções Especiais

Cotada como um das selecionadas deste ano, a refilmagem do erótico Emmanuelle, protagonizado por Noémie Merlant, não entrou, porém a atriz apresenta seu primeiro trabalho como diretora, Les Femmes Au Balcon, na Sessões da Meia-Noite, dedicada aos filmes de gênero e um pouco fora dos padrões. 

Outro chamariz desta seleção é o título The Surfer do irlandês Lorcan Finnegan, protagonizado por Nicolas Cage. Ele é conhecido pelo surrealista Vivarium, com Imogen Poots e Jesse Eisenberg, selecionado à Mostra Semana da Crítica em 2019.

Nicolas Cage em The Surfer

Veja a lista dos 19 filmes em Competição pela Palma de Ouro abaixo: 

The Apprentice, Ali Abbasi 

Motel Destino, Karim Aïnouz 

Bird, Andrea Arnold 

Emilia Perez, Jacques Audiard 

Anora, Sean Baker

Megalopolis, Francis Ford Coppola 

The Shrouds, David Cronenberg 

The Substance, Coralie Fargeat 

Grand Tour, Miguel Gomes 

Marcello Mio, Christophe Honoré 

Caught by the Tides, Jia Zhangke 

All We Imagine as Light, Payal Kapadia 

Kinds of Kindness, Yorgos Lanthimos 

L’Amour ouf, Gilles Lellouche 

Diamant brut, Agathe Riedinger 

Oh Canadá, Paul Schrader

Limonov – The Ballad, Kirill Serebrennikov

Parthenope, Paolo Sorrentino

The Girl With the Needle, Magnus von Horn

Mais notícias...

Letícia Alassë
Crítica de Cinema desde 2012, jornalista e pesquisadora sobre comunicação, cultura e psicanálise. Mestre em Cultura e Comunicação pela Universidade Paris VIII, na França e membro da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine). Nascida no Rio de Janeiro e apaixonada por explorar o mundo tanto geograficamente quanto diante da tela.

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS