Enquanto o “vai, não vai” nos cinemas brasileiros é decidido, os cinéfilos encontraram nos mais variados serviços de streaming disponíveis por aqui (seja HBO, Netflix, Amazon, GloboPlay ou Telecine) a solução para devorarem o maior número de filmes possíveis nestes seis meses de reclusão. O tópico da reabertura dos cinemas vem causando polêmica e dividindo bastante nosso povo – que possui a segunda taxa mais alta de mortes por Covid-19 no mundo (atrás somente dos EUA). Por lá, os cinemas reabriram, assim como na Europa. Não existe dúvida de que caso o mesmo seja feito no Brasil, muitos iriam optar pelo programa – de alto nível de aglomeração.

É justamente aí que surge a nova matéria do CinePOP. Enquanto as salas não abrem – e mesmo depois que abrirem – uma ótima opção para os que desejarem ficar em casa é a rede de programação recheada, repleta de grandes sucessos e lançamentos da HBO. Colosso do audiovisual, criada ainda na década de 1970, a HBO se tornou um império como canal a cabo, grade de canais e agora streaming. Sabendo do enorme número de produções de qualidade disponíveis na rede, resolvemos criar esta nova lista com dicas dos mais recentes blockbusters prontos para serem assistidos no conforto de nosso lar. Prepare a pipoca e vem com a gente.

Coringa

US$1.074 bilhão em bilheteria mundial, Oscar de melhor ator e trilha sonora (além de outras 9 indicações, incluindo melhor filme) e uma das 60 produções preferidas de todos os tempos do grande público. Tá bom pra você? Nem mesmo o criador do personagem ou seus inúmeros intérpretes ao longo dos anos poderiam prever o sucesso que o filme solo do maior vilão dos quadrinhos faria nos cinemas. Com Coringa, a Warner mostrou que os filmes do gênero podem ser muito mais: podem ser experiências adultas e incursões complexas pelo psicológico humano. E a continuação já foi anunciada. Enquanto ela não sai, nada melhor do que conferir – ou rever – Joaquin Phoenix na pele do personagem que lhe rendeu seu primeiro Oscar.



Era uma Vez em Hollywood

Aproveite para assistir:



De uma obra-prima para outra. Enquanto Coringa foi um sucesso surpresa do ano passado, Era uma vez em Hollywood era esperado passar como um tsunami pelos cinemas mundiais. É claro que o fato se deve por se tratar do décimo filme da carreira do diretor Quentin Tarantino (sim, estamos contando Kill Bill como foram lançados – como dois filmes – e À Prova de Morte). A ode à era revolucionária do cinema em Hollywood orquestrada por um de seus maiores amantes tem diversos atrativos para os que amam a sétima arte também nos seus bastidores, além de tratar da polêmica em torno da família Manson e do assassinato real de Sharon Tate. Brad Pitt e Leonardo DiCaprio protagonizam e dão show (com o primeiro levando o Oscar e o segundo indicado), e o elenco conta ainda com Margot Robbie na pele de Tate. Simplesmente imperdível.

Homem-Aranha: Longe de Casa

É seguro dizer que a HBO está exibindo o mais recente lançamento da Toda-Poderosa Marvel. Longe de Casa foi o último filme da Marvel Studios a estrear nas telonas e o longa que serviu para dar continuidade aos eventos devastadores apresentados em Vingadores: Ultimato. Mas a segunda incursão de Tom Holland num filme solo do herói se mantém por conta própria: introduz um relacionamento mais aprofundado do protagonista com seu interesse amoroso (Zendaya), um novo personagem pra lá de memorável chamado Mysterio (Jake Gyllenhaal), uma viagem para Veneza e uma insana cena pós-créditos. Enquanto Viúva Negra não estreia, esta é a pedida para irmos aquecendo os motores e matando a saudade da maior casa de ideias da atualidade.

Zumbilândia: Atire Duas Vezes



Esta continuação demorou nada menos do que 10 anos para sair do papel. Adiada inúmeras vezes, a franquia viu ainda a produção de um episódio piloto de uma série cancelada em 2013 – que virou uma destas lendas urbanas para se juntar com a série da Mulher Maravilha (2011) e Segundas Intenções (2016). Seja como for, finalmente ganhamos a tão esperada sequência, e o melhor, com a reunião de toda a “banda original”. Até mesmo a Oscarizada Emma Stone – a maior estrela do elenco agora – aceitou retornar à brincadeira. E o novo filme não fica devendo em nada para o primeiro, com um grande número de cenas alucinadas e hilárias, novos personagens igualmente carismáticos (queremos um spin-off da “imortal” Madison de Zoey Deutch) e… sim, um novo cameo de Bill Murray. O que pedir mais? Quem sabe não ter que esperar tanto pelo terceiro.

Doutor Sono

Por falar em continuações, se achamos que a de Zumbilândia demorou a acontecer, que tal esperar 40 anos? Tudo bem, o clássico imortal de Stanley Kubrick O Iluminado (1980) não precisava necessariamente de uma sequência. Mas o próprio Stephen King, autor do livro, resolveu continuar a história do menino Danny Torrence, na fase adulta. Assim, a Warner não conversou, adquiriu os direitos e lançou o longa. A surpresa é que o sabor é incrivelmente apetitoso, se tornando um digníssimo herdeiro da obra-prima original. O segredo do sucesso está na escalação de um dos maiores nomes do terror atual para a direção, Mike Flanagan (A Maldição da Residência Hill), e atores em estado de graça (Ewan McGregor e Rebecca Ferguson) para protagonizarem.

As Panteras



Já não era sem tempo que As Panteras estavam devendo dar as caras nesta época de empoderamento para as mulheres. Afinal, em seu cerne o seriado sobre três mulheres detetives particulares já falava sobre isso em sua criação ainda na década de 1970. E foi um sucesso estrondoso, lançamento moda e tendências. Todas queriam ser e amavam As Panteras, em especial Farrah Fawcett. Nos anos 2000 chegava a primeira adaptação para as telonas – que contava com Cameron Diaz, Drew Barrymore e Lucy Liu, e tinha um tom mais cômico e de superprodução. A sequência só ampliou o teor cartunesco. Retornando um pouco para suas origens mais “pé no chão”, a diretora Elizabeth Banks entrega um filme mais sóbrio, estrelado por Kristen Stewart, Naomi Scott e a altíssima Ella Balinska.

It: Capítulo 2

Por falar em Stephen King, a reimaginação de seu It: A Coisa (2017) viveu para se tornar um dos maiores sucessos recentes do gênero terror. A expectativa pela sequência era simplesmente gigantesca. Os fãs e os próprios atores chegaram a participar da “eleição” sobre quem deveria interpretar os queridos personagens mirins na fase adulta. Jessica Chastain, James McAvoy e Bill Hader venceram as apostas e encabeçam o elenco na fase dois. Desta vez, adultos, o clube dos perdedores está mais experiente e pronto para enfrentar seus maiores medos – canalizados na forma do palhaço Pennywise, novamente num show à parte de seu intérprete Bill Skarsgard.

Rainhas do Crime



A estrela Melissa McCarthy fez carreira e ficou conhecida por seus papeis em comédias – muitas vezes escrachadas. Mas é só lembrar de alguns anos atrás, e se deparar com sua atuação indicada ao Oscar no drama Poderia me Perdoar? Aqui, ela segue no mesmo caminho, com uma personagem afastada dos maneirismos típicos de seus personagens de humor. O mais legal aqui, e que talvez nem todos saibam, em relação a este drama criminal passado na década de 1970, em Nova York, sobre três mulheres de bandidos pegando os negócios dos companheiros para si, é que a obra se trata de uma adaptação de quadrinhos adultos lançados pela DC Vertigo. O elenco conta ainda com a talentosa Elisabeth Moss (O Homem Invisível) e Tiffany Haddish – outra humorista se saindo muito bem num papel sério.

Brightbrun: Filho das Trevas

Já havíamos indicado este numa lista de filmes disponíveis na HBO anteriormente. Mas o fato é que achamos este terror produzido por James Gunn uma obra subestimada, e que merece uma segunda chance. Nos quadrinhos, os super-heróis constantemente são reimaginados com novas origens, e o que Gunn, seu irmão e seu primo (os roteiristas) fazem aqui é subverter o que conhecemos do maior super-herói de todos: o Superman. O longa se propõe a responder como seria se o menino alienígena caído na Terra não fosse a fonte de tudo quanto é mais puro e bom, mas sim sua extremidade oposta. Assim, numa mistura de filme slasher e thriller sobrenatural, “Superman” ganha sua versão mais perturbadora nas telonas. E esse poderia ser apenas o início da brincadeira – com a promessa de novos capítulos. Só cabe a nós, fãs, elevarmos a obra ao status de cult.



Venom

Falando em super-heróis, ou vilões, e no diretor Ruben Fleisher (Zumbilândia: Atire Duas Vezes), quem chega agora à lista é o parasita viscoso Venom, um ser gosmento de fora do planeta que se junta ao jornalista perdedor Eddie Brock (Tom Hardy) para juntos se tornarem o anti-herói do título. O longa conta ainda com a presença da talentosa Michelle Williams (quatro vezes indicada ao Oscar) topando a brincadeira. A sequência já está em fase de pós-produção, com estreia prometida para junho de 2021 – e os retornos de Hardy e Williams, e as adições de Woody Harrelson e Naomie Harris no elenco. Enquanto a sequência não chega, vale a pena ir aquecendo os motores com este que foi um dos maiores sucessos recentes do gênero, com assombrosos US$856 milhões em caixa ao redor do mundo.

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE