Ísis Valverde e Fabrício Boliveira falam sobre ‘Simonal’, racismo e a possível extinção da ANCINE

Ísis Valverde e Fabrício Boliveira falam sobre ‘Simonal’, racismo e a possível extinção da ANCINE




O CinePOP entrevistou os astros de ‘Simonal‘, cinebiografia do artista dono de sucessos como “Meu Limão, Meu Limoeiro”, “País Tropical” e “Nem Vem Que Não Tem”.

No vídeo, Ísis Valverde e Fabrício Boliveira falam sobre o projeto, o racismo no Brasil e ficam indignados com a possibilidade de extinção da ANCINE.

Assista:

Aproveite para assistir:


Crítica | Simonal – Cinebiografia do cantor é mais atual do que nunca

Com direção de Leonardo Domingues, o filme estreia em 8 de agosto e traz Fabrício Boliveira como responsável por dar corpo à malemolência e irreverência de Simona, como era conhecido no cenário musical das décadas de 60 e 70. Completam o elenco Ísis Valverde, a esposa Tereza, e Leandro Hassum, que interpreta Carlos Imperial, primeiro a reconhecer o talento de Simonal.

A produção acompanha Simonal a partir de seu sucesso meteórico, quando conquistou espaço na cena musical com o balanço de suas composições e a originalidade de suas performances. O músico virou sucesso de público e crítica e ganhou espaço na TV com um programa próprio, quebrando paradigmas da sociedade. O “Rei da Pilantragem” passou a ostentar riqueza e popularidade, sempre ao lado de sua fiel e inseparável Tereza. Responsáveis por assinar a trilha sonora do longa, seus filhos Simoninha e Max Castro também são retratados na produção. Além do auge da carreira, a cinebiografia mostra a queda de Simonal, depois de ser considerado como informante do Dops, durante o período da ditadura.



COMENTÁRIOS