Quando a franquia ‘Animais Fantásticos‘ foi iniciada, a criadora J.K. Rowling foi a principal defensora de Johnny Depp como intérprete do vilão Grindelwald.

Apesar das críticas que o astro vinha recebendo por parte dos fãs, Rowling permaneceu firme ao insistir na escolha.

No entanto, o The Hollywood Reporter divulgou que a autora não protestou contra a demissão de Depp depois que a Warner Bros decidiu removê-lo do próximo filme, intitulado ‘Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore‘.

Como Depp perdeu o julgamento contra sua ex-esposa, Amber Heard, que o acusou de agressões físicas e psicológicas, parece que Rowling não quis pôr em risco sua relação com o estúdio.



Além disso, ela também vem sendo massacrada pelos fãs por conta de suas polêmicas declarações preconceituosas e homofóbicas… E se envolver numa nova discussão iria deixar sua situação ainda mais complicada.

Aproveite para assistir:

E, segundo a revista Variety, a WarnerMedia optou por seguir adiante com o desligamento do protagonista da saga para evitar que sua imagem esteja associado à tumultuada vida do astro.

É importante ponderar que, após o lançamento de ‘Os Crimes de Grindelwald‘, a gigante de telecomunicações AT&T se fundiu à empresa mãe da Warner Bros., chamada Time Warner.

Essa junção acarretou em mudanças significativas na mesa diretora da WarnerMedia, como a contratação de Jason Killar como o novo CEO e Anna Sarnoff como a chefe de estúdio.



A chegada dos novos diretores fez com que os responsáveis pelo estúdio refletissem sobre o custo-benefício de manter Depp associado aos seus projetos. Ainda que sua popularidade fosse genuinamente grande, seu controverso comportamento estava ofuscando e comprometendo o seu trabalho na saga do universo de ‘Harry Potter‘.

E conforme pontuou a Variety, havia uma “falta geral de tolerância ao tipo de controvérsia que cada grande estúdio teve que enfrentar por pelo menos uma vez ou outra ao cortejar talentos mercuriais – mas historicamente populares – como Depp“. Tais “prejuízos” levaram à “demissão” do veterano.

Assista ao trailer do terceiro filme da saga, que estreia dia 14 de Abril:

Apesar de ter criado uma saga que fala essencialmente sobre aceitação, ‘Harry Potter’, Rowling vem ganhando as manchetes do mundo inteiro pelos motivos errados. Afinal, há algum tempo, a autora britânica vem defendendo uma ideologia extremamente transfóbica e que associa mulheres trans a “homens de vestido” e a “estupradores”.



Agora, Rowling fez mais uma postagem controversa em seu Twitter oficial com a seguinte legenda: “guerra é paz. Liberdade é escravidão. Ignorância é força. O indivíduo com pênis que estuprou você é uma mulher”.

Confira:

O texto em questão faz referência ao romance ‘1984’, de George Orwell, que vem sido erroneamente interpretado por conservadores para justificar preconceitos condenáveis e inaceitáveis, como o caso de Rowling.

É claro que a postagem não passaria batido pelos internautas, que prontamente se postaram contra o que a autora comentou e voltaram a acusá-la de transfóbica.

Veja:



“Eu era uma grande fã sua. Foi molestada quando tinha oito anos… Eu sou trans. Seus livros costumavam me inspirar e me dar esperança. Agora… eu realmente odeio o que você se tornou”.

“Toda a influência que você tem e você escolhe machucar as pessoas que são vulneráveis e marginalizadas. Realmente nojento”.

“Você literalmente tem um castelo e passa o tempo fazendo isso”.

“Preciso que a escritora de um livro sobre jovens bruxos pare de ser tão obcecada com o que as pessoas têm no meio das pernas”.

“Amor é paz. Liberdade é aceitação. Compreensão é força. Mulheres trans não são um perigo para a sociedade. J.K. Rowling adora alimentar o ódio em relação a um grupo de pessoas inocentes e belas”.



“Por que parece que você está mais chateada com as pessoas trans do que com estupradores? Parece que suas prioridades estão invertidas, querida”.

Para quem não se lembra, Rowling escreveu no Twitter que se nega a reconhecer mulheres trans como mulheres de verdade porque passou os últimos três anos lendo livros e artigos científicos sobre o assunto, mas se mostra confusa ao distinguir a diferença entre os conceitos de ‘sexo’ e ‘gênero’.

Ela também disse que a exposição de propagandas com casais gays é uma má influência para crianças e adolescentes, o que gerou as críticas por parte de seus seguidores.



Anteriormente, Bonnie Wright, intérprete de Gina Weasley, compartilhou sua solidariedade aos fãs da comunidade trans, dizendo:

“Se ‘Harry Potter’ era uma fonte de amor e pertencimento para vocês, esse amor é infinito e existe para ser tratado sem julgamentos ou questionamentos. As mulheres trans são mulheres. Eu enxergo e amo vocês. Bonnie.”



Não deixe de assistir: