‘Jurassic World 3’: Jeff Goldblum comemora retorno à saga

‘Jurassic World 3’: Jeff Goldblum comemora retorno à saga


Os fãs de ‘Jurassic Park‘ foram presenteados com o retorno de Laura Dern, Sam Neill e Jeff Goldblum para ‘Jurassic World 3’.

O trio voltará a assumir os papéis de Alan Grant, Ellie Sattler & Ian Malcolm, iconizados no primeiro filme da franquia.

E empolgado com a novidade, Goldblum comemorou seu retorno à saga, compartilhando uma antiga imagem da produção, feita ainda em 1992, ano em que o primeiro longa da franquia foi filmado.

Por meio de sua conta oficial do Instagram, o ator comentou sobre seu entusiasmo em poder se reencontrar com o elenco original para mais um filme.

Confira:

Aproveite para assistir:


“Você conseguiu. Você conseguiu, seu filho da mãe. Feliz como um dinossauro por poder me reencontrar com meus brilhantes colegas de elenco do original Jurassic Park, Laura Dern e Sam Neil, para o próximo Jurassic World… em breve”.
A Universal Pictures anunciou que o longa chegará aos cinemas em 11 de junho de 2021.

 

Emily Carmichael (‘Círculo de Fogo: A Revolta‘) está co-escrevendo o roteiro junto com Colin Trevorrow.

O capítulo final da saga ‘Jurassic World’ já deu início em sua produção. Em entrevista ao site especializado na franquia, Jurassic Outpost, o diretor Colin Trevorrow comentou sobre o que os fãs podem esperar para o terceiro filme.

“Não tenho ideia do que motivaria os dinossauros a destruir uma cidade. Eles não são organizados. Na vida real temos predadores letais que vivem nos arredores de áreas urbanas que não entram nas cidades para caçar humanos. O mundo que estou ansioso para criar é onde seja possível encontrar rotineiramente um dinossauro cruzando estradas ou um que invada seu quintal à procura de comida. Nós simplesmente não entramos em guerra com os animais. A teríamos perdido há muito tempo.”

Ele também comentou sobre como a recepção das críticas dos fãs e jornalistas ajudou na narrativa de ‘Jurassic World: Reino Ameaçado‘:

“Nós viramos para um lado mais sombrio de ‘Jurassic Park‘ naquele roteiro. O primeiro filme era uma aventura colorida e pop, já no segundo resolvemos explorar o lado feio da humanidade e o tratamento cruel com animais. Mas acho que Bayona, o diretor, nos deteve de ir longe demais, o que é algo bom. Ele abraçou os elementos sombrios, mas adicionou humor na aventura. A ideia de tornar a venda dos dinossauros em um leilão para os super ricos também foi dele. Na versão original, era algo bastante clandestino e sujo. Acho que a versão que foi para o filme funciona melhor para as crianças. Foi uma grande vantagem termos ele no time.

A nossa crítica está disponível: Crítica | Jurassic World: Reino Ameaçado – O filme mais assustador da franquia