Lana Del Rey quer interpretar Priscilla Presley em cinebiografia de Elvis Presley

Lana Del Rey quer interpretar Priscilla Presley em cinebiografia de Elvis Presley




Segundo o Radar Online, a cantora Lana Del Rey demonstrou interesse em interpretar Priscilla Presley, ex-esposa de Elvis Presley, na cinebiografia do Rei do Rock, que será dirigida por Baz Luhrmann e estrelada por Austin Butler.

“Lana se parece com Priscilla e decidiu que não tem como ela não conseguir o papel”, diz o site.

Parece que a cantora vem pedindo ao seu agente para convencer Luhrmann a encaixá-la no filme.

“Lana sente que é um papel que ela nasceu para interpretar. Ela tem feito o agente ficar atormentando Baz há meses, esperando conseguir ser escalada”, aponta o site.

Aproveite para assistir:


Lana Del Rey é claramente uma grande fã de Elvis e até escreveu uma música para o documentário ‘The King‘, de 2018.

Ainda sem título, a cinebiografia vai acompanhar a evolução do Rei do Rock até se tornar um ícone global, passando por seu conturbado relacionamento com o empresário, o Coronel Tom Parker, que será vivido por Tom Hanks.

Em adaptações anteriores da vida de Presley, o papel de Tom Parker foi interpretado por atores como Beau Bridges, Randy Quaid e Gene Jones.

A trama também vai abordar o contraste do estrelato de Elvis e a inocência perdida na América.

O início das gravações está agendado para o ano que vem, em Queensland, na Austrália, e a distribuição será através da Warner Bros.

O roteiro foi escrito por LuhrmannCraig Pearce, seu parceiro em filmes como ‘Moulin Rouge’, ‘Romeu + Julieta’, e ‘O Grande Gatsby’.

A vida de Elvis está intimamente ligada a do coronel Tom Parker, que descobriu o jovem artista quando ele era apenas um novato na música. Peça chave na transformação do garoto em um astro sem precedentes, o empresário fez parte das maiores conquistas do cantor, incluindo a formalização de seu contrato com a gravadora RCA, bem como sua transição para a atuação, estrelando filmes como ‘Ama-me com Ternura‘ (1956) e ‘Prisioneiro do Rock‘ (1957).

 



COMENTÁRIOS