Os anos 10 estão chegando ao fim e é hora de continuar nossa série retrospectiva com os Melhores da Década. Após a matéria com as 10 atuações masculinas mais marcantes nos cinemas na última década, chegou a hora de conferir a lista das mulheres pelo CinePOP.

Como acontece na lista masculina, aqui apontamos os nomes que mais se destacaram no campo da atuação nos últimos 10 anos. Premiações são importantes, mas não fundamentais. Também levamos em conta o impacto dos trabalhos no mundo da sétima arte.

Não deixe de comentar quais as suas atuações favoritas da década entre as mulheres. Mas, antes disso, vem ver a nossa lista!

 

10) Charlize Theron (Mad Max: Estrada da Fúria)

Charlize Theron foi ignorada por todas as importantes premiações pelo trabalho em Mad Max: Estrada da Fúria. No entanto, não dá para negar que sua Furiosa foi um verdadeiro fenômeno da cultura pop, e muito por causa do talento da atriz, que criou uma personagem forte, determinada e complexa. Max (Tom Hardy) seguiu no título porque se tratava de uma franquia, mas Estrada da Fúria tem Furiosa como figura mais interessante e bem desenvolvida. Desde o lançamento do filme, em 2015, que se fala de um spin-off da personagem. Hoje, parece algo improvável. Mas que seria bom reencontrar Charlize na pele de Furiosa, isso é inegável. 

Aproveite para assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE

 

9) Sonia Braga (Aquarius)

Já viu Bacurau? Pois bem, antes de trabalharem juntos neste novo clássico do cinema brasileiro, a atriz Sonia Braga e o diretor Kléber Mendonça Filho trabalharam lado a lado em Aquarius. Lançado em 2016, o filme integrou a mostra competitiva do Festival de Cannes daquele ano. Na ocasião, o trabalho de Braga foi imensamente elogiado. Não por acaso, sua atuação como Clara, uma mulher de meia idade que luta com todas as suas forças para que uma empreiteira compre o prédio em que mora para construir um moderno condomínio, é impressionante. De modo sensível e determinado, ela ganha uma dimensão enorme e ocupa a tela por quase toda duração do longa. 

 

8) Patricia Arquette (Boyhood: Da Infância à Juventude)

A incrível experiência cinematográfica de Richard Linklater com Boyhood: Da Infância à Juventude (2014) não seria a mesma sem a presença de Patricia Arquette. Ao longo de 12 anos, a atriz entregou uma performance complexa, repleta de nuances e de sentimento. A atriz não apenas envelhece diante dos olhos dos espectadores. Ela amadurece, sofre, vive uma vida. Não por acaso, levou o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante para casa e ainda viu sua carreira voltar a decolar. Nos últimos anos, teve papel de destaque em The Act e Escape at Dannemora, recebendo um Emmy pelo primeiro trabalho e um Globo de Ouro pelo segundo.

 

7) Adéle Exarchopoulos (Azul é a Cor Mais Quente)

Azul é a Cor Mais Quente (2013) foi um filme que gerou bastante polêmica e debate, principalmente por causa das excessivas cenas de sexo e relatos de que o diretor Abdellatif Kechiche deixou suas atrizes bem desconfortáveis durante o processo. Olhando especificamente para o campo da atuação, é inegável que o longa trouxe duas performances inesquecíveis de Adèle Exarchopoulos e Léa Seydoux. A importância das duas para o filme é tão significativa que elas receberam a Palma de Ouro do Festival de Cannes junto com Kechiche. Geralmente, o prêmio vai só para o cineasta, mas o júri fez questão de honrar a dupla. Para a nossa lista, Adèle surge em destaque por ser uma participação maior, de uma atriz iniciante. Sem dúvida, uma das atuações mais impressionantes da década.

 

6) Lupita Nyong’o (12 Anos de Escravidão)

A atuação de Lupita Nyong’o em Nós é das coisas mais relevantes de 2019. A atriz está tão consolidada em Hollywood que é difícil acreditar que faz apenas seis anos de seu primeiro papel em longa-metragem. E que papel! Na pele da escrava Patsey, a atriz entregou uma performance marcante e arrebatadora em 12 Anos de Escravidão (2013). Não por acaso, conquistou o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante. Depois disso, só sucesso. A atriz entrou para o Universo Cinematográfico da Marvel (como Nakia em Pantera Negra) e ainda integrou o time da nova trilogia de Star Wars (como Maz Kanata).

 

5) Isabelle Huppert (Elle)

Não é comum ver muitas atrizes indicadas ao Oscar por papéis em filmes estrangeiros, mas nem a diferença de língua foi capaz de deixar Isabelle Huppert fora da temporada de premiações de 2017. Ela recebeu uma indicação ao Oscar e conquistou o Globo de Ouro de Melhor Atriz pelo belo trabalho em Elle (2016). A veterana atriz francesa interpreta uma mulher de sucesso que embarca numa jornada de suspense ao procurar o homem que a violentou. A direção é do cultuado Paul Verhoeven (Instinto Selvagem).

 

4) Cate Blanchett (Carol)

Assim como foi difícil separar os trabalhos de Adèle Exarchopoulos e Léa Seydoux em Azul é a Cor Mais Quente, é quase inimaginável romper a parceria entre Rooney Mara e Cate Blanchett em Carol (2015). Indicada ao Oscar, ao Globo de Ouro e ao SAG Awards, Cate acaba levando um pouco de vantagem por ser a protagonista do filme e por ter um papel mais ativo em cena. Ela vive Carol, uma glamourosa mulher de meia idade que está passando por um divórcio conturbado. Enquanto procurava um presente para a filha, ela acaba conhecendo Therese, uma fotógrafa amadora. As duas acabam desenvolvendo um relacionamento íntimo e complexo. Um filme tocante e sensível, com tema importante, e atuações memoráveis. A direção é do ótimo Todd Haynes.

 

3) Emmanuelle Riva (Amor)

Mais uma francesa na nossa lista. Mas é impossível esquecer o trabalho da inesquecível Emmanuelle Riva em Amor (2012), filme perturbador dirigido por Michael Haneke. Foi um dos últimos trabalhos da atriz, que faleceu em 2017. No filme, Riva interpreta uma culta professora de música que vive a aposentadoria ao lado do marido (Jean-Louis Trintignant). Determinado dia, ela sofre um derrame e passa a depender completamente do marido e de sua filha (Isabelle Huppert). A jornada desta mulher de uma pessoa ativa para alguém totalmente dependente de outros é brutal e desoladora. E o talento de Emmanuelle Riva contribui para prender o espectador na cadeira. Ela recebeu uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz pelo trabalho.

 

2) Natalie Portman (Cisne Negro)

Natalie Portman quase entrou na lista pelo trabalho em Jackie, mas é claro que não poderia ficar de fora pelo que fez em Cisne Negro (2010). Sua atuação como a bailarina Nina Sayers é um verdadeiro espetáculo. A jornada de beleza, delírio e loucura de Darren Aronofsky trouxe a atriz no seu auge. Portman conquistou o Oscar, o Globo de Ouro e o SAG Awards de Melhor Atriz pelo trabalho no drama. Uma atuação para ficar na história da sétima arte.

 

1) Cate Blanchett (Blue Jasmine)

O cinema de Woody Allen sempre foi muito amparado no roteiro. Não por acaso, o cineasta já recebeu 16 indicações e três estatuetas do Oscar apenas pelo roteiro de seu longas. Ainda que as obras contem sempre com elencos fabulosos, muitas vezes premiados, são raras as vezes que podemos dizer que uma atuação sobressai o texto de Allen. Pois bem, este é o caso de Cate Blanchett em Blue Jasmine (2013). Não se trata do “Blue Jasmine de Woody Allen”, mas sim do “Blue Jasmine de Cate Blanchett”. A atriz brilha na pele de uma socialite em negação sobre estar em crise. Ainda se achando acima de tudo e de todos, ela é obrigada a ir morar com a irmã. A atriz recebeu o Oscar, o Globo de Ouro e o SAG Awards pelo trabalho.

 

Bônus: Scarlett Johansson (Ela)

Os anos 10 foram maravilhosos para Scarlett Johansson. A atriz protagonizou sucessos de público (Vingadores e companhia) e de crítica (Sob a Pele e Histórias de um Casamento), e viu seu nome se tornar um dos maiores de Hollywood. Uma atuação que, no entanto, acaba sendo deixada um pouco de lado é a de Ela (2013). Como não é vista em cena, a atriz não ficou tão associada ao projeto ou recebeu indicações para premiações, mas seu trabalho de voz como Samantha é absolutamente fascinante. Não entra oficialmente no nosso Top 10. Mas é algo que é sempre importante relembrar.

 

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE

Não deixe de assistir: