Serviço se destaca no gênero documental há alguns anos

Dentre as milhares de ofertas no catálogo da empresa, poucos conseguem manter uma base de fãs tão consolidada quantos os documentários. Conseguindo aliar temas interessantes com altos níveis de produção, eles sempre recebem uma boa divulgação no catálogo tornando a Netflix referência nisso. A seguir vão cinco sugestões de documentários presentes no serviço.

5) American Vandal

Esse não é nem tanto um documentário, mas sim um mockumentário (uma obra de ficção que utiliza a estrutura narrativa documental) satírico sobre as produções de crimes reais exibidas pela Netflix. São duas temporadas, cada uma abordando um delito diferente, cujo o ritmo claramente lembra de Making a Murderer.



4) Grandes Momentos da Segunda Guerra Mundial em cores

Poucos conflitos foram tantas vezes trabalhados na área do entretenimento quanto a Segunda Guerra Mundial. O fato de haver uma força antagônica tão facilmente identificada com a maldade (os nazistas) torna esse conflito muito mais único do que tantos outros nos quais os combatentes não representam, de fato, um lado bom e um lado ruim (dependendo é claro de quem conta a história).

O trabalho de restauração das imagens da época é o grande diferencial da obra

O que torna esse documentário em particular um tanto quanto diferente do que o comumente mostrado até hoje sobre a guerra é o trabalho de coloração artificial feito nos negativos, de modo que as imagens pudessem estar mais “vivas”. A segunda guerra mundial é um dos conflitos modernos que melhor foi documentado em imagens e esse documentário, sem dúvidas, presta um grande serviço a isso.

Aproveite para assistir:

3) Wild Wild Country

A capacidade de reunir multidões é um dom que poucas pessoas tem e sempre é carregado de imenso perigo, uma vez que um grande número de pessoas pode abdicar da própria liberdade em nome de uma filosofia. É com essa ideia se constrói a premissa de Wild Wild Country; a história de como uma cidade do interior dos Estados Unidos viu sendo construído muito próximo a eles uma comunidade alternativa, com outro tipo de pensamento e que tinha na figura do guru indiano Bhagwan Shree Rajneesh seu líder.

O choque de dois estilos de vida pode ter graves consequências

Não demora muito para que ambos os grupos colidam violentamente; as pessoas da cidade movidas pelo medo do desconhecido e por medo daquele agrupamento possivelmente realizar um segundo Jonestown (suicídio coletivo entre membros de um culto realizado na cidade de Jonestown na República da Guiana); e os habitantes da comunidade alternativa que, buscando se expandir, irão mirar em casas de moradores locais para compra, aumentando assim a divisão.



2) Privacidade Hackeada

Se informação é poder então na era em que todo tipo de informação é retida no meio digital quem os reúne pode moldar o destino de nações. Essa é a linha de pensamento proposta pelo documentário Privacidade Hackeada  – mostrando como a empresa de coleta de dados, Cambridge Analytics, atua e qual foi o papel desempenhado por ela nas eleições americanas de 2016.

Na era da tecnologia, quem detém a informação detém poder

Com essa ideia em mente, o documentário mostra como a empresa recolhia e avaliava a opinião dos eleitores por meio de suas posturas digitais e que tipo de estratégia a equipe de campanha do então candidato Donald Trump poderia arquitetar para conquistar o voto indeciso. A obra também deixa em aberto se o futuro das eleições por todo o mundo será construído sobre esses tipos de empresas que recolhem dados de internautas e até aonde isso é ético e, acima de tudo, dentro da lei.

1) A Máfia dos Tigres

O mercado de animais, mais especificamente o de animais selvagens, é um dos mercados ilegais mais lucrativos do mundo. Uma estimativa da ONU indica que esse tipo de mercado negro lucra em torno de US$ 7 bilhões à US$ 23 bilhões, tornando-o tão valioso quanto o tráfico de armas ou drogas, por exemplo. A série documental então mergulha no mundo dos zoológicos privados no interior dos EUA, locais esses que não possuem quaisquer autorizações mas exibem e negociam animais selvagens.

Uma guerra pelo controle de um mercado ilegal

Em especial há dois protagonistas: Joe Exotic e Carole Baskin. Ambos são donos desse tipo de zoológico e volta e meia travam verdadeiras batalhas entre eles para saber quem assume o posto de principal “cuidador” de animais selvagens. Esses embates, obviamente, apelam para uso de táticas criminosas. O certo é que aqueles que mais irão perder nessa situação serão os animais criados pelos dois. 

Não deixe de assistir: