Para os que já passaram dos 30 anos de idade, o cinema de entretenimento possui todo um sabor especial. Isso porque os anos 1980 são considerados o berço dos blockbusters e dos filmes que se tornavam parte da cultura popular. Tais longas deixavam de existir somente nas salas de cinema, e estendiam seu alcance para além das telas, gerando todo tipo de merchandising imaginável, e atingindo principalmente os mais jovens (crianças e adolescentes). Essa febre não existia antes da década de 1970, por exemplo (com Star Wars), e os que viveram no período experimentavam em primeira mão este fenômeno ocorrendo diante de seus olhos.

Naturalmente, com o fim da década de 1980, o cinema passava por uma nova fase. E o que podemos dizer que definiu os anos 1990 no terreno do entretenimento no cinema foram os efeitos visuais gerados através de computadores – os hoje chamados CGI – que chegavam para revolucionar. Afinal, ninguém jamais esqueceria o vilão feito de metal líquido T-1.000, de O Exterminador do Futuro 2 (1991), ou os dinossauros voltando à vida em Jurassic Park (1993), por exemplo. Se hoje os fãs de quadrinhos afirmam não ter época melhor para estar vivo, os fãs do cinema espetáculo podem afirmar que os anos 1990 foram a década para se guardar para sempre.

Pensando nisso, formulamos esta nova matéria, contendo os grandes sucessos que eram lançados logo no início da década citada, em 1991, e que completam 30 anos de seu lançamento em 2021. Confira abaixo e não esqueça de comentar.

10 | Corra que a Polícia Vem Aí! 2 ½



A franquia Corra que a Polícia Vem Aí! definitivamente marcou uma geração e ajudou a moldar o subgênero das paródias nonsense no cinema. O subgênero ficou muito popular após o lançamento de Apertem os Cintos, o Piloto Sumiu – em 1980. E oito anos depois, os mesmos realizadores voltariam a satirizar um tipo de filme (aqui o gênero policial) com o primeiro longa desta franquia, que eternizaria o protagonista Leslie Nielsen. Muitos podem não saber, mas originalmente Corra que a Polícia Vem Aí! foi uma série de TV de 1982 intitulada Police Squad!, que durou apenas uma temporada de seis episódios, criada pelos mesmos realizadores. Esse segundo filme no cinema, lançado há 30 anos, custou US$23 milhões à Paramount Pictures, e recuperou quase tudo no primeiro fim de semana de estreia. No fim de sua estadia nos cinemas, somou quase US$90 milhões em bilheteria.

09 | O Pai da Noiva

Aproveite para assistir:

Em nona posição do ranking dos filmes mais rentáveis de 30 anos atrás, temos outra produção de comédia estrelada por um humorista grisalho. Assim como Leslie Nielsen, o veterano Steve Martin fez icônicos seus cabelos brancos por toda a sua carreira. Os filmes de Martin, no entanto, são comédias voltadas para toda a família, sem o valor nonsense dos filmes protagonizados por Nielsen. Aqui, Martin estrela ao lado de Diane Keaton para a Disney (sob o selo da Touchstone Pictures), neste conto sobre a dificuldade de muitos pais, em aceitarem que sua filhinha agora cresceu, se tornou mulher e está para se casar. O longa é uma espécie de reimaginação “moderna” (para os padrões de 1991) de um clássico de 1950 de mesmo título, estrelado por Spencer Tracy e Elizabeth Taylor. A versão de Martin gerou uma continuação em 1995, e em 2020 um curta de meia hora de duração brincou com a possibilidade de um terceiro filme reunindo os atores originais e novas adições. O Pai da Noiva arrecadou US$90 milhões em bilheteria.

08 | Dormindo com o Inimigo



Uma Linda Mulher, lançado em 1990, transformou Julia Roberts em uma estrela internacional da noite para o dia. Sim, alguns filmes tem esse poder. Assim, subitamente, Roberts era a atriz mais quente de Hollywood e todos esperavam por seu novo passo. E ele foi dado com uma mudança brusca de tom, no qual a estrela optou do romance para um suspense de gelar a espinha. Aqui, Roberts protagonizava num filme que escancarou o abuso doméstico que muitas mulheres passam em seus casamentos, sem que ninguém saiba. Embora recaia em muitas conveniências do gênero e tenda a exagerar um pouco, o mais importante aqui é o recado dado. E surtiu efeito, já que o filme da Fox, com um orçamento de US$19 milhões, gerou US$101 milhões em bilheteria somente nos EUA, e US$175 milhões mundiais.

07 | A Família Addams

Por falar em sucesso mundial, há 30 anos a criação do cartunista Charles Addams ganhava um tratamento mais que digno nas telonas, na forma de uma superprodução cinematográfica produzida pela Paramount Pictures. Nascidos nas tirinhas de jornais ainda na década de 1930, os personagens ganharam um novo ar de popularidade ao estrelarem uma série com atores reais na TV na década de 1960. Desde então, Gomez, Morticia, Wandinha e todos os membros da macabra família não saíram mais do imaginário popular – com desenhos e games. Em 1991 chegava um filme de respeito, imortalizado por Raul Julia, Anjelica Huston, Christopher Lloyd e Christina Ricci. Com orçamento de US$30 milhões, o filme rendeu US$113.5 milhões só nos EUA, e US$191 milhões mundiais.

06 | Hook – A Volta do Capitão Gancho

Por falar em superproduções de fantasia miradas para toda a família, há 30 anos no passado tivemos um exemplar de um verdadeiro especialista no gênero: Steven Spielberg. O pai de E.T., Indiana Jones e tantas outras obras queridas, iniciava a década de 1990 pegando para si uma das histórias mais queridas e atemporais de todos os tempos. Trata-se da reimaginação de Spielberg para o clássico Peter Pan. Na versão do diretor, Pan deixou a Terra do Nunca e cresceu, ganhando as formas de um Robin Williams workaholic. Ele precisa redescobrir sua criança interior a fim de recuperar os filhos sequestrados pelo vilão Capitão Gancho (Dustin Hoffman). O filme conta ainda com Julia Roberts no papel da fada Sininho. Hook custou US$70 milhões para a Columbia/TriStar (Sony) e recuperou US$120 milhões nos EUA, e US$300 milhões mundiais.

05 | Amigos, Sempre Amigos

As culturas diferem de país para país. E este fato era mais acentuado antes do mundo globalizado que temos hoje provido pela internet. Desta forma, apesar de certos sucessos serem padronizados no mundo todo – como todos os itens na lista até o momento – vira e mexe temos sucessos de filmes que só emplacam em seu país de origem, falando muito sobre a cultura local. Era comum, por exemplo, certos filmes fazerem um verdadeiro estrondo nos EUA sem que por aqui sequer tivéssemos ouvido falar dele – ou ao menos falar muito, para justificar tal febre. É o caso com este City Slickers (no título original), que conta a história de amigos vivendo a crise da meia idade e optando por uma aventura rural como cowboys. Protagonizado por Billy Crystal, a comédia fez tanto sucesso que rendeu o Oscar de melhor coadjuvante para o veterano Jack Palance, e uma continuação em 1994. Bancado pela Columbia (Sony), o filme custou US$27 milhões e rendeu US$124 milhões somente nos EUA, e US$180 milhões mundiais.



04 | O Silêncio dos Inocentes

Agora sim, falamos de um fenômeno unânime absoluto! O Silêncio dos Inocentes é um dos filmes mais marcantes da sétima arte, considerado por muitos “o” maior thriller do cinema de todos os tempos. Baseado no livro de Thomas Harris, aqui temos levada para as telas as histórias a agente novata do FBI Clarice Starling (Jodie Foster) em sua primeira grande missão na carreira: caçar um psicopata chamado Buffalo Bill, que anda sequestrando e matando mulheres. Para o feito, ela contará com a ajuda de outro homem perigosíssimo, o renomado psiquiatra e canibal nas horas vagas, Dr. Hannibal Lecter (Anthony Hopkins). O filme foi o último a levar o chamado Big Five no Oscar – os prêmios de melhor diretor, atriz, ator, roteiro e filme. Com um orçamento de US$19 milhões da Orion Pictures, o longa arrecadou US$130 milhões nos EUA e US$272.7 milhões mundiais.

03 | A Bela e a Fera

Aqui temos outro recorde! Hoje, não é incomum termos dentre as maiores bilheterias do ano animações voltadas aos pequenos e à toda a família. Mas na década de 1980, as produções da Disney (então o único estúdio com tal potência nas mãos) enfrentavam uma fase difícil, com longas que não possuíam o apelo de outrora. Tudo mudou, é claro, com a chegada de A Pequena Sereia (1989), que marcaria um ponto de transição para as obras do estúdio. Recobrando o sucesso junto ao público, tudo seria ainda maior com a chegada do filme seguinte da casa: A Bela e a Fera. O sucesso foi tanto que a história sobre um príncipe amaldiçoado precisando despertar o amor verdadeiro em uma camponesa, foi indicado para 6 prêmios no Oscar, incluindo melhor filme (o primeiro da história a realizar tal feito). Com um orçamento de US$25 milhões, o filme rendeu US$145.8 milhões só nos EUA, e US$425 milhões mundiais.

02| Robin Hood – O Príncipe dos Ladrões


Assim como Julia Roberts, o ano de 1990 foi muito positivo para o astro Kevin Costner. O ator escrevia seu nome nos anais de Hollywood ao estrelar, produzir e dirigir Dança com Lobos, o grande vencedor do Oscar daquele ano e um verdadeiro estouro de bilheteria. Desta forma, todos estavam de olho no próximo passo de Costner nas telonas. E o que viria era uma outra superprodução, bancada pela Warner, que reimaginava um herói clássico: Robin Hood. O nobre que rejeitou sua fortuna e optou por viver nas florestas da Inglaterra como um ladrão, que roubava dos ricos para dar aos pobres, e tinha como arma de escolha um certeiro arco e flecha, ganhava tons modernos e realistas com Costner à frente como o personagem título. Robin Hood foi o segundo maior sucesso daquele ano e com um orçamento de US$48 milhões, rendeu US$165 milhões nos EUA, e US$390 milhões mundiais.

01 | O Exterminador do Futuro 2

Chegamos ao topo da lista! Nesta matéria tivemos alguns recordes ainda mantidos no cinema, mesmo tendo passado trinta anos. Como citado acima, temos por exemplo “o” suspense definitivo do cinema com O Silêncio dos Inocentes, ainda mantendo o recorde do big five. Temos também A Bela e a Fera, uma das melhores animações dos estúdios Disney e a primeira a receber a honraria de ser indicado ao Oscar na categoria principal (numa época em que apenas cinco filmes eram nomeados). Agora temos outra produção revolucionária, que merecidamente se tornou o maior sucesso do cinema de 30 anos atrás. O Exterminador do Futuro 2 ainda é considerado por muitos o maior filme de ação de todos os tempos. O longa de James Cameron estrelado por Arnold Schwarzenegger elevou o status do austríaco o tornando o maior astro de Hollywood na época. Fora isso, é um verdadeiro marco na indústria em questão dos efeitos visuais gerados por computadores, que criaram o vilão T-1000. Ou seja, tudo o que temos em matéria de efeitos especiais em filmes de super-heróis, precisamos agradecer a esta obra divisora de águas. O mais rentável é também o filme mais caro da lista; com US$102 milhões de orçamento, o filme viu de volta para a Carolco US$205 milhões só nos EUA, e US$520 milhões mundiais.

Não deixe de assistir: