Pelé é um ícone que carregou a identidade brasileira pelo mundo e transformou o futebol em linguagem universal. Dono da imortal camisa 10 da Seleção Brasileira, o Rei do Futebol foi dono de marcas expressivas dentro de campo, e de feitos ainda maiores fora das quatro linhas. Preto, pobre e vindo do interior, o jovem Edson Arantes do Nascimento provavelmente não seria conhecido se não tivesse cruzado com o esporte em sua infância. Torcedor declarado do Vasco da Gama por conta da luta do time pela inclusão dos negros no futebol, Pelé conseguiu fazer o povo brasileiro superar a síndrome de vira-latas, bater no peito e bradar: o Brasil é o melhor do mundo. Mas o legado de Pelé não para por aí. Ele não se limitou a ser um ícone no Brasil. Ele se tornou um símbolo do Brasil e se consolidou como um ícone da Cultura Pop mundial.

O Brasil foi campeão mundial com o futebol brilhante de Pelé e o povo passou a valorizar mais o país.

Sua transferência para o New York Cosmos foi fundamental para que o futebol se popularizasse nos Estados Unidos e isso o colocou em contato direto com algumas dos maiores nomes da Cultura Pop da história. O caso mais famoso de Pelé nesse meio é o filme Fuga para a Vitória (1981), que é estrelado por ele, Sylvester Stallone e Michael Cane em uma partida de futebol contra os nazistas. E tem mais.

O encontro inesperado reuniu dois dos maiores ícones do século XX em tela.

Quando foi fazer uma visita à Casa Branca para conhecer o presidente Reagan, surgiu a célebre frase dita pelo presidente dos EUA: “Prazer, sou Ronald Reagan, Presidente dos Estados Unidos. Mas você não precisa se apresentar, porque Pelé todo mundo sabe quem é”.

Pelé presenteia o presidente Ronald Reagan com uma bola autografada.

Na Suécia, em 1958, após o Brasil vencer sua primeira Copa do Mundo, o Rei Gustav foi até o campo para parabenizar o menino Pelé. Em entrevista ao Globoesporte.com, Pelé contou a história de como o apelido de Rei surgiu: A coisa mais difícil era alguém chegar perto de um rei. Aí, ele desceu na tribuna e veio nos cumprimentar no campo. O L’Equipe aproveitou a foto e me chamou de “Le Roi” Pelé. Depois, na Inglaterra, passaram a me chamar de ‘The King.



Os parabéns do Rei Gustav ao futuro Rei Pelé

E a majestade se estendeu para todo o mundo. No final dos anos 1970, quando ele foi para Nova York, o símbolo do Pop Art, Andy Warhol, onde teve contato com Pelé. Presença certa no meio das celebridades, Warhol ficou famoso por sua arte subversiva e extremamente popular. Além da admiração do artista, Pelé foi o único brasileiro a ser retratado pela arte de Andy Warhol.

Aproveite para assistir:



Pelé conversa com Andy Warhol antes da sessão de fotos

Em 1977, poucos dias após a aposentadoria do jogador, o artista afirmou que:Pelé é um dos poucos craques que contrariam minha tese. Em vez de quinze minutos de fama, terá quinze séculos”. Em 2019, o brasileiro contou à Folha de São Paulo um pouco mais sobre como foi esse encontro: “Nem eu o conhecia pessoalmente, nem ele me conhecia. Mas Pelé [ícone do futebol] ele disse que já conhecia, por causa do futebol. E ele falou: ‘Te conheço há um monte de tempo. Sou uma pessoa muito mais mais curiosa do que vocês’. Eu acho que ele quis falar ‘mais inteligente’, mas aí mudou e falou curiosa. E disse: ‘Eu sei tudo. Eu canto samba. Qualquer dia vamos cantar um samba’. Naquela época o Sérgio Mendes estava estourando”.

O encontro de Sergio Mendes, Pelé e Elton John.

O mesmo Sérgio Mendes que compôs o álbum Pelé, que foi utilizado como trilha sonora de um documentário francês sobre a vida do jogador. O próprio jogador canta algumas das músicas do disco. E acabou que o mundo da música também se rendeu ao Rei do Futebol. Em 1975, Sir Elton John convidou Pelé para ver seu show de camarote. O brasileiro cantou com Elis Regina e, em 2006, viu seu álbum “Peléginga” vender mais de 100 mil cópias. Em 2009, ele gravaria um novo álbum com o vocalista do U2, Bono Vox, mas isso acabou não acontecendo por conta da turnê 360º.

O cantor Pelé quase lançou um disco com Bono Vox, mas a turnê 360º não permitiu que isso acontecesse.

Pelé foi tão grande que chegou a ser um ícone para outros esportes. Em 2013, o astro do basquete americano e vencedor do Oscar, Kobe Bryant, que faleceu este ano em um acidente de helicóptero, escreveu um artigo para a Folha de São Paulo, onde contava uma história de sua infância e dizia para a mãe que “queria ser Pelé”. Mas o maior registro desse encontro de diferentes modalidades esportivas é a foto do encontro de Pelé com Muhammad Ali. Foi o início de uma grande amizade que rendeu muitas ações pelas crianças sob o título de embaixadores da Unicef, que ambos ostentavam.

A foto é tão icônica que virou febre na cidade de São Paulo. O artista Luis Bueno espalhou pela cidade sua série chamada “Pelé Beijoqueiro”, que traz o aniversariante do dia beijando outros ícones da Cultura Pop, como a Monalisa e o droid C-3PO.



No cinema nacional, Pelé foi retratado diversas vezes. Também nos anos 1980, ele estrelou Os Trapalhões e o Rei do Futebol (1986), que teve cenas gravadas no Maracanã lotado, no intervalo de um Vasco X Flamengo com mais de 120 mil presentes.

Outro filme famoso em que ele apareceu foi Os Trombadinhas (1979), um filme policial de Anselmo Duarte que acabou ficando famoso por conta desse meme abaixo.



Por fim, mostrando que Pelé foi contemplado em todas as artes possíveis, o Rei virou personagem da Turma da Mônica. Após meses de negociação, Mauricio de Sousa começou a bolar a Turma do Pelezinho, nos quais os personagens eram baseados nas memórias do próprio Pelé. Publicado de 1977 até 1986, as tiras duraram 66 edições e foram um sucesso. O Pelezinho foi o segundo personagem negro da Mauricio de Sousa Produções.

Filmes, séries, novelas, pinturas, retratos, quadrinhos, estátua, nome de estádio, nome de prato, música, tema de desfile de escola de samba… Não é exagero afirmar que o artista dos campos, Pelé, conseguiu ser retratado em todas as artes existentes, sendo um grande ícone da Cultura Pop mundial. O legado do jogador é motivo de orgulho para o Brasil e o mundo. Que o Rei do Futebol tenha um feliz aniversário!

Pelé faz 80 anos neste dia 23 de outubro de 2020.
Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE