The Gifted – Episódio 2×08 – ‘the dreaM’

The Gifted – Episódio 2×08 – ‘the dreaM’

Nota:

Com a pausa de fim de ano mais próxima do que distante, The Gifted já apresenta sinais de cliffhanger chegando para deixar todos encabulados até o retorno da série no ano seguinte. Mas calma, isso deverá acontecer somente no episódio subsequente.

A criação de Matt Nix (Burn Notice) fez um dos melhores, se não o melhor, capítulo da temporada. Com o título ‘the dreaM’, o oitavo episódio trouxe um foco maior para a personagem de Emma Dumont, Polaris/Lorna, e para a família Strucker. Enquanto Rebecca (Anjelica Bette Fellini) escapava do Círculo Interno e era perseguida por John (Blair Redford) e Clarice (Jamie Chung), outros acontecimentos em mais evidência decorriam.

A produção fez questão de alternar entre flashbacks e o tempo presente de Lorna para mostrar um pouco da sua relação com a ideia de quem seria seu pai. The Gifted fez um bom trabalho ao exibir o passado da mesma, já que isto permite ao espectador compreender melhor sobre quem é a personagem de Dumont. A criação de sua tia Dane (Kathryn Erbe) claramente foi essencial para o lado mais suave da jovem, entretanto, faz com que questionemos qual foi o caminho que a levou a parar no hospício, já que aparentemente a tia era sua guardiã.



Outro detalhe é toda a trama em volta da filha Dawn e como, no presente momento, a personagem não vê solução a não ser fazer o mesmo que seu pai fez com ela quando era ainda criança. A despedida de Marcos (Sean Teale), contudo, soa um tanto superficial, como outras cenas e momentos do mesmo, o que só provoca problemas de simpatia do público para com o Eclipse. A cena final do oitavo episódio deixa a sensação de estarmos dando adeus, finalmente, a Lorna e olá para Polaris, que parece nascer com força, afinal.

Em relação aos Strucker, Reed (Stephen Moyer), Caitlin (Amy Acker) e Lauren (Natalie Alyn Lind) conseguem encontrar a Dra. Madeline Risman (Kate Burton), com quem o pai do promotor trabalhou na cura do gene X do mesmo (Reed). O desenrolar do enredo mostra dois lados da mesma moeda e a personagem de Lind se vê numa encruzilhada: a doutora busca, com a melhor das intenções, inibir o gene mutante nas pessoas que assim o desejam. Ponto este que leva, de primeira, ao questionamento sobre isso ser algo bom ou ruim, já que seria uma forma de uma família de um menor de idade, por exemplo, optar pelo tratamento mesmo sem o desejo do filho.

Mais uma vez, este detalhe é a prova de que The Gifted levanta questionamentos importantes dentro da sociedade atual, assim como os próprios X-Men sempre fizeram. É interessante quando Lauren questiona viver uma vida de universitária, jogando frisbee e ignorando o que está acontecendo lá fora. De imediato, a direção de Robert Duncan McNeill (Chuck) faz a transição de cena mostrando os locais pegando fogo por causa dos protestos contra os mutantes. Pequenos elementos que só aumentam a positividade deste capítulo.

Aparentemente, Reeva (Grace Byers) e as duas partes do trio Frost (Skyler Samuels) continuam fugindo da polícia, considerando que as mesmas não fizeram aparições em ‘the dreaM’. Por enquanto, também ficaremos aguardando por mais planos dos purificadores com Jace Turner (Coby Bell) ainda a caminho de dar seu depoimento sobre a morte da filha em um programa jornalístico. É bem provável que tudo venha a pegar fogo no próximo episódio. Vamos aguardar!





Inscreva-se em nosso canal e receba conteúdo exclusivo » http://goo.gl/mPcJ5c