Uma das celebridades mais queridas do planeta, o astro Tom Hanks completa 64 anos hoje, dia 9 de julho.

Roteirista, produtor, diretor e ator com 92 créditos em sua filmografia, numa carreira que começou em 1980, Tom Hanks se tornou um dos artistas mais prestigiados do mundo com nada menos que 6 indicações ao Oscar; além de manter o recorde (ao lado do icônico Spencer Tracy) como um dos raros a vencer dois anos seguidos o Oscar de ator principal. E, é claro, sua fama de eterno bom moço.

Pensando nisso, e como forma de homenagear este tesouro global que nos deu um baita susto esta semana, o CinePOP resolveu listar – numa tarefa muito difícil – os 10 (dentre tantos ótimos trabalhos) melhores filmes de Tom Hanks. Vamos conhecer.

Ps. Estamos pensando numa lista especial para as animações que dublou, portanto não espere encontrar nenhum dos Toy Story nesta lista, que consta somente com live-actions.



10 | Apollo 13: Do Desastre ao Triunfo (1995)

Aproveite para assistir:



Tom Hanks é um ator tão bom que muitos se lembram de sua indicação ao Oscar por este filme, fato que não ocorreu. A verdade é que Hanks acabava de sair de sua segunda vitória consecutiva no Oscar e a maioria supunha que uma nova indicação era certa, levando em conta o prestígio do longa com a Academia naquele ano.

Apollo 13, no entanto, recebeu 9 indicações ao Oscar, incluindo melhor filme e coadjuvantes para Ed Harris e Kathleen Quinlan, e levou duas estatuetas técnicas. Baseado nos livros de Jim Lovell e Jeffrey Kluger, o filme conta a história real e desastrosa de uma tripulação à deriva no espaço depois que sua aeronave apresenta danos internos enquanto rumava à lua.

09 | Ponte dos Espiões (2015)

Vinte anos após Apollo 13, Tom Hanks voltava ao radar do Oscar nesta superprodução dirigida por Steven Spielberg. O filme marca sua quarta parceria com o diretor, num total de cinco. Ponte dos Espiões foi indicado para 6 Oscar, incluindo melhor filme, e saiu vitorioso na categoria de coadjuvante para Mark Rylance, que interpreta o oficial russo detido nos EUA durante a Guerra Fria.



Igualmente baseado numa história real, e com roteiro assinado por ninguém menos do que os irmãos Coen (Onde os Fracos Não tem Vez), a trama mostra Hanks como um advogado tipicamente americano encarregado de defender o pior vilão para a América na época: um espião russo pego atrás das linhas inimigas. A mensagem aqui é a de aceitação, mesmo de seus desafetos, um tema tipicamente “Spielberguiano”.

08 | Filadélfia (1993)

Agora sim, estamos falando de Oscar para Tom Hanks. E um bem merecido. Associado a comédias durante toda década de 1980, e alguns romances, o ator dava um novo rumo em sua carreira, demonstrando que podia se sair muito bem em um papel mais sério. Dito e feito, e os incrédulos precisaram engolir sua vitória na categoria de melhor ator, na pele de um homem gay tratado de forma extremamente injusta e preconceituosa na prestigiada firma de advocacia onde trabalha após se descobrir com AIDS.

Em tempos de epidemias assustadoras, vale lembrar que a AIDS foi um dos grandes horrores de nosso tempo nas décadas de 1980 e início de 1990. E quando falamos na doença, Filadélfia ainda se mantém como o filme definitivo a visitarmos. Dramático e estarrecedor sem ser piegas, o longa foi indicado a 5 Oscar, e levou o citado de melhor ator e melhor canção para o hino Streets of Philadelphia, de Bruce Springsteen. Inesquecível.



07 | Estrada para Perdição (2002)

Tom Hanks como um mafioso matador? Sim, o ator consegue fazer de tudo com seu biótipo do homem comum. Aqui, um trio pesado vindo de gerações distintas se digladiam em uma batalha tensa, com muitas armas, tiros, mas principalmente um duelo de grandes atuações. Além de Hanks, o veterano Paul Newman interpreta um “poderoso chefão” e o então novato Jude Law mostrando que estava com fome na pele de um assassino letal que caça o protagonista.

Na trama, Hanks vive o braço direito de um chefão do crime, que passa a persegui-lo por um erro que não cometeu. Curiosamente, este longa do diretor Sam Mendes (1917) é baseado numa HQ adulta. Estrada para Perdição marca o último filme do monstro sagrado Paul Newman lançado nos cinemas. A obra levou 6 indicações ao Oscar, incluindo coadjuvante para Newman, e saiu vitoriosa na categoria de melhor fotografia.

06 | Capitão Phillips (2013)



Já percebemos que Tom Hanks consegue não só interpretar qualquer papel (queremos é vê-lo num filme de super-heróis), como também adentra com facilidade produções de tons e temas distintos. Aqui, a tensão toma conta em sua parceria com o diretor Paul Greengrass, um especialista no cinema adrenalina. Igualmente baseado num história real, e no livro do próprio Richard Phillips, Hanks vive o capitão de um grande navio americano sequestrado por piratas Somalianos em 2009.

A história inacreditável, caso não fosse real, marcou o primeiro caso de sequestro de uma grande embarcação americana em 200 anos. Capitão Phillips foi indicado para 6 Oscar, incluindo melhor filme e coadjuvante para Barkhad Abdi, que interpreta o líder dos criminosos. Quem poderia esquecer a frase icônica proferida pelo ator em seu sotaque somali: “I´m the Captain now”.

05 | Náufrago (2000)



Agora a parada está ficando séria. Náufrago não é apenas um dos melhores filmes de Tom Hanks, como também um de seus filmes mais queridos do grande público. Uma curiosidade de bastidores do filme é que o diretor Robert Zemeckis precisou parar a produção por um ano até que o ator perdesse 23 quilos e deixasse crescer a barba e o cabelo. Neste meio tempo, o cineasta utilizou a mesma equipe para gravar o terror Revelação, com Michelle Pfeiffer e Harrison Ford, lançado no mesmo ano.

Na trama, Hanks vive um executivo da empresa de entregas FedEx que sofre um terrível acidente de avião, indo parar numa ilha deserta onde luta por sobrevivência durante 4 anos, até conseguir se lançar numa aventura para deixar o local. A vencedora do Oscar Helen Hunt interpreta sua companheira. Náufrago recebeu duas indicações aos prêmios da Academia, melhor ator para Hanks (em sua quinta e penúltima indicação – até este ano com Um Lindo Dia na Vizinhança) e melhor som. Ah sim, e não podemos esquecer a famosa bola de vôlei com rosto, Wilson – associada ao ator até hoje.

04 | Prenda-me se For Capaz (2002)

Em sua segunda colaboração com o diretor Steven Spielberg, o astro aceitou um papel coadjuvante para o protagonismo do menino de ouro Leonardo DiCaprio. Um trio desses estremece qualquer cinema. Na trama, DiCaprio vive o golpista da vida real Frank Abagnale Jr., quase um brasileiro em “malandragem” e “esperteza”, que se passa por médico, piloto de avião, advogado, além de um grande esquema de fraude descontando cheques de tais empresas.

No mesmo ano, DiCaprio trabalharia com outro dos maiores diretores ainda em atividade, Martin Scorsese em Gangues de Nova York. Mas demonstrando novamente seu talento para ser esnobado, apesar do estupendo desempenho em ambos, o ator não foi lembrado para indicações. E mesmo com Tom Hanks coadjuvando no elenco, o ator lembrado pela Academia foi Christopher Walken, outro coadjuvante, no papel do pai de DiCaprio. Hanks interpreta o agente do FBI que passa anos perseguindo sem sucesso o falsário.


03 | À Espera de um Milagre (1999)

O filme preferido do grande público no IMDB é imutavelmente Um Sonho de Liberdade (1994), dirigido por Frank Darabont e baseado num conto de Stephen King. Assim, todas as peças voltaram a se encaixar para esta espécie de “sequência espiritual”, que resultou no terceiro melhor filme da carreira do astro Tom Hanks. Temos novamente a direção de Darabont num filme baseado numa história de Stephen King passada na prisão. Esta, embora não seja de terror, utiliza elementos sobrenaturais em sua narrativa.

Passado no ano de 1932, o filme acompanha o dia a dia de carcereiros no corredor da morte de uma penitenciaria numa cidadezinha do sul dos EUA. O protagonista, líder dos guardas, é vivido por Tom Hanks. Tudo muda com a chegada de John Coffey (o saudoso Michael Clarke Duncan), um bondoso gigante, acusado do estupro e morte de duas menininhas. Aos poucos descobrimos que as coisas não são exatamente como se apresentam e que o novo prisioneiro possui dons sobrenaturais de cura. O longa foi indicado para 4 Oscar, incluindo melhor filme, coadjuvante para Duncan e roteiro adaptado para o diretor Darabont.

02 | O Resgate do Soldado Ryan (1998)

A primeira parceria com o diretor Steven Spielberg rendeu não somente o segundo melhor filme da carreira de Tom Hanks, como um dos melhores também da filmografia do cineasta. O Resgate do Soldado Ryan é considerado um dos relatos mais fiéis e realísticos do campo de batalha. Com cenas incríveis de cair o queixo, o filme nos jogou literalmente dentro da Segunda Guerra Mundial, valendo apenas dizer “sinto muito” para os que não conseguiram conferir a obra em sua potência máxima nas salas de cinema, na época do lançamento.

Hanks vive o líder de um pelotão designado a encontrar um único soldado (papel de Matt Damon), cuja família havia perdido outros filhos no conflito, e a política adotada nesta situação é dispensar tal soldado de seu serviço. Narrativa semelhante esteve presente em 1917, indicado ao Oscar deste ano, no qual um soldado precisa encontrar outro, desta vez durante a Primeira Guerra Mundial. Pelo longa, Hanks recebeu sua quarta indicação ao Oscar e O Resgate do Soldado Ryan levou um total de 11 indicações, incluindo melhor filme, dentre as quais venceu 5 estatuetas, como a de melhor diretor.

01 | Forrest Gump: O Contador de Histórias (1994)

Não tem jeito. Não tinha outro filme para ocupar a posição número 1 senão Forrest Gump. O melhor filme do ator traz também seu personagem mais querido e o que vem instantaneamente na cabeça dos cinéfilos quando falamos em Tom Hanks. Forrest Gump realmente marcou uma época, e ainda se mantém como o filme de número 12 dentre os melhores de todos os tempos na opinião do grande público do IMDB.

“A Vida é como uma caixa de chocolates, nunca sabemos o que iremos encontrar”, a frase tema cantarolada pelo protagonista, como dizia sua mãe, ainda é repetida à exaustão, mas a surpresa contida na caixa de chocolates foi que o restaurante proposto no filme, Bubba Gump Shrimp, realmente se tornou realidade pelos EUA. Forrest Gump foi o grande filme de 1994, e da década de 1990, recebendo nada menos que 13 indicações ao Oscar, incluindo 6 vitórias – entre elas: melhor filme, ator para Hanks e diretor para Robert Zemeckis.

E você, gostou da nossa lista? Quais filmes esquecemos de colocar aqui? Comente e faça sua própria lista dos filmes de Tom Hanks nos comentários.

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE