sexta-feira, fevereiro 23, 2024

Ranking | Os 10 MELHORES Filmes de Tom Cruise FORA da Franquia ‘Missão Impossível’

Aos recém-completos 61 anos, no dia 3 de julho, Tom Cruise é uma das maiores estrelas do cinema mundial e responsável por enormes sucessos de bilheteria. Desde a sua estreia como protagonista do projeto fílmico de Missão: Impossível em 1996, a franquia de ação tornou-se parte de sua identidade cinematográfica, ainda mais por conta das suas inéditas e acrobáticas cenas sem dublês. 

Leia também: Tom Cruise Completa 61 anos! Conheça os Melhores Filmes da Carreira de um dos Maiores Astros de Hollywood

Passando do drama à comédia, Tom Cruise provou-se um artista (e produtor) versátil e atento às novas tendências para levar o público às salas de cinema. Missão: Impossível – Acertos de Contas – Parte 1 chega às salas a partir de 13 de julho, e apesar da euforia do momento, o CinePOP apresenta uma lista do conjunto de habilidades e gêneros do ator em um ranking dos seus melhores filmes fora da bem-sucedida franquia. 

Com quase 50 títulos na carreira, Tom Cruise merece ser lembrado por diversos outros papéis e, por isso, vamos fazer um TOP 10 de melhores filmes do protagonista de Missão: Impossível, de acordo com o termômetro do agregador de críticas Rotten Tomatoes (RT). Será que algum bom filme — excetos os da franquia já mencionada —  ficou fora dessa classificação?

10. Jerry Maguire – A Grande Virada (1986) – RT: 84%

Show me the money!” [“Me mostre o dinheiro!”]. Gravada na memória do cinema a partir dessa icônica frase (e cena), Jerry Maguire é uma comédia romântica maravilhosa graças à dinâmica criada pelos atores Cuba Gooding Jr. e Renée Zellweger, ao lado do astro sexagenário. 

Com estilo único do diretor Cameron Crowe, o personagem título, um gerente esportivo, é um entusiasta de uma nova modalidade de gerenciamento de atletas, o qual ele consegue apenas um esportista ao seu lado para provar sua teoria. Entre o desespero e a resiliência, Cruise entrega um personagem convicto e humorado em meio as suas angústias e dúvidas. Como uma boa romcom, o percurso é divertido e o final triunfante. 

9. Nascido em 4 de Julho (1989) – RT: 85% 

Liderado por uma performance memorável de Tom Cruise (indicado ao Oscar), Nascido em 4 de Julho mostra o cineasta Oliver Stone em uma dos seus mais contundentes projetos políticos e reflexivos, desta vez sobre a controversa Guerra do Vietnã. 

Não deixe de assistir:

O drama biográfico segue Ron Kovic (Cruise), desde a sua inocência patriótica em alista-se para a guerra até os anos seguintes, quando retorna à casa paraplégico e traumatizado. A partir da sua nova perspectiva de vida, Kovic torna-se um ativista político anti-guerra e coloca um dedo na ferida aberta da sociedade norte-americana. Ambos os lados, dos contra e dos a favor, não imaginam a vida de um veterano de guerra e a interpretação do ator é visceral neste aspecto. 

8. Feito na América (2017) – RT: 85%

Dirigido por Doug Liman [com quem Cruise trabalhou anteriormente em outro filme presente nesta lista], Feito na América tem uma narrativa cômica, energética e quase irreal para um caso político baseado em fatos reais. Graças ao carisma e o sorriso sedutor do ator, o filme consegue colocar o público vidrado em uma trama de espionagem entre o cartel de Medellín e o governo estadunidense do presidente Ronald Reagan

Na trama, o piloto Barry Seal (Cruise) é recrutado pela CIA para sobrevoar e tirar fotos de áreas na América Latina, onde há uma crescente “ameaça comunista”. Logo, no entanto, o piloto vê-se no comando de uma das maiores operações secretas da CIA na história dos Estados Unidos e no meio do nascimento do cartel colombiano.

7. Colateral (2004) – RT: 86% 

Estimulante por conta do visual ágil do diretor Michael Mann (Ford vs. Ferrari), o filme de suspense apresenta uma das poucas performances de Tom Cruise como o antagonista. Tido como astro de ação e bom moço, é bastante singular vê-lo como vilão, no entanto, Tom entrega uma  atuação magnética e totalmente intimidante em Colateral

Estrelado por Jamie Foxx, como um taxista de Los Angeles, a tensão começa a subir quando o trabalhador se dá conta de estar dirigindo um assassino furioso de um “job” para o outro. A cada instante, o espectador acompanha como o inocente motorista (Foxx) poderá escapar vivo desta noite, após ser testemunha do atirador psicótico. 

6. A Cor do Dinheiro (1986) – RT: 88%

Um dos filmes menos badalados desta lista, A Cor do Dinheiro é dirigido pelo gênio Martin Scorsese. Lançado nos cinemas cinco meses depois do sucesso Top Gun – Ases Indomáveis (1986), a produção teve uma pequena distribuição e é uma sequência  — 25 anos depois  — do filme Desafio à Corrupção (1961), de Robert Rossen

Paul Newman volta ao papel de “Fast Eddie” Felson, um outrora lendário vigarista de retorno às mesas de sinuca e, agora, ele leva o jovem pupilo Vincent Lauria (Cruise) sob sua proteção para o mundo das caçapas e das apostas. O bom desta produção é acompanhar a passagem da relação de mentor para rival entre os dois brilhantemente construída por Scorsese.

5. Rain Man (1988) – RT: 89%

Ganhador de quatro Oscars, inclusive de Melhor Filme, Rain Man foi um dos primeiros passos de Tom Cruise no tom dramático antes da sua indicação ao Oscar no ano seguinte. Ao lado do premiado Dustin Hoffman, o ator vive um vendedor em busca da sua herança deixada para uma casa de saúde mental, onde vive seu, até então desconhecido, irmão mais velho autista. Para reconquistar a herança, Charlie (Cruise) decide levar Ray (Hoffman) em uma viagem pelo país.  

Com direção de Barry Levinson, este é um cômico e caótico road movie com um senso de aventura e compaixão poucas vezes estabelecido no cinema. Por conta desses elementos e da dinâmica entre os atores, Rain Man tornou-se um dos filmes mais marcantes ​​da carreira de Cruise. 

4. Minority Report: A Nova Lei (2002) – RT: 90%

Sob a tutela de Steven Spielberg e a adaptação do texto Philip K. Dick, Tom Cruise entrega uma atuação semelhante (em alguns aspectos) ao agente Ethan Hunt, de Missão: Impossível. Sem decepcionar o público ávido pelo encontro do diretor e o ator, Minority Report é uma ficção científica futurista, na qual os policiais prendem assassinos antes de cometerem um crime.

A reviravolta do filme ocorre quando o policial Paul Anderson (Cruise) é acusado de cometer o assassinato de um homem desconhecido. Em busca de respostas, o protagonista desafia o próprio sistema de segurança Pré-Crime e seus colegas de trabalho em prodigiosas cenas de ação, além de cenas dramáticas por conta do seu conturbado passado.

3. No Limite do Amanhã (2014) – RT: 91%

Novamente no campo futurístico e da ação, Tom Cruise brilha ao encarnar o homem com uma missão de modo afiado e divertido. Diferentes das comédias Feitiço do Tempo (1993) e Palm Springs (2020), No Limite do Amanhã apresenta o conceito de loop temporal de maneira muito mais intensa e interessante aos espectadores. 

Sob a tutela de Doug Liman [ele de novo], o suspense de ficção científica apresenta cenas de ação exuberantes. No filme, o Major William Cage (Cruise) está em missão para salvar a Terra após uma invasão alienígena, no entanto, ele fica preso em um loop temporal da sua morte. Assim, Cage precisa convencer a soldado Rita Vrataski (Emily Blunt) sobre a situação e arrumar um plano para sair desse paradigma, enquanto tenta desesperadamente fugir da batalha. 

2. Negócios Arriscados (1986) – RT: 92%

Apresentando uma das melhores atuações iniciais de Tom Cruise, Negócios Arriscados é um clássico juvenil e rebelde dos anos 1980. Sob o comando Paul Brickman, aos 20 e poucos anos, o ator revelou sua presença cômica e protagonizou uma das cenas mais icônicas da cultura pop de grito de liberdade adolescente: de blusa branca, cueca e meias, Tom dubla, toca e dança ao som de Old Time Rock ‘n’ Roll, de Bob Seger.

Na trama, o colegial do subúrbio de Chicago Joel Goodsen (Cruise) aproveita a liberdade longe dos pais em viagens de férias e transforma a casa da família em um bordel. Com foco na angústia da juventude e na vontade de ganhar dinheiro de forma rápida, o filme trata da descoberta sexual por meio da prostituta Lana (Rebecca De Mornay) e de questões moralmente ultrapassadas, mas ainda pertinentes ao comportamento dos jovens. 

1. Top Gun – Maverick (2022) – RT: 96%

Aos 60 anos, Tom Cruise entregou o melhor filme da sua carreira de ator e produtor? De acordo com o sucesso de bilheteria, mais de 1,4 bilhões de dólares no mundo inteiro, a resposta é evidente. Após 36 anos do personagem Maverick ter aparecido no cinema e ter tornado a canção Take My Breath Away, de Berlin, a música tema de apaixonados de uma geração, Tom Cruise ressuscitou a propaganda militar estadunidense e as cenas de ação sem utilização do recorrente CGI hollywoodiano.

Apesar da interpretação de Tom Cruise não ser o ponto alto da trama, o conjunto da obra realmente tira o nosso fôlego. Top Gun – Maverick é um dos poucos filmes verdadeiramente feitos para ser visto e revisto imerso na escuridão e na acústica de uma sala de cinema. Não é à toa que a produção é ganhadora do Oscar de Melhor Mixagem de Som. Concorda? No Rotten Tomatoes, o filme perde apenas para Missão: Impossível – Efeito Fallout (2018), com 97%, e Missão: Impossível – Acertos de Contas – Parte 1 (2023), com 98%, a partir de 196 críticos. 

Mais notícias...

Letícia Alassë
Crítica de Cinema desde 2012, jornalista e pesquisadora sobre comunicação, cultura e psicanálise. Mestre em Cultura e Comunicação pela Universidade Paris VIII, na França e membro da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine). Nascida no Rio de Janeiro e apaixonada por explorar o mundo tanto geograficamente quanto diante da tela.

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS