O primeiro filme dos ‘X-Men‘ não está diretamente ligado aos quadrinhos dos personagens por conta das inúmeras alterações feita pelo diretor Bryan Singer e pela 20th Century Fox, estúdio responsável pelas adaptações.

No entanto, o roteirista David Hayter, revelou ao Inverse que lutou para manter as principais características dos mutantes no longa.

Uma delas foi a nacionalidade do Wolverine (Hugh Jackman), que é canadense.

Hayter contou que:


“Um dos momentos de maior orgulho que tive no primeiro filme foi quando fui chamado a um dos escritórios dos produtores e eles me disseram: ‘Ei, podemos encontrar Wolverine no Alasca em vez de Alberta e torná-lo americano?’ Eu sabia que isso ia acontecer, mas eu estava pronto para negar. Eu disse a eles: ‘Pessoal, todo mundo sabe que Wolverine é canadense e os fãs vão me matar.'”

Aproveite para assistir:



Ele continuou, dizendo que só faria parte do projeto se a Fox aceitasse suas exigências.

Como um profundo conhecedor do material de origem, Hayter acabou ganhando o respeito do estúdio.

“Eu não tinha poder nesta situação, mas me mantive firme e ele permaneceu canadense. No entanto, não gosto de me chamar de um verdadeiro herói canadense. Eu só queria fazer jus ao material de origem. Depois que dei algumas consultas criativas sobre o que poderia funcionar o não, eles acabaram me ouvindo.”


Lembrando que a última aparição do personagem nas telonas foi em ‘Logan’.

Lançada em 2017, esta foi uma das adaptações de quadrinhos mais simbólicas do cinema, não apenas por marcar a despedida de Jackman como o herói, mas também por toda sua carga emocional.

Além disso, foi a primeira adaptação do gênero indicada ao Oscar de Melhor Roteiro Adaptado, nos 90 anos de história da premiação.

Sucesso de crítica e público, o longa arrecadou US$ 619 milhões pelo mundo, a partir de um orçamento de US$ 95 milhões.

Assista nossa crítica:



Não deixe de assistir: