As 10 Maiores Scream Queens do Cinema

As 10 Maiores Scream Queens do Cinema

COMPARTILHE!

Todo e qualquer filme de horror que ficou marcado na cultura pop, além de trazer a figura icônica do assassino, carregou consigo uma personagem feminina que tinha basicamente as seguintes funções: fugir dos inimigos e principalmente gritar. Elas ganharam a alcunha de scream queens (rainhas do grito) e são às vezes mais veneradas que seus próprios nêmeses perseguidores.

É bem verdade que, à primeira vista, a concepção desses papéis soe misógina, até pelo fato da maioria delas aparecerem despidas e serem encaradas como donzelas frágeis, dando maior ênfase no gênero feminino. Mas com o passar dos anos as personagens foram ganhando novos contornos, tornaram-se heroínas e em algumas situações se transformaram em vilãs. Ou seja, as características são das mais diversas.

No meio do ano estreou pela FOX a nova série de Ryan Murphy, exatamente chamada de Scream Queens, uma homenagem carinhosa e divertida do autor para com essas figuras deveras peculiares. Murphy já havia feito algo parecido na antologia American Horror Story: Coven, quando trouxe um grupo de jovens bruxas que eram formadas numa espécie de escola sobre sua vocação de magia.




Aproveitamos a deixa do novo show – que você já pode conferir a crítica no CinePOP – fizemos aqui uma lista com as dez grandes scream queens do cinema mundial. Personagens que por sua vez foram praticamente o alicerce dessa vertente curiosa.

10 – Sissy Spacek: Carrie – A Estranha (1976)

Carrie

A atormentada estudante Carrie, que teve seus momentos de gritaria durante o decorrer da obra-prima do De Palma, Carrie – A Estranha, acabou se transformando em uma vilã e fazendo com que sua ameaça se tornasse vitima. De anjo meigo a demônio, Sissy Spacek impetrou uma das personagens mais icônicas do estilo.




9 – Adrienne Barbeau: A Bruma Assassina (1980)

fog_uk_09_original

A atriz americana Adrienne Barbeau era um símbolo sexual e rainha grito durante os anos de 1980, inclusive foi casada com John Carpenter, chegando a protagonizar The Fog, um de seus clássicos. Participou também de O Monstro do Pântano e Creepshow, longas admirados pelos fãs. Voltou até a trabalhar com o estilo, novamente, na série Carnivale, da HBO.

8 – Sigourney Weaver: Alien – O Oitavo Passageiro (1979)

041-sigourney-weaver-theredlist

A subtenente Ripley foi de fato a primeira mocinha de filme de terror que virou badass com o desenvolver da trama. Tendo como adversário talvez o mais terrível de todos os monstros citados aqui, uma criatura quase indestrutível, o xenomorfo. E fez isso dentro de uma nave no espaço, onde o público teve uma sensação de claustrofobia nunca vista antes. Bravo!

7 – Adrienne King: Sexta-Feira 13 (1980)

Fridge-reaction

Alice praticamente definiu o padrão das mocinhas que acampavam Cristal Lake, mas, por outro lado, a atriz Adrienne King interpretou uma personagem que vai de encontro às demais, pois não se drogava, bebia ou fazia sexo sem compromisso. Por isso talvez sobreviveu diante de Jason Voorhees (ou sua mãe). Inclusive reencontra o verdadeiro Jason na sequência.

6 – Shelley Duvall: O Iluminado (1980)

the-shining-shelly-duvall-3

Ela não se encaixa tão bem nos parâmetros como as demais, afinal de contas, a perseguida em The Shining é somente Wendy. Mas só pelo fato de ser atormentada por um maníaco como Jack Torrance, magistralmente interpretado por Jack Nicholson, e mostrar um desespero descomunal em tela, já dá a Shelley Duvall o posto de ser uma das maiores scream girls da história.

5 – Heather Langenkamp: A Hora do Pesadelo (1984)

Freddy_phone

Mais conhecida como Nancy Thompson, em Nightmare on Elm Street, Heather Langenkamp era a típica e simples garota que mora ao lado. Enquanto a maioria das scream queens dos anos 80 esbanjava futilidade e sexo, ela era inteligente e meiga, o que não diminuía sua força contra o surreal Freddy Krueger. Nancy acabou virando uma das personagens mais marcantes da cinessérie de Wes Craven.

4 – Neve Campbell: Pânico (1996)

91LTnfo6ybL._SL1500_

Encarada por muitos como uma nova Heather Langenkamp, a estrela da série Pânico, Neve Campbell, tem ainda mais força que a atriz comparada. Sidney Prescott não é apenas séria e centrada, aparenta ser uma mulher de muita personalidade e presença. A releitura de Kevin Williamson para esse estilo de personagem é algo tridimensional e complexo.

3 – Marilyn Burns: O Massacre da Serra Elétrica (1974)

TexasChainsawMassacreMarilynBurnsLSBryanstonDistributionCompany

Muitos imaginam que The Texas Chainsaw é um filme sangrento, e na verdade estás longe disso. Muito mais contido que seus irmãos Jason e Freddie, o Leatherface impressiona pela bizarrice e o modo que Tobe Hooper constrói sua narrativa de maneira eletrizante no terceiro ato. Mas, principalmente, pelo desespero e interpretação de Marilyn Burns. Os gritos talvez sejam os mais altos de todas as atrizes citadas aqui. Incrível.

2 – Jamie Lee Curtis: Halloween (1978)

jlc

Assim como a mãe, Janet Leigh, Jamie Lee Curtis tem em seu sangue, ou em sua garganta a força vocal de uma genuína rainha do grito. Curtis conquistou a todos quando enfrentou Michael Myers na obra-prima de John Carpenter, Halloween. Ela é uma das grandes forças do longa que foi um sucesso na época e até hoje é referenciado por novas gerações.

1 – Janet Leigh: Psicose (1960)

Psycho-Shower-Scene-Kittens

Talvez o clássico hitchcockiano Psicose e por assim Norman Bates sejam os pais desse cinema de horror slasher, pois, ainda que o grau de violência seja menor em relação aos posteriores já citados aqui, temos um vilão icônico, assassinatos em série e a primeira scream girl do mainstream. O grito da Marion Crane de Janet Leigh – que morre no primeiro ato –, mesclado à trilha sonora Bernard Herrmann, é um dos momentos que está enraizado na sétima arte para sempre.

Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema!


Não esqueça de CURTIR nossa MATÉRIA ESPECIAL: